sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Em tempos de gratidão

CONFISSÃO E GRATIDÃO
Neemias 9:32-37 Pois eles no seu reino, na muita abundância de bens que lhes deste […] não te serviram […] —Neemias 9:35

Durante um culto de domingo, nossa congregação fez esta oração em conjunto: “Gracioso Deus, assim como muitos cristãos antes de nós, reclamamos quando o que queremos não acontece do nosso jeito. Desejamos tudo em abundância, ao invés daquilo que é suficiente para nos mantermos. Preferiríamos estar em qualquer outro lugar ao invés de onde estamos agora. Preferiríamos ter os dons que Tu dás a outros ao invés daqueles que concedes a nós. Preferiríamos que Tu nos servisses ao invés de te servirmos. Perdoa a nossa ingratidão por aquilo que Tu nos dás.”
Abundância não é garantia de gratidão ou ação de graças. A prosperidade pode até afastar os nossos corações do Senhor.Quando um grupo de exilados judeus voltou da Babilônia com Neemias para reconstruir os muros de Jerusalém, eles se reuniram para confessar os seus pecados e também os dos seus antepassados. Eles oraram: “Os nossos reis, os nossos príncipes, os nossos sacerdotes e os nossos pais não guardaram a tua lei […] Pois eles no seu reino, na muita abundância de bens que lhes deste, na terra espaçosa e fértil que puseste diante deles não te serviram, nem se converteram de suas más obras” (Neemias 9:34-35).A confissão é um prelúdio poderoso para uma oração de gratidão.
Shalom

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Açao de Graças

Tivemos hoje um culto maravilhoso, com muitos testemunhos do que Deus tem feito na vida do Povo. Como Pastor, fico feliz em ver Deus honrando a fé de muitos irmaos e irmãs. Na ocasião, ministrei a mensagem abaixo.
Bênçãos pela ação de graças
Texto Bíblico:
João 6.1-15
Introdução
Viver contente em todas as situações é uma bênção. A escola da graça de Deus é muito prática e aqueles que aprendem a viver contentes são treinados na experiência diária. Deus nunca ensina um conteúdo espiritual aos seus filhos de maneira teórica. A educação dos santos é exercida no praticar efetivo da realidade cotidiana. No reino de Deus não há contentamento sem fornalhas aquecidas nem serrotes amolados. Por isso a ação de graças tem o poder de multiplicar tudo o que está em nossas mãos.

A Bíblia fala que Jesus atravessou o lago da Galiléia, que media uns 21 km de comprimento por 13 de largura, onde também era chamado de lago de Tiberíades, em honra ao imperador romano Tibério.Jesus procurou um MONTE para compartilhar com seus discípulos. Como já vimos, os montes são sinais de apreensão bem como do lugar onde Deus deu ricas experiências para muitos homens que foram levantados por Ele para nos ensinar através das escrituras. Diante do desafio que Jesus tinha pela frente, o de alimentar uma multidão, a primeira atitude que ele tomou foi ir para o monte, mostrando geograficamente que buscar orientação do Pai deve ser a nossa primeira atitude diante das dificuldades. E a história nos ensina que para sermos abençoados e afastar a maldição que nos impede de prosperar, é necessário ter uma vida agradecida.

Para termos uma vida próspera, é necessário:
1)- Termos disposição para ser experimentados por Deus
6.5 Então, Jesus, erguendo os olhos e vendo que grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pães para lhes dar a comer? 6.6 Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que estava para fazer. 6.7 Respondeu-lhe Filipe: Não lhes bastariam duzentos denários de pão, para receber cada um o seu pedaço.
No monte da Galiléia Jesus queria desenvolver uma atitude positiva, de fé em Filipe. Provavelmente Filipe era um daqueles que reclamava bastante. Note que imediatamente ele retrucou a ordem de Jesus, tirando o corpo fora da solução. Um Denário era o valor de uma diária de um trabalhador. Felipe disse então que nem 3 mil reais daria para comprar pão o suficiente para alimentar a multidão. Todos temos tendência à murmuração e Deus irá nos experimentar, colocando-nos na escola da fé, capaz de transformar nossa vida de murmuradores a agradecidos.
Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores, e os demais companheiros de prisão escutavam. Atos 16:25. O apóstolo Paulo diz neste texto que estamos enfocando que ele aprendeu a viver contente. Isso significa que houve um tempo que ele não era tão contente assim. A palavra, no grego, tem um sentido de aprender por experiência, logo, o seu contentamento espiritual não era algo que tivesse experimentado desde a sua conversão. Ele precisou passar por alguns testes severos, suportando situações críticas a fim de aprender as lições do contentamento. Ninguém aprende a viver contente em qualquer circunstância, sem passar pelos lances mais contrastantes e absurdos, tanto na fartura como na penúria.Mas esse aluno incansável do contentamento torna-se, além disso, um dos mais eficientes mestres desse tema. Ele não foi só um discípulo exemplar nessa Universidade, como também foi o seu mais ilustre professor. Em uma de suas aulas sobre o assunto, Paulo mostra que a piedade cristã é altamente rentável, desde que esteja associada ao contentamento. De fato grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. 1 Timóteo 6:6.

Para termos uma vida próspera, é necessário:
2)- Jamais desprezar o que se tem à mão
6.8 Um de seus discípulos, chamado André, irmão de Simão Pedro, informou a Jesus: 6.9 Está aí um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas isto que é para tanta gente?

André prontamente viu grandes possibilidades na pequena cesta básica encontrada com um rapaz. Muitas pessoas não são abençoadas porque desprezam o que tem à mão. Não sabe “sovar a massa”, para que possa dar grandes e bonitos pães. Reclamam o tempo todo porque nada têm, e não considera a riqueza que se encontra em suas mãos. Você já parou para pensar que o seu pouco é uma riqueza para outra pessoa? Aquele que se satisfaz com menos, tem um patrimônio muito grande para garantir a sua felicidade duradoura. Alguém disse que o contentamento consiste não em acrescentar mais combustível, mas em diminuir o fogo; não em multiplicar a riqueza, mas em diminuir os desejos. Aquele que se encontra satisfeito com menos coisas, é bem mais feliz do que aquele que vive ambicionando ansiosamente cada vez mais, buscando multiplicar o muito que já possui. A verdadeira riqueza não consiste em ter muitos bens, mas em viver bem com menos riqueza. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. 1 Timóteo 6:8.

Para termos uma vida próspera, é necessário:

2)- Receber tudo com ação de graças
6.10 Disse Jesus: Fazei o povo assentar-se; pois havia naquele lugar muita relva. Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil. 6.11 Então, Jesus tomou os pães e, tendo dado graças, distribuiu-os entre eles; e também igualmente os peixes, quanto queriam. 6.12 E, quando já estavam fartos, disse Jesus aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca. 6.13 Assim, pois, o fizeram e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobraram aos que haviam comido.

Jesus sabia que o Pai era a fonte para suprir todas as suas necessidades. Ele não se preocupava com o grau de dificuldade, pois para Deus nada é impossível. O Senhor então mostra o princípio de dar graças em todas as circunstancias da vida. Essa atitude abre as portas do céu para que sejamos recebedores dos infinitos recursos celestiais.
Os filhos de Deus são uma espécie rara de gente alcançada pela graça, aprendendo a viver contente em qualquer ambiente e sob quaisquer condições. Se você faz parte dessa turma, só lhe resta uma opção: Viver aprendendo a contentar-se em toda e qualquer eventualidade. Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: de maneira alguma de deixarei nunca jamais de abandonarei. Hebreus 13:5.Todos aqueles em que a cruz de Cristo deixou suas impressões no caráter, sempre vão transbordar seu contentamento, aprendido através das marcas dos cravos esculpidas pela fé. Ninguém pode viver mais contente do que os co-crucificados e regenerados na ressurreição pela graça em Cristo. Aqueles que estão satisfeitos com a suficiência de Cristo, embora tenham tribulações, tropeços e transtornos não deixam de expressar o seu contentamento por terem sido aceitos cabalmente pela graça do evangelho. Um cristão que não aprende a contentar-se em todas as ocasiões acaba injuriando o seu Salvador e difamando a sua salvação. Por isso contentai-vos... Regozijai-vos sempre. 1 Tessalonicenses 5:16.

Conclusão
Todos somos desafiados a subir no monte da Galiléia, onde Jesus preparou um banquete para todos sem ter nenhum recurso. Quando seu salário não for suficiente para viver, quando suas roupas forem apertando, quando as necessidades aparecerem, faça tudo com ação de graças, jamais murmurando.No monte da galiléia Filipe levou uma grande lição. Ele recolheu 12 cestos cheios de pães. Dando graças por tudo, você verá que Deus multiplicará tudo o que chegar às suas mãos.
Shalom.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Segredos do homem mais rico que já existiu


Terminei de ler esse livro. Uma pérola devocional, com muitos conselhos práticos. Só uma palhinha do final:

Podemos escolher ser felizes.
As pessoas mais felizes que conheço são as que vivenciaram as piores tragédias, tristezas e conflitos.. em determinado momento, decidiram que seriam felizes.
- pessoas felizes decidem ser assim;
- pessoas felizes gostam das decisões que tomam;
- pessoas felizes geralmente são aquelas que melhor sabem tomar decisões;
- pessoas felizes estimulam outros a produzir mais e com mais entusiasmo;
- pessoas felizes usam vocabulário completamente diferente. Elas dizem: realizaremos isso. Os infelizes declaram: isso é impossível!

Os pobres geralmente imaginam que o dinheiro resolve tudo. Os ricos sabem que não é assim!
Um dos principais segredos de sucesso que podemos encontrar na vida é a capacidade de reconhecer dádivas tremendas, insubstituíveis e gratificantes que o dinheiro não pode comprar.


A riqueza pode garantir-nos uma casa;
A sabedoria a transforma num porto seguro.
Riqueza pode garantir-nos favores;
A sabedoria nos garante o apreço das pessoas.
A riqueza determina nossas posses;
A sabedoria garante nossa paz.
As riquezas podem comprar-nos companheirismo;
A sabedoria gera compromisso.
A riqueza pode contratar alguém para nos ouvir;
A sabedoria produz amor.
A riqueza pode ocultar uma fraqueza;
A sabedoria a remove.
A riqueza tem seus limites e Salomão reconhecia esse segredo.

Shalom.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Libertaçao do Pecado

Veja como Jesus explica a visão da fé. E quem me vê a mim vê aquele que me enviou. João 12:45. Jesus é a fotografia revelada do Pai. Ele é a materialização da realidade espiritual e a manufatura visível da invisibilidade da fé. A salvação do pecado é a confiança irrestrita em Jesus, o Filho de Deus, a origem da fé e o único que nos capacita a crer nele mesmo e viver pela fé em sua pessoa.

Aquele que crê, mediante a revelação da palavra de Deus através do Espírito Santo, que o Jesus histórico é o Cristo eterno, passou do estado pecaminoso de descrença natural, onde quer sempre ter o controle da sua vida sob controle, para o reino esclarecido da visibilidade espiritual pela fé na palavra, no qual Cristo governa todas as suas decisões. Assim, a fé é a visão espiritual em antítese ao pecado e a via da certeza em que Cristo controla a sua vida por inteiro.
Shalom

O Pecado dos pecados

Ando estudando este tema tao precioso com o Pr. Glenio.
Para Jesus o pecado é a descrença em sua pessoa e o assunto é antiqüíssimo. O primeiro pecado, na verdade, estava ligado à pessoa de Javé Elohim. O Criador do universo é denominado na Escritura de Elohim, nome que expressa uma pluralidade ou a Congregação Soberana da Trindade, a Coletividade eterna da Unidade Divina.Um dos membros deste Conselho é Javé Elohim, o Formador do ser humano e o Deus da redenção. Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente. Gênesis 2:7. A tradução, Senhor Deus, vem da expressão hebraica Javé Elohim, destacando a identidade da segunda pessoa da Trindade ou o Verbo eternal, o Filho eterno de Deus Pai.Javé Elohim formou o homem do pó da terra e o colocou no Jardim do Éden para cultivá-lo e guardá-lo, dando-lhe esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás. Gênesis 2:16-17.
Adão ouviu a palavra de Javé Elohim quando Eva ainda não tinha sido concebida. A Bíblia não diz que Javé Elohim tenha falado com Eva antes do pecado. Tudo o que ela sabia sobre a ordem divina parece vir do marido e não de Javé Elohim, pois há alguns equívocos em sua noção sobre o assunto. E agora? Estas informações imprecisas seriam idéias próprias dela ou uma comunicação confusa proporcionada pelo marido?Na conversa com a cobra, Eva não sabia quem havia dado a ordem, pois mencionou o nome de Elohim, ao invés de Javé Elohim. Ao se referir à árvore proibida fez menção daquela que está no meio do jardim, a árvore da vida. Adicionou conceitos novos, garantindo que não era para tocar no fruto. Passou o sujeito que recebeu a ordem, do singular para o plural e, omitiu da citação uma palavra chave (livremente).
A Bíblia, além disso, assegura que há uma teia ardilosa neste episódio, ao descrever: Adão não foi iludido, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. 1 Timóteo 2:14. Tudo faz crer que o engano teve como embasamento a falta de exatidão da mulher em relação à ordem divina, além da persuasão da serpente, é claro. Mas, se Eva não se encontrava devidamente esclarecida sobre o assunto, sendo ludibriada pela serpente, quem foi o responsável pelas informações que obteve? Adão não foi iludido. Ele sabia muito bem o que Javé Elohim havia dito, mesmo assim ele transgrediu a ordem. Acredito que esta desobediência vem antecedida de uma sutileza de incredulidade à palavra de Javé Elohim. Se ele tivesse crido de fato na pessoa de Javé Elohim e na sua palavra, com certeza não teria desobedecido.Ora, se Adão não foi iludido, temos que concluir que a sua transgressão foi voluntária e por incredulidade, enquanto a de Eva foi por engano. Ela foi tapeada e todos nós corremos os mesmos riscos, quando não damos crédito à exatidão da palavra de Deus.Notemos como o apóstolo Paulo trata este tema terrível com agudeza mostrando que, assim como Eva foi trapaceada, nós também podemos ser. Mas receio que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também seja corrompida a vossa mente e se aparte da simplicidade e pureza devidas a Cristo. 2 Coríntios 11:3.
Vimos, no estudo anterior, que a fé é um produto do ouvido atento à palavra do Senhor Deus. Ela não é propriamente uma visão de Deus, mas a escuta precisa e meditativa de sua voz, no escuro. A ciência cogita em demonstrar as evidências dos fatos, enquanto o fato da fé é crer na palavra de Deus, sem necessidade de quaisquer evidências. Javé Elohim fez o homem com a condição de crer na sua palavra. Adão foi o único homem com livre-arbítrio, uma vez que ele era dotado da capacidade de crer na palavra de Deus, bem como de não crer. Ora, se crer na palavra de Deus é o propósito Divino para o ser humano andar com ele, então, não crer é a essência do pecado. Alguns teólogos sérios dão esta descrição ao caso do pecado no Éden. Adão decaiu de seu estado de retidão original (status integritatis) – em que lhe era possível pecar ou não pecar (posse pecare aut posse non pecare) - e assim se tornara morto em pecado e inteiramente corrompido em todas as suas faculdades (status corruptionis) – em que não lhe era mais possível não pecar (non posse non pecare).
Ora, se Jesus está correto ao definir o pecado como sendo não crer nele, então Adão pecou quando não creu na palavra de Javé Elohim, com isso toda a sua descendência se tornou incrédula por natureza, e assim ninguém pode crer nele, sem um milagre Divino em sua vida. Uma vez que todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, Romanos 3:23, só algo sobre-humano pode levar alguém a crer em Jesus como o Filho de Deus. Crer que Jesus é o Cristo, sem dúvida, é o milagre da libertação do pecado.O ser humano que permanece no pecado é aquele que vive continuamente descrendo da palavra de Deus e descrente na pessoa de Cristo Jesus. Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso, não me dais ouvidos, porque não sois de Deus. João 8:47.
O homem no pecado está morto espiritualmente, sendo incapaz de ouvir a voz de Jesus. Ele primeiro precisa ser vivificado pelo Espírito através da pregação da palavra de Deus.Se o pecado é não crer em Jesus, sendo incredulidade radical à sua pessoa, então, todo aquele que vive no pecado, vive na condição de não posso não pecar (non posse non pecare), isto é, não posso ser senão incrédulo. Todos nós nascemos neste mundo descrentes por natureza e rebeldes à pessoa e obra de Jesus Cristo. Quem dentre vós me convence de pecado? Se vos digo a verdade, por que razão não me credes? João 8:46.O pecador é um agnóstico ranzinza em relação à palavra de Deus e um ateu contumaz no que diz respeito a Cristo Jesus. Nenhuma pessoa poderá crer em Cristo corporificado em Jesus, se primeiro não for vivificada pela pregação da palavra de Deus. A minha alma está apegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra. Salmos 119:25. A vivificação pela palavra antecede qualquer reação do defunto espiritual.A salvação do pecador começa com a pregação do pregador convicto de que Cristo Jesus crucificado e ressurreto é a única mensagem de vivificação dos mortos no pecado. Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação. 1 Coríntios 1:21.
O ser humano, morto em delitos e pecados, não será capaz de crer em Cristo Jesus como Salvador, se antes não for vivificado pelo poder do Espírito Santo, através da mensagem enfática sobre a pessoa e obra de Cristo Jesus crucificado e ressurreto. Ele é o Salvador do pecado e, portanto, o autor e consumador da fé. Desde que o pecado seja não crer em Jesus, a salvação do pecado será somente pela fé, ao crermos que Jesus é o Cristo.Todos nós nascemos em pecado, completamente incrédulos, sem quaisquer condições de crermos em Cristo Jesus como uma realidade espiritual. Nosso entendimento é tridimensional, por isso, a nossa razão requer fenômenos para podermos compreender os fatos lógicos. Tomé foi um verdadeiro cientista diante da realidade da ressurreição de Jesus: Se eu não vir em suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão no seu lado, de modo algum acreditarei. João 20:25.
Nada que seja espiritual pode ser atingido por simples racionabilidade humana. O objeto da fé não é sensível, logo ela é conflitante com nosso bom senso. Apesar dela não ser irracional, seu objeto de confiança está além dos limites naturais da racionalidade. Crer em Cristo Jesus é sair da jurisdição da descrença e entrar no estado da certeza por fé.A fé é um dom de Cristo e ninguém poderá ir a Cristo se não for trazido e ensinado primeiro pelo Pai de modo particular. Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que da parte do Pai tem ouvido e aprendido, esse vem a mim. João 6:45. A palavra instrutiva do Pai precede a reação decisória daquele que foi vivificado pela pregação do evangelho de Cristo Jesus crucificado.Antes de irmos a Cristo, pela fé, somos vivificados por meio da palavra do evangelho pregada no poder Espírito Santo e revelada através da sabedoria de Deus. O Pai nos ensina a respeito do seu Filho, e, por uma razão, além da razão, todos os ateístas iluminados pelo Espírito da verdade respondem ao chamado que foi feito antes da fundação do mundo, crendo em Jesus e se arrependendo de sua vida no pecado de incredulidade. A libertação do pecado é a alforria, pela fé, através de Jesus. Crer que Jesus de Nazaré é o Cristo de Deus é o milagre da nossa redenção do pecado. E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos. Atos 4:12.
Por que não há outro nome?Jesus é o Autor da fé e o único Salvador do pecado. Como Deus-Homem nos concede a fé para que, pela fé em sua palavra, possamos crer que é a encarnação de Deus assumindo o pecado da incredulidade humana, a fim de nos libertar da tirania das evidências na concreção da realidade espiritual. Se eu não viera, nem lhes houvera falado, pecado não teriam; mas, agora, não têm desculpa do seu pecado. João 15:22.A mente humana tem agora um grande problema: como crer em Deus na terceira dimensão? Como explicar a realidade espiritual da Divindade num corpo de homem? Se Javé Elohim falou com Adão da realidade espiritual para a realidade material, e ele desacreditou de sua palavra, tornando-se um morto para os lances espirituais, como poderá a humanidade crer agora que a matéria possa conter a manifestação plena da Divindade?O Deus Criador, absoluto e infinito, encarnado na criatura relativa, finita e dependente é a maior incoerência para os alcances da razão limitada pelas evidências, embora seja a plenitude para a sustentabilidade da confiança inabalável da fé. Se o pecado for a incredulidade relacionada à pessoa de Jesus, a salvação do pecado é a certeza de que Jesus Cristo, o Filho de Deus em carne, é a nossa vida espiritual e eterna. Veja como Jesus explica a visão da fé. E quem me vê a mim vê aquele que me enviou. João 12:45.
Jesus é a fotografia revelada do Pai. Ele é a materialização da realidade espiritual e a manufatura visível da invisibilidade da fé. A salvação do pecado é a confiança irrestrita em Jesus, o Filho de Deus, a origem da fé e o único que nos capacita a crer nele mesmo e viver pela fé em sua pessoa.Aquele que crê, mediante a revelação da palavra de Deus através do Espírito Santo, que o Jesus histórico é o Cristo eterno, passou do estado pecaminoso de descrença natural, onde quer sempre ter o controle da sua vida sob controle, para o reino esclarecido da visibilidade espiritual pela fé na palavra, no qual Cristo governa todas as suas decisões. Assim, a fé é a visão espiritual em antítese ao pecado e a via da certeza em que Cristo controla a sua vida por inteiro.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Halloween, Zumbis...

Como é que pode as pessoas se darem ao trabalho e "virarem zumbis" por um dia? Até pais com crianças fantasiadas com sangue!

Depois os crentes é que são caretas! A ignorância não tem limites!

http://g1.globo.com/VCnoG1/0,,MUL1363966-8491,00-ZUMBIS+CAMINHAM+PELAS+RUAS+DE+SAO+PAULO.html