sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Uma ferramenta importante



Depois de anos orientando centenas de famílias sobre o bom uso do dinheiro, cheguei a uma conclusão: a renda mensal da maioria dos brasileiros é sufi ciente para manter seu padrão de vida. Mesmo assim, a grande parte das pessoas das classes B, C e D está endividada.Curiosamente, o dinheiro que falta na conta não foi verdadeiramente consumido.


Em geral, costuma estar parado em algum tipo de estoque do endividado. Se você está entre os que de vez em quando entram no vermelho, faça uma experiência. Estime quantos reais existem parados em produtos na dispensa de sua cozinha. Some esse valor aos reais que estão parados no tanque de combustível de seu carro. Vá até seu guarda-roupa: quantas peças de roupas você nunca usou? Quanto elas custaram? E o que dizer de livros não lidos, DVDs não assistidos, eletrodomésticos nunca utilizados?



"Se você quer gastar menos, compre para usar, não para ter."


Temos no Brasil o hábito de comprar para ter, e não para usar. Aprendemos a estocar nos tempos de infl ação, mas a atual inflação não justifica esse comportamento! Se tivéssemos o costume de comprar com mais freqüência e em quantidades menores, estaríamos fazendo um favor para nosso bolso, evitando entrar no vermelho, e para o comércio, diminuindo a sazonalidade das vendas.



Outro importante hábito a ser conquistado é dar mais qualidade a nosso consumo. Pensar duas, três, quatro vezes antes de adquirir aquele item dos sonhos. Que tal entrar em um leilão virtual e vender aquela batedeira que você só usou uma vez? Em minha estatística pessoal, os aparatos campeões de ócio costumam ser cafeteiras, enciclopédias, kits para churrasco e as maravilhosas peças de decoração que ganhamos no casamento e que não cabem na cristaleira da sala. Que tal se desfazer dos estoques e dar um fôlego no orçamento, ou então usar o recurso da venda para se presentear com uma viagem?


A regra básica para enriquecer é gastar menos do que se ganha e investir com qualidade a diferença. Perceba que a regra começa com o verbo gastar. Gaste, portanto, com mais qualidade, para gastar menos.

Mãos à obra!!


Por Gustavo Cerbasi

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

O Ministro Fora do Comum

Mike Murdock

1
Conheça bem a sua Bíblia

A Palavra de Deus é a sua Vida.
O ministro fora do comum deve cultivar uma obsessão por compreender a mente de Deus, revelada em Sua Palavra.
A opinião de Deus sobre tudo está revelada na Bíblia.

4 chaves que nos ajudam a conhecer a Bíblia:

1- A Bíblia é o seu livro de sabedoria, não seu livro de sermão
2- Leia a Palavra de Deus diariamente. O Hábito o levará mais longe que o desejo. Grandes líderes espirituais tinha obsessão pela Bíblia.
3- Personalize sua Bíblia marcando os textos que impressionam você. Escreva nela!
4-Estabeleça um sistema diário para leitura da Bíblia.

Conheça sua Bíblia.


2-
Encoraje seu rebanho a encontrar e a cumprir seus propósitos.

Lembre-se diariamente que seu dever como um ministro de Deus é o de pôr seu povo em contato com seus deveres aqui na terra.


3-
Não negligencie os mais chegados a você.

Seu verdadeiro ministério começa com aqueles mais próximos a você. Foi por isso que Jesus levou Seus discípulos para longe da multidão. “voltaram os apóstolos à presença de Jesus e lhe relataram tudo quanto haviam feito e ensinado. E ele lhes disse: vinde repousar um pouco, à parte, num lugar deserto; porque eles não tinham tempo nem para comer, visto serem numerosos os que iam e vinham”. (Marcos 6.30-31).


4-
Sempre revise e atualize as metas do seu ministério.

Invista uma hora para escrever claramente as coisas que realmente são importantes para você neste momento.

Vou colocando os demais...Shalom!

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Uma carona na mensagem do Bispo

Domingo compartilhamos sobre a importancia de Deus tratar nosso caráter na área da generosidade.
Dar não é apenas uma resposta à necessidade de uma pessoa, de uma família ou da igreja. É uma resposta de gratidão.

Dar: Doação; Amor e Resposta!

Rock Hudson estrelou num antigo filme chamado “The End”. Naquele filme ele está navegando no oceano num pequeno navio, no meio de uma tempestade. O navio afunda e Hudson tem que nadar em direção à praia. Mas o trajeto é longo. Quando começa a nadar ele fala com Deus e diz: “Senhor, se o senhor me tirar dessa, eu dou metade dos meus bens aos pobres”. O tempo passa. Ele vai nadando, ainda se sente com forças e já começa a ver as luzes da praia. Então ele ora novamente: “Se o senhor me ajudar a sair dessa eu dou 30% dos meus bens aos pobres”. Continua nadando, sente que ainda tem forças e ora: “Senhor, se me ajudares, dou 10% dos meus bens”. Finalmente, mesmo cansado, ele sente que vai conseguir chegar á praia. Então ele ora: “Bem, Senhor, vamos esquecer o nosso trato. Acho que eu consigo sair dessa sozinho mesmo”. Essa atitude é parecida com a de muitas pessoas nos nossos dias. Dar para Deus, viver para Deus ou dar para os que têm mais necessidade, parece ser confundido com “pagar uma conta” ou “cumprir uma obrigação”. Nada mais que isso. Qual deveria ser nossa atitude com relação ao ato de dar? Qual deveria ser a atitude apropriada para o povo de Deus com relação a dar?

1. Precisamos entender que DAR é um ato de adoração. É um ato de culto: Dar é uma expressão de gratidão a um Deus fiel por toda a sua bondade para conosco. Dar não é apenas uma resposta à necessidade de uma pessoa, de uma família ou da igreja. É uma resposta de gratidão. Lembra da mulher que derramou o perfume nos pés de Jesus? (João 14.6-8). Ato de culto!

2. Precisamos entender que DAR me ajuda a perceber onde meu coração está: Dar me ajuda a perceber qual é o meu verdadeiro tesouro. Lembra-se do jovem rico? Jesus lhe perguntou se já seguia os mandamentos. Ele respondeu que sim. Então Jesus lhe disse: “Vá vende tudo o que tem, dê aos pobres, e terá um tesouro no céu. Então, vem e segue-me” (Mateus 19).
Quando o jovem ouviu isso, saiu triste, porque possuía muitos bens. O que Jesus está tentando ensinar a esse jovem é que se a riqueza o possuía, então ele não poderia herdar o reino. Na verdade o Reino precisa nos possuir. Deus não é dono de apenas 10% da minha vida. Ele é dono de tudo. Jesus disse: “De graça recebeste, de graça daí” (Mateus 10.8). A questão não é se eu tenho que literalmente dar tudo o que eu tenho. A questão é se eu reconheço que Deus é o dono incondicional do que eu possuo Muita gente queria seguir a Jesus. Alguns foram descartados por ele. Jesus sabia que seus corações estavam em outro lugar. A raposa tem seus covis e os pássaros seus ninhos, mas o filho do homem não tem onde reclinar sua cabeça”. Alguns que ouviram isso, desistiram de segui-lo.
Pedro um dia disse: “Deixamos tudo e te seguimos”. Jesus respondeu: “ninguém que tenha deixado casa, esposa, irmãos ou pais ou filhos por minha causa e pelo reino, deixará de receber 100 vezes mais nesse século, com perseguições e, no futuro, a vida eterna”.
Compromisso sem reservas resulta em bênçãos sem reservas. Se nos abrimos totalmente para Deus, ele se abre totalmente para nós. Lembra da história do homem que falou consigo mesmo: “Que farei? Construirei celeiros maiores”. Deus disse: “Louco, essa noite te pedirão a tua alma...” (Lucas 12.19-21).
Também não podemos nos esquecer de que: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto, do pai das luzes” (Tiago 1.17). DAR nos liberta da escravidão do egoísmo e do materialismo!


3. Precisamos entender que DAR é um indicador do quanto confiamos em Deus:
“Sem fé é impossível agradar a Deus, por que todo o que vem a ele deve crer que ele existe e que é o galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11.6).
Como cristãos recebemos a certeza de que Deus sabe das nossas necessidades e delas cuida. Jesus disse: “Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?” (Mateus 6.30).
Quase tudo que a Bíblia fala sobre dinheiro é negativo. Mas quando fala sobre DAR o dinheiro, é sempre positivo: “Mais bem aventurado é dar do que receber” (Atos 20.35). “Cada um deve decidir em seu coração dar, não relutantemente nem por constrangimento, porque Deus ama ao que dá com alegria” (II Coríntios 9.7). João Wesley desafiou os primeiros metodistas da seguinte forma: “Ganhe o máximo que puder, economize o máximo que puder, dê o máximo que puder”.
Jesus disse: “Não amontoem para si tesouros na terra onde a traça e a ferrugem corroem e onde os ladrões escavam e roubam. Mas amontoem tesouros no céu...”. Esses desafios continuam valendo para nós cristãos e metodistas do século XXI.
Shalom!

domingo, 17 de agosto de 2008

Um ótimo artigo


Eugenio Musak, um colunista da revista Você S/A, escreveu este ótimo artigo que me lembrou muito o versículo:

Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. (João 6 : 68)


O melhor lugar do mundo

É aquele em que você usa seu talento para ser ainda melhor


Quando eu era pequeno costumava perguntar aos adultos qual era o melhor lugar do mundo. Ao conhecer uma pessoa que tinha viajado para longe, grudava nela até saber como era aquele local distante e diferente. Ficava imaginando se seria melhor morar lá do que aqui. Até que tive a oportunidade de realizar esse forte desejo. Visitei países, estudei na Argentina, nos Estados Unidos, na França, na Inglaterra e em Israel. Isso sem falar que morei um tempo no Rio de Janeiro e em Florianópolis. Nada mau para um curitibano que há uma década está radicado em São Paulo. A muitos desses lugares eu voltaria, pois ainda sinto aquela curiosidade inquieta da infância, que me leva a continuar perguntando: “Afi nal, qual é o melhor lugar do mundo?”. Quando me percebo pensando nisso, lembro-me de um professor que foi, para mim, um mentor. Ele lecionava geografia e um dia, percebendo meu interesse, convidou- me a conhecer sua coleção de cartões-postais. Abriu um baú e deixou sair milhares de cartões que recebia de todas as partes do mundo. E foi nesse dia que ele me disse: “O melhor lugar do mundo é aquele que você pode ajudar a fi car ainda melhor”. O professor não sabia, mas estava me dando a chance de pensar, muito tempo depois, que a missão de cada pessoa é deixar este mundo melhor e, com isso, transformar-se em uma pessoa melhor. Encontrar o melhor lugar para viver, ganhar a vida, criar fi lhos, evoluir, ser feliz, tem a ver com essa missão. Se você diz que vai morar em tal cidade, em busca de uma oportunidade de carreira, na verdade está falando da oportunidade de colaborar com esse lugar. O melhor lugar do mundo é onde você pode usar seu talento, ter seu esforço reconhecido. Eu conheço pessoas felizes e realizadas em todos os lugares, que, aliás, são os mesmos locais em que eu também encontrei pessoas amarguradas. Isso me faz pensar que, antes de encontrar o melhor lugar do mundo, você deve encontrar-se a si mesmo. Ou sempre estará no lugar errado.

Shalom!

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Êta Mundão!


É de rolar de Rir nessa sociedade moderna!!


O jornal divulgava que ninguem entende as bulas dos remedios e as pessoas não entendem as palavras ali escritas.


Entao a ANVISA vai mudar o padrão das bulas e pede sugestões ao povo.


Daí o apresentador passa o email para sugestões: gmefh@anvisa.gov.br!!!
Não poderia ser: facilidade@anvisa.gov.br?!!!!!!!


shalom!

O Perigo dos créditos


Sempre tive dificuldades com dividas. Quando criança e adolescente, nunca me instruiram sobre essa importante área da vida, o que nao pretendo cometer o mesmo erro com minhas filhas.

Um amigo da igreja que trabalha para um banco me disse que pessoas que ganham 1.000,00 fazem financiamento de carro em 48 X de 400,00 e o banco libera. Imagine você quantas prestaçoes a pessoa poderá pagar? Precisamos voltar para a Bíblia e ver o que ela diz sobre dividas. Quem as têm é um escravo!

Leia e acesso o site abaixo.


Quase uma vez a cada década surge algum tipo de crise no mundo financeiro. Na década de 80, durante a quebradeira dos empréstimos agrícolas, andei de banco em banco examinando empréstimos que jamais deveriam ter sido feitos. Nos anos 90 a moda era uma empresa comprar outra muito maior com empréstimos concedidos com base no valor da de maior porte.



As autoridades financeiras usam expressões como “desaceleração da economia”, “estagnação” e “recessão” para descrever as condições econômicas atuais. Um fator primário que contribuiu para essa situação, particularmente nos Estados Unidos, foi a concessão de grandes empréstimos hipotecários para indivíduos e famílias que descobriram ser incapazes de arcar com seu pagamento. Padrões frouxos na concessão de crédito são devastadores para devedores desavisados, na tentativa de comprar algo além de suas possibilidades, seja casa, carro ou outro bem de alto valor.



A primeira responsabilidade de quem empresta é fazer um bom investimento. Entretanto, se agir corretamente, quem empresta tem também o dever de salvaguardar o bem-estar de quem toma emprestado. Ao negar o empréstimo de um valor que o tomador claramente não tem capacidade financeira de cumprir com essa obrigação, o emprestador pode estar evitando muito sofrimento.



Por que razão ocorrem erros periódicos na concessão de empréstimos? Às vezes são apenas erros de julgamento. Mas a maior parte está relacionada à ganância e inveja. Alguém descobre um nicho a ser explorado e, tão logo outros emprestadores ouvem falar de lucros crescentes e de curto prazo dos concorrentes, a inveja se manifesta. Em pouco tempo, a corrida para faturar com a última forma de empréstimo, afeta toda a economia.



Situações assim são, em geral, muito lucrativas por alguns anos, porque leva tempo até que os problemas venham à tona. Mas quando surgem e os credores começam a atrasar os pagamentos, a crise se espalha de tal forma, que os emprestadores tentam se retirar o mais rápido possível, fazendo que as perdas e o impacto sejam ainda mais significativos.



No mundo dos negócios é muito fácil se desenvolver uma "mentalidade de manada": “Se todo mundo está fazendo, deve ser bom para nós também!” Seguir esse tipo de pensamento pode fazer que a empresa se torne apenas mais uma vítima de especulação imprudente e precipitada.
A Bíblia ensina que isso foi o que estava prestes a acontecer com Asafe, mas felizmente ele se conteve. Lemos sobre a sabedoria desse homem no Salmo 73.2-3: “Quanto a mim, os meus pés quase tropeçaram; por pouco não escorreguei. Pois tive inveja dos arrogantes quando vi a prosperidade desses ímpios”.



No veloz e altamente competitivo ambiente de negócios atual, podemos ver nossos rivais se beneficiarem de práticas que jamais usaríamos. E se não estivermos dispostos a permitir que eles obtenham vantagens, como no caso de emprestar grande soma de dinheiro a tomadores com capacidade de pagamento questionável, devemos lutar contra a tentação de comprometer nossos padrões.



Sugestão: se for tentado a ter inveja de seus pares, faça uma pausa para considerar o que é melhor fazer. Não vá atrás da tendência do momento apenas para ganhar mais dinheiro. As tendências passarão e você não vai se arrepender.




quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Crise: risco e oportunidade

Texto: Tiago 5:13,17-18


Diz-se que em chinês a palavra crise é composta por duas outras palavras: risco e oportunidade. Para os que querem seguir a Jesus, viver em um mundo mau, contaminado pelo pecado, é uma crise constante; há sempre o risco de nos conformarmos ao mundo nos afastando de Deus.
O que fazer quando isso acontece? O que fazer quando as coisas não são como esperávamos e nós não reagimos como Deus espera? O que fazer quando as coisas dão errado?

1) Ore. Busque a Deus!
Não piore as coisas afastando-se de Deus.
Também não seja arrogante ficando bravo com Deus, reclamando ou tentando arrumar desculpa para seu erro. Seja humilde, reconheça seu erro, arrependa-se e fale a Deus que precisa Dele.
Está triste, busque a Deus. Está sofrendo, busque a Deus. Busque a Deus em qualquer situação, você precisa Dele.


2) Confie em Deus. Não desista, persevere.
Pedro reconhece em João 6:68 que não há outra pessoa ou outro lugar para buscar uma melhora, só Jesus tem as palavras de vida eterna.
Faça como Elias ore com instância, busque a Deus constante e insistentemente. Não desista, confie.


3) Aproveite a oportunidade.
Como falamos crise é risco e oportunidade, aproveite a oportunidade para buscar a Deus, aproveite a oportunidade para confiar Nele e conhecer Seu poder, aproveite a oportunidade para entregar-se a Deus e deixá-lo conduzir e cuidar da sua vida.
Aproveite a oportunidade.


Conclusão: Tem algumas coisas dando errado, em sua vida ? Você está passando por uma crise? Está sofrendo? Busque a Deus, entregue-se a Ele e siga-o, deixe Ele cuidar da sua vida.
Quer aproveitar a oportunidade? Quer entregar sua vida e suas coisas a Deus?
Shalom!

Um pouco de humor. Gostei desse!

Os Dez Mandamentos do Chimarrão


I- Não peças açúcar no Mate O gaúcho aprende desde piazito que e por que o chimarrão se chama também Mate amargo ou, mais intimamente, amargo apenas. Mas, se tu és dos que vêm de outros pagos, mesmo sabendo, poderás achar que é amargo demais e cometer o maior sacrilégio que alguém pode imaginar neste pedaço de Brasil: pedir açúcar. Pode-se pôr na água, ervas exóticas, cana, frutas, cocaína, feldspato, dólar etc., mas jamais açúcar. O gaúcho pode ter todos os defeitos do mundo mas não merece ouvir um pedido desses. Portanto, tchê, se o chimarrão te parece amargo demais, não hesites; pede uma Coca-Cola com canudinho. Tu vais te sentir bem melhor.

II- Não digas que o chimarrão é anti-higiênico Tu podes achar que é anti-higiênico pôr a boca onde todo mundo põe. Claro que é. Só que tu não tens o direito de proferir tamanha blasfêmia em se tratando do chimarrão. Repito: pede uma Coca-Cola com canudinho. O canudo é puro como água de sanga (pode haver cloliformes fecais e estafilococos dentro da garrafa, não nele).

III- Não digas que o Mate está quente demais Se todos estão chimarreando sem reclamar da temperatura da água, é porque ela é perfeitamente suportável por pessoas normais. Se tu não és uma pessoa normal, assume e não te fresqueies. Se, porém, te julgas perfeitamente igual às demais, faze o seguinte: vai para o Paraguai. Tu vais adorar o chimarrão de lá.

IV- Não deixes um Mate pela metade Apesar da grande semelhança que existe entre o chimarrão e o cachimbo da paz, há diferenças fundamentais. Com o cachimbo da paz cada um dá uma tragada e passa-o adiante. Já o chimarrão, não. Tu deves tomar toda a água servida, até ouvir o "ronco" da cuia vazia. A propósito, leia logo o mandamento seguinte.

V- Não te envergonhes do "ronco" no fim do Mate Se, ao acabar o Mate, sem querer fizeres a bomba "roncar", não te envergonhes. Está tudo bem, ninguém vai te julgar mal-educado. Este negócio de chupar sem fazer barulho vale para Coca-Cola com canudinho, que tu podes até tomar com o dedinho levantado.

VI- Não mexas na bomba A bomba do chimarrão pode muito bem entupir, seja por culpa dela mesmo, da erva-mate ou de quem preparou o Mate. Se isso acontecer, tens todo o direito de reclamar. Mas, por favor, não mexas na bomba. Fale com quem te ofereceu o Mate ou com quem te passou a cuia. Mas não mexas na bomba, não mexas na bomba e, sobretudo, não mexas na bomba.

VII- Não alteres a ordem em que o Mate é servido Roda de chimarrão funciona como cavalo de leiteiro. A cuia passa de mão em mão sempre na mesma ordem. Para entrar na roda, qualquer hora serve, mas depois de entrar, espera sempre a tua vez e não queiras favorecer ninguém, mesmo que seja a mais Prendada Prenda do Estado.

VIII- Não "durmas" com a cuia na mão Tomar Mate solito é um excelente meio de meditar sobre as coisas da vida. Tu Mateias sem pressa, matutando, recordando ... E às vezes, te surpreendes até imaginando que a cuia não é cuia, mas o quente seio moreno daquela chinoca faceira que apareceu no baile do Gaudencio ... Agora, tomar chimarrão numa roda é mui diferente. Aí o fundamental não é meditar e sim integrar-se à roda. Numa roda de chimarrão, tu falas, discutes, ris, xingas, enfim, tu participas de uma comunidade em confraternização. Só que esta tua participação não pode ser levada ao extremo de te fazer esquecer da cuia que está em tua mão. Fala quando quiseres, mas não te esqueças de tomar teu Mate, que a moçada tá esperando.

IX- Não condenes o dono da casa por tomar o 1º Mate Se tu julgas o dono da casa um grosso por preparar o chimarrão e tomar ele próprio o primeiro, saibas que o grosso és tu. O pior Mate é o primeiro e quem o toma está te prestando um favor.X- Não digas que chimarrão dá câncer na garganta Pode até dar. Mas não vais ser tu, que pela primeira vez pegas na cuia, que irás dizer, com ar de entendido, que chimarrão é cancerígeno. Se aceitaste o Mate que te ofereceram, toma e esquece o câncer. Se não der para esquecer, faze o seguinte: pede uma Coca-Cola com canudinho que ela ... etc., etc

X- Não digas que chimarrão dá câncer na garganta Pode até dar. Mas não vais ser tu, que pela primeira vez pegas na cuia, que irás dizer, com ar de entendido, que chimarrão é cancerígeno. Se aceitaste o Mate que te ofereceram, toma e esquece o câncer. Se não der para esquecer, faze o seguinte: pede uma Coca-Cola com canudinho que ela ... etc., etc



rsrs.

Sabedoria Secular de Gracian

Não ficar de Brincadeiras

A prudência é reconhecida na seriedade, que tem mais credibilidade do que a inteligência. O brincalhão não merece confiança. É comparado ao mentiroso, pois não se acredita nele. De um, tememos a mentira, do outro, o excesso de brincadeiras. Nunca se sabe quando se fala com juízo, o que é a mesma coisa do que não tê-lo. Não há maior falta de graça do que a graça permanente. Alguns ganham a fama de engraçados e perdem a de prudentes. A jovialidade tem seu momento, mas o resto do tempo deve ser de seriedade.

Shalom!