quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Lições de liderança

Assisti a essa série na NETFLIX. Não dá vontade de parar de ver. A história da Rainha Elizabeth II e sua enigmática subida ao poder. Sua relação com Winston Churchill.

Lições de liderança muito preciosas: como saber quando não fazer nada é a melhor solução em muitas ocasiões; como evitar guerras inúteis e como empreender aquelas que devemos. Como colocar os valores importantes acima do valor pessoal.

Vale a pena.

O povo da esperança



O justo jamais será grandemente abalado; Não viverá temeroso, esperando más notícias: Seu coração está seguro e nada temerá. Generosamente reparte o que possui com os pobres. Salmo 112

 

Meu Deus! Quanta notícia ruim!! Essa foi a exclamação ontem que eu e minha esposa tivemos ao assistir o jornal pela TV. Morte de um time inteiro de futebol, de Chapecó; Economia do Brasil encolhendo sem parar; desemprego em alta; Congresso mergulhado em corrupção, aprovando medidas protecionistas na madrugada. É muita coisa. Será que as nossas crianças vão ter algo de sobra?

O que fazer? Agarrar-nos em oração e na esperança. Mais do que nunca é saber que o único caminho é o discipulado verdadeiro que resulta em: no que depender de nós, haja um caráter aprovado; um forte desapego a esta terra, mas enquanto aqui estiver, apontar Aquele que é a solução para a alma corrompida. Denunciar o errado e fazer o que é certo, mesmo com danos próprios. E orar e vigiar mais do que nunca. Trazer o céu para baixo! E como consequência, não supervalorizar as más notícias, pois nosso coração está seguro e nada temerá!

E como alento, vale a pena meditar nas palavras de Spurgeon:  Há várias maneiras de promover a vigilância cristã. No meio do descanso. Os cristãos devem conversar a respeito dos caminhos do Senhor. Cristão e Esperança conversam enquanto viajam rumo à Cidade Celestial: "Para evitar a sonolência neste lugar, entremos num bom discurso". Os cristãos que se isolam e andam sozinhos estão muito sujeitos a ficar sonolentos. Tenha companheiros cristãos, e isso vai mantê-lo acordado, renovado e encorajado a progredir mais depressa no caminho para o Céu.

Que o Senhor te Abençoe.  Pr. Fábio

sábado, 19 de novembro de 2016

Sendo preparado para consolar outras pessoas



1Co 1.3, 4 – Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus.

Somos tentados a evitar o sofrimento a todo custo. Como Pastor também dou graças a Deus por experimentar os mesmos sofrimentos que aqueles a quem prego constantemente. Mas em tudo damos graças pela oportunidade para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. Há o perigo de o pregador se distanciar da vida prática, logo Deus usa os assaltos da vida para nos aproximar das ovelhas que cuidamos, semelhante ao que fez Seu filho Jesus Cristo. Assim não nos tornamos pregadores teóricos, distante da realidade.

Louvado seja Deus que nos guarda.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Livro do Spurgeon - A Figueira Murcha

BAIXE O LIVRO PARA CONHECER O QUE SPURGEON NOS DEIXOU.

CLIQUE NO NOME ABAIXO

LIVRO A FIGUEIRA MURCHA

Notas de estudo ministrado


O CANDELABRO DE OURO

Êxodo 25.31-40; 27.20-21




O candelabro

O candelabro tinha lamparinas e não velas. Velas queimam rapidamente e lamparinas ficam acesas mantidas com óleo. A igreja deve ser como uma candeia, espalhando fortemente a luz divina através do contínuo abastecimento do óleo do Espirito Santo.

 

O candelabro foi feita em uma única peça de ouro, mostrando inteireza e unidade

 

Faça candelabro de ouro batido

Quando o ouro sai da terra ela e feio e não atrai. Seu processo de purificação é trabalhoso. Assim também é a igreja que quando é provada pelos sofrimentos e tribulações fica purificada.

O candelabro

Êx 25.31-36

31 Farás também um candelabro de ouro puro; de ouro batido se fará este candelabro; o seu pedestal, a sua hástea, os seus cálices, as suas maçanetas e as suas flores formarão com ele uma só peça. 32 Seis hásteas sairão dos seus lados: três de um lado e três do outro. 33 Numa hástea, haverá três cálices com formato de amêndoas, uma maçaneta e uma flor; e três cálices, com formato de amêndoas na outra hástea, uma maçaneta e uma flor; assim serão as seis hásteas que saem do candelabro. 34 Mas no candelabro mesmo haverá quatro cálices com formato de amêndoas, com suas maçanetas e com suas flores. 35 Haverá uma maçaneta sob duas hásteas que saem dele; e ainda uma maçaneta sob duas outras hásteas que saem dele; e ainda mais uma maçaneta sob duas outras hásteas que saem dele; assim se fará com as seis hásteas que saem do candelabro.

36 As suas maçanetas e as suas hásteas serão do mesmo; tudo será de uma só peça, obra batida de ouro puro.

 

O pedestal e os braços simbolizam a cruz de Cristo.

Tambem tem a revelação da “videira e os ramos” de João 15.

Amêndoas e as flores

A amendoeira é a primeira arvore a brotar na palestina. A cada ano ela traz a mensagem da vida vencendo a morte.

33 Numa hástea, haverá três cálices com formato de amêndoas, uma maçaneta e uma flor;

Aqui nos é lembrada a vara de Arão que floresceu. Vimos que a vara de Arão brotou, floresceu e produziu o fruto da amêndoa (Nm 17.8).

A amendoeira é um símbolo da ressurreição. Como este foi o fruto que brotou da vara de Arão, podemos ver claramente que Jesus Cristo é tipificado na vara.

 

 

O ÓLEO PARA O CANDELABRO

O azeite para o candelabro

Êx 27.20-21

20 Ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveira, batido, para o candelabro, para que haja lâmpada acesa continuamente.

21 Na tenda da congregação fora do véu, que está diante do Testemunho, Arão e seus filhos a conservarão em ordem, desde a tarde até pela manhã, perante o SENHOR; estatuto perpétuo será este a favor dos filhos de Israel pelas suas gerações.

 

Deus instruiu a usar azeite de oliva puro, batido para manter a luz acesa.

Jesus cumpriu esse simbolismo em seu sofrimento antes da cruz. “Getsêmani” significa “azeite” ou “oliva espremida”.  Jesus se tornou fruto da oliveira, espremido e esmagado pelo sofrimento.

Para as lâmpadas não se apagarem era preciso continuo suprimento do azeite. Na igreja tambem, é preciso o contínuo provisionamento de Cristo em nossas vidas.

Era abastecido ao entardecer e ao amanhecer. Assim deve ser a nossa vida com Cristo.

É função do sacerdote:

- aparar os pavios, retirando a parte queimada

- manter o suprimento de azeite pela manha e a noite.

 

É ministério de Jesus Cristo aparar nossos pavios queimados para nos tratar e nos aperfeiçoar.

 

Vejamos os versos:

João 8.12

Jesus, a luz do mundo

12 De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida.

 

 

Mateus 5.14-16

Os discípulos, a luz do mundo

14  Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; 15 nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa.
16 Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.

 

Efésios 5.8-9

Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz
(porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade),

 

 

 

DESAFIO

Está queimando o candelabro na tua vida todos os dias?

(Admiramos ministros de louvor como Ana Valadão, Aline Barros, Ludmila, mas temos as mesmas oportunidades do que elas!)

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Pregaçao desta quarta, 01 de Setembro


Nesta quarta, Deus me deu uma palavra fresca. Compartilho aqui:


Tomar a Cruz

Marcos 8

31 Então ele começou a ensinar-lhes que era necessário que o Filho do homem sofresse muitas coisas e fosse rejeitado pelos líderes religiosos, pelos chefes dos sacerdotes e pelos mestres da lei, fosse morto e três dias depois ressuscitasse.

32 Ele falou claramente a esse respeito. Então Pedro, chamando-o à parte, começou a repreendê-lo.

33 Jesus, porém, voltou-se, olhou para os seus discípulos e repreendeu Pedro, dizendo: "Para trás de mim, Satanás! Você não pensa nas coisas de Deus, mas nas dos homens".

34 Então ele chamou a multidão e os discípulos e disse: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.

35 Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa e pelo evangelho a salvará.

36 Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?

37 Ou, o que o homem poderia dar em troca de sua alma?

38 Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, o Filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos".

 

INTRODUÇÃO

O texto fala de sofrimento. A cruz é uma tipologia das aflições pela qual passa todas as pessoas. Todos sofremos. Mas o modo de sofrer dos cristãos deve se assemelhar ao de Jesus Cristo. Este olhava para o Pai, pois estava-lhe garantida uma alegria e Ele antevia isso.

 Hebreus 12.2 -  tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus.

E nós podemos seguir os passos, assim como Ele olhava para o Pai, n´[os olhamos para Jesus Cristo. A alegria proposta a nós é animadora. Não precisamos temer sofrer, pois é a escola de Deus para nós.

 

DESENVOLVIMENTO

Seguir a Jesus é um privilegio. E almejar isto fará da nossa vida muito mais fácil, pois Ele já foi à frente preparar caminho para nós.

Vejamos o que Spurgeon disse: Visto que Jesus Cristo foi à nossa frente, as coisas não permanecem como seriam se Ele não tivesse passado por esse caminho. Ele venceu todo inimigo que obstruía esse caminho. Alegre-se agora guerreiro medroso. Não apenas Cristo transitou pela estrada, mas ele acabou com seus inimigos. Você teme o pecado? Ele o pregou à sua cruz. Você teme a morte? Ele foi a morte da morte. Você tem medo do inferno? Ele o trancou impedindo a entrada de qualquer um dos seus filhos; eles jamais verão o fogo da perdição. Qualquer inimigo que esteja diante do cristão, já foi vencido. Há leões, mas seus dentes j´pa foram quebrados; há serpentes, mas suas presas foram retiradas; há rios, mas há pontes pelas quais podemos atravessá-los; há chamas, mas usamos a vestimenta incomparável que nos torna invulneráveis ao fogo. A espada que foi forjada contra nós já está cega; os instrumentos de guerra que o inimigo está preparando não tem mais objetivo. Deus, na pessoa de Cristo, retirou todo o poder que qualquer coisa possa ter de nos ferir.

Para desfrutar desse benefício, nosso Senhor mostrou o mapa do caminho que nos leva ali:

 

1-   Negar-se a si mesmo

Pedro fora reprovado porque estava cheio de si. Segundo Jesus, ele cpogitava as coisas deste mundo, evitando o inevitável por amor próprio. Precisava de esvaziamento. Jesus repreendeu Satanás naquela situação.

 

Somos cheios de si com nossos gostos;

Com nossas manias

Com nossas urgências

Com nosso modo de fazer as coisas

Com nosso egoísmo

 

Somos chamados a negar a nós mesmos. Olhar pra frente. Nos esvaziar.

 

2-   Tomar a cruz

A cruz é uma experiência vital para a intimidade pessoal com Deus. Parece mesmo que no reino de Deus não existe ganho sem sofrimentos. Quando somos deixados em apuros temos a tendência de correr para o colo que nos pareça mais seguro. A comunhão com Deus quase sempre tem se desenvolvido a partir dos vales escuros e sombrios. O propósito das provações da vida é a edificação, não o nosso prejuízo.

O vale é da sombra da morte, mas a presença é do Senhor da vida. Se temos a consciência da companhia de Deus, mesmo que o vale seja frio, escuro e apavorante, a serenidade assumirá o controle da situação. Mesmo que a penúria esboce as suas garras, a segurança da Palavra de Deus dominará o nosso espírito. Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei. Assim, afirmemos confiadamente: O Senhor é o meu auxílio, não temerei; que me poderá fazer o homem? Hebreus 13:5-6. Ainda que a sombra do vale manifeste o gelo da morte, a luz da presença de Deus acaba esquentando o coração, com a certeza de sua Palavra imutável. Se há um vale sombrio a transpor, vale a pena confiar totalmente naquele cuja Palavra vale eternamente.

 

3-   Seguir a Jesus.

Seguir a Jesus Cristo é um grande privilégio. É como um irmão mais velho andando pela frente e nos mostrando o caminho. Ir após Ele é andar no pó dos seus pés. É obedecer a Sua Palavra. É ter a Sua sabedoria como nosso caminho. Seguir a Jesus é o resultado de estarmos seguros nEle. E só podemos fazer isso quando tomamos nossa cruz sem murmurar ou pestanejar. Esperar com paciência apaziguada, sem rebelar-se por estar em aflição.

 

CONCLUSAO

Deus não nos dá uma carga onde Ele mesmo não potencializa o motor. Não dá uma cruz que não podemos carregar. Existe um poema chamado “Cruz Trocada”, que vale a pena ler: Fala de uma mulher que, cansada, achou que sua cruz era mais pesada do que a das pessoas à sua volta, e desejou trocá-la por outra:

Certa vez sonhou que tinha sido levada a um lugar onde havia muitas cruzes, de diversos formatos e tamanhos. Havia uma bem pequena e linda, cravejada de ouro e pedras preciosas.

Ah! esta eu posso carregar facilmente, disse ela. Então tomou-a mas seu corpo frágil estremeceu sob o peso daquela cruz. As pedras e o ouro eram lindos, mas o peso era demais para ela.

A seguir, viu uma bonita cruz, com flores entrelaçadas ao redor de seu tronco e braços. Esta seria a cruz ideal. Então pensou, tomou-a mas, sob as flores haviam espinhos que lhe feriram os ombros.

Finalmente, mais adiante, viu uma cruz simples, sem jóias, sem entalhes, tendo apenas algumas palavras de amor escritas em seus braços.

egou-a, e viu que era a melhor de todas, a mais fácil de se carregar, e enquanto a contemplava, banhada pela luz, que vinha do céu, reconheceu que era a sua própria cruz. Ela a havia encontrado de novo, e era a melhor de todas e a que lhe pareceu mais leve

Deus sabe melhor qual é a cruz que deve nos levar. Nós não sabemos o peso da cruz dos outros. Invejamos uma pessoa que é rica, a sua cruz é de ouro e cravada com pedras preciosas, mas não sabemos o peso que ela tem. Ali está outra pessoa cuja vida parece muito agradável.

Sua cruz está ornada de flores. Se pudéssemos experimentar todas as outras cruzes que julgamos mais leves do que a nossa, descobriríamos, por fim, que nenhuma delas é tão certa para nós como a nossa. Deus está com você, lhe ajudando a carregar a sua cruz.

 

Quando o temor bater à porta do nosso coração, nada melhor que pedir a Jesus para atendê-la, pois corajoso é aquele que teme a Deus, mas não teme as circunstâncias, quando Deus está presente. A ovelha sempre viaja tranqüila ouvindo a voz do seu Pastor, uma vez que a turbulência do coração é acalmada pela suavidade de sua voz e pela cur-vatura do cajado. Se houver escorregões no abismo, com certeza, lá estará o Pastor encurvado na perambeira, tomando nos seus braços a acidentada. Deixemos que Deus cuide de nossas necessidades. Nós não precisamos de nada, a não ser dele.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Esperar no Senhor...


Salmo 27.14 Confie no SENHOR.  Tenha fé e coragem. Confie em Deus, o SENHOR.

 

Uma das posturas mais difíceis que existe na vida do cristão é a espera com oração e pequenos movimentos de fé. Esperar não é fácil. Queremos mesmo é sair fazendo, dando nosso jeitinho, alimentando nossa ansiedade com uma pecaminosa celeridade da vida.

Nossa carne deseja mesmo: Converter os religiosos que estão à nossa frente, ao invés de esperar o Espírito agir na sua forma mansa de amolecer a pedra dura, assim como o tempo faz com as duras rochas; alimentar o desejo de vingança com aqueles que perseverantemente desejam nosso mal; sair impondo nosso jeito de administrar as coisas, impedindo que as pessoas amadureçam durante os erros que cometem; e que possam nos mostrar uma possibilidade de que não estávamos tão certos assim; resolvendo as situações difíceis do nosso jeito para interromper nosso sofrimento egoista. Afinal queremos estar no sofá, sem problemas à nossa volta que nos atrapalhem o bem estar. Sair desesperadamente atrás do povo da igreja com suas necessidades infinitas, na tentativa de manter o sistema girando, numa escravidão eterna de um ciclo mercadológico, mundanizado, deixando o povo ditar a vida do ministro, assim como Moisés fora encontrado por Jetro, em total estado de torpeza emocional.

Esperar não é fácil. É atitude de fé. Uma das mais difíceis matérias do cristão, que ganhou a eternidade, mas não se deu conta dela. Quem adquire essa dádiva, perdeu a pressa. Marchar, e fazê-lo rapidamente é muito mais fácil para os guerreiros do Senhor do que esperar pela voz de comando e permanecendo parado.

O que fazer então? Atormentar-se pelo desespero? Recuar com covardia? Virar à direita com medo? O precipitar-se na presunção? Não. Simplesmente esperar. E esperar com oração. Clamando a Deus e desdobrar o caso diante Dele.

Em dilemas entre um dever e outro, é doce ser humilde como uma criança e esperar pelo Senhor com simplicidade de alma. Espere em fé. Expresse sua firme confiança nEle, pois a espera sem fé é um insulto ao Senhor. Espere com paciência apaziguada, sem rebelar-se por estar em aflição.

Spurgeon ensina a orar: Agora Senhor, não mais a minha vontade, mas a Tua vontade seja feita. Eu não sei o que fazer, mas esperarei até que o Senhor libere o rio, mova a nuvem ou que os inimigos recuem. Esperarei até que o Senhor me faça esperar por muitos dias, pois meu coração está fixado somente no Senhor, e meu espirito espera na convicção plena de que serão minha alegria e minha salvação, meu refúgio e minha fortaleza.

Pr. Fábio Alcântara