domingo, 31 de dezembro de 2006

Se eu O buscar... Mas se O deixar...

Neste começo de 2007... quero mais o Senhor!

Deus não é difícil! Mesmo sendo alto demais, majestoso demais, santo demais, glorioso demais, poderoso demais, temível demais.

Deus não se esconde! Ele se deixa achar, se deixa encontrar. Está escrito com muita clareza: "Se [vocês] o buscarem, ele deixará que o encontrem" (2 Cr 15.2).

Talvez seja uma novidade para muita gente, talvez seja um segredo ainda não descoberto, mas, de fato, Deus é acessível! Em qualquer lugar, qualquer ocasião, em qualquer circunstância. A porta dos céus está sempre aberta. Não há necessidade de credencial, de carta de apresentação, de salvo conduto, de passaporte, de intermediários. A única dificuldade é a falta de interesse, a falta de iniciativa, a falta de vontade, a falta de coragem, a falta de sinceridade.

O mesmo texto que ousa afirmar que Deus não é difícil encoraja a iniciativa, a quebra de gelo, a busca, a procura. Numa linguagem sem rodeios o contrário de busca é abandono. Daí a clareza do texto: "Se [vocês] o buscarem, ele deixará que o encontrem, mas, se o abandonarem, ele os abandonará" (2 Cr 15.2). O verbo buscar, no sentido de correr atrás de Deus, aparece cinco vezes nesse capítulo (15.2, 4, 12, 13, 15) e em várias outras passagens das Escrituras. Uma das mais conhecidas é esta: "Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto" (Is 55.6).

Na época do rei Asa (906–878 a.C.), bisneto de Salomão, os israelitas "fizeram um acordo de todo o coração e de toda a alma de buscar o Senhor, o Deus dos seus antepassados". E, de fato, "eles buscaram a Deus com a melhor disposição; ele deixou que o encontrassem e lhes concedeu paz em suas fronteiras" (2 Cr 15.12, 15). Uma das características de Josafá (877–853 a.C.), filho de Asa, é que ele soube buscar o Senhor de todo o coração (2 Cr 17.4; 19.3; 22.9).

Mesmo sendo uma rotina que se celebra de doze em doze meses, a entrada de um novo ano sempre traz em seu bojo um desafio novo ou a renovação do desafio não alcançado no ano anterior. A firme decisão de buscar o Senhor "com a melhor disposição" poderá tornar 2007 o melhor ano de nossas vidas! Vamos enfiar dentro da cabeça e do coração que Deus não é difícil!

sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

Meditações

Terminei de ler o livro “ A Janela mais ampla de Deus”, de Devern Fromke. Uma preciosidade de um Pastor americano com muita experiência. Esse livro tem me acompanhado por uns 6 meses, e tenho compartilhado de várias histórias dele com a Igreja. Destaco alguns itens que li ontem para sua meditação:

O caráter do serviço
Meu serviço a Deus não deve ser motivado pelas necessidades que percebo em outros, nem mesmo pelos desejos do meu próprio coração. . ao contrário: meu servir deve ser em resposta clara à direção do Espírito Santo. Serviço do nosso próprio jeito, ainda que para o Senhor, não é aceitável. Aquilo que faço para Ele deve ser , antes de tudo, a resposta ao Seu próprio mover em meu coração. Deus não está à procura de voluntários que trabalhem para Ele,, ainda que isso lhes satisfaça o coração. Ao contrário, Ele busca pessoas submissas para servir-lhe de maneira a satisfazer Sua vontade.

A Vontade de Deus para nós
Nunca devemos esquecer: Deus não espera que sempre compreendamos os Seus caminhos, mas deseja que saibamos que Ele é fiel e digno de confiança.

O Fruto do nosso trabalho
É sempre muito cedo para avaliar o impacto de qualquer vida e ministério...Ao refletir no passado, lembro-me dos cinco anos de ministério que minha querida esposa, Nita, teve na índia ates de nos casarmos. Recordo os profundos suspiros que ela dava ao orarmos por aqueles que ela havia alcançado durante aqueles anos na Índia. Ela pode ter deixado a Índia, mas nunca deixou o jovem criado, Chintanman, que confiou no Senhor, e com fidelidade a serviu, e outra mocinha de 17 anos, Sushila, a qual foi resgatada do pecado de um casamento arranjado. Há muitas outras pessoas que foram para um retiro de moças cujas vidas foram tocadas por sua própria vida. Quem sabe! Somente a eternidade poderá revelar o que Deus fez por meio de sua vida derramada para Ele!!

sábado, 23 de dezembro de 2006

Quero um Natal com Jesus





Quero um Natal com Jesus. Sem preocupações com o que não posso resolver, sem sofrer com a falta de conselheiros idôneos que me cerquem, sem me sentir impotente diante de situações que se mostram maiores do que eu. Quero um Natal longe de conflitos que não cessam e distante de injustiças de qualquer natureza. Escolho um Natal com Jesus. O filho de Deus que nasceu para nós e que governa sobre todas as coisas. O que nos dá conselhos maravilhosos, o Deus que tem todo poder e que é eterno. Nele há paz sem fim, justiça e retidão (Is 9.6).

Quero um Natal longe de embates, inimizades e mentiras. Prefiro um Natal com Jesus, o Deus que nos dá da sua paz, que em nada se parece com a suposta paz que o mundo oferece. Sua paz aquieta o coração, faz calar a alma e nos aconchega em seu colo. Quero um Natal sem preocupação com roupas ou adereços para a noite de ceia. Opto por um Natal com Jesus, o Deus que me diz que não devo preocupar-me com o que vou vestir, ou em ficar bonito, mas me leva a perceber a beleza dos lírios do campo, que “não trabalham e nem fiam...” (Mt 6.28), mas são por Ele vestidos. Ele garante me vestir com uma beleza ainda maior (Mt 6.30). Destaca também que o que de fato lhe interessa é a beleza do meu coração, pois Ele “Não atenta para aparência, nem para estatura... O Senhor não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (1 Sm 16.7).

Quero um Natal sem desesperança, sem o remorso de tentativas frustradas, sem o peso de ansiedades que perturbam a alma. Prefiro um Natal com Jesus, que gentilmente nos convida a “lançarmos sobre ele a nossa ansiedade, porque ele tem cuidado de nós” (1 Pe 5.7) e ainda nos encoraja: “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus”. (Fp 4.6).

Quero um Natal como verdadeiro Metodista, cujo ensino bíblico de João Wesley nos ensina pela bíblia a condenar toda bebida alcoólica, todo palavreado fútil e toda concordância com o pecado dentro da minha casa, agindo como verdadeiro profeta de Deus por onde eu passar.

Quero que este seja um Natal diferente de todos os demais, por isso faço questão de ter um Natal com Jesus, pois “Seus preceitos são justos, e dão alegria ao coração. Seus mandamentos são límpidos, e trazem luz aos olhos. Seu temor é puro, e dura para sempre. Suas ordenanças são verdadeiras, são todas elas justas. São mais desejáveis do que o ouro, do que muito ouro puro; são mais doces do que o mel, do que as gotas do favo”. (Sl 19.8-10). Com Jesus meu Natal será fantástico, mas quero sua presença não só no Natal, pedirei a Ele que fique comigo por todo o ano.

Quero também que 2007 seja o melhor ano da minha vida, para isso sei que preciso de Jesus. Proporei em meu coração estar com o Senhor, assim Ele estará comigo. Terei a disposição de buscá-lo, assim Ele deixará que eu o encontre ( 2 Cr 15.2). Quero um Natal e todo um ano com Jesus, por isso me apresso em atentar para sua palavra que diz: “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração. E serei achado de vós, diz o Senhor” (Jr 29.13,14).

Tenhamos com Jesus, um Feliz Natal e um ano abençoado!

quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

Começando a Pensata

Bom, se Jesus estivesse aqui presente corporalmente como nós, ou o apóstolo Paulo, ou João Wesley, certamente iriam se utilizar desses expedientes modernos para edificar a Igreja, pois o tempo não pára nunca e passa rapiamente.

Então, vamos começar a pensata e crescer juntos na fé!!

Shalom!