terça-feira, 24 de abril de 2007

Buscando a Excelência

" O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem."

Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes. Da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá que se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo.

Se quiser um casamento gratificante, terá que investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo. O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem. Mas, para obter resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados.
Não compare à maioria, pois infelizmente ela não é modelo de sucesso. Se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas.Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina.

A realização de um sonho depende de dedicação. Há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica. Mas toda mágica é ilusão. A ilusão não tira ninguém de onde está. Ilusão é combustível de perdedores."Quem quer fazer alguma coisa, encontra um meio. Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa."

Texto por Roberto Shinyashiki

terça-feira, 3 de abril de 2007

Vencendo o medo de morrer

Nestes tempos de Páscoa, vamos celebrar a vida.

E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo; E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão. Hebreus 2.14-15

O diabo é a origem do pecado, e o pecado é a causa da morte. A morte tem seu domínio a partir do pecado. Desde que o pecado entrou no mundo, a morte passou a reinar. Sem pecado não haveria morte, e sem morte espiritual o homem não estaria separado de Deus. O pecado atingiu o ser humano em Adão, e toda a humanidade passou a existir sob a ação do império da morte. Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram. Rm 5.12. Desta forma a morte passou a ser um grande mal que assola a vida das pessoas, e muitas vezes interferindo na nossa conduta. O homem debaixo do pecado vive o medo da morte, e deste modo se torna marionete de seus temores, morrendo, de medo de morrer. Quando a morte triunfa o homem paga um alto tributo no seu estilo de vida. A thanatosfobia ou medo da morte é a causa de grande parte de todo o nosso comportamento.
Jesus veio ao mundo com a finalidade de tirar o pecado do mundo. Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Jo 1.29. Sendo o pecado a causa real da morte, Jesus veio tratar com a causa e os seus efeitos. Ele veio tirar o pecado do mundo e libertar o ser humano do medo da morte e do domínio do Diabo. E para realizar a sua missão, ele teve que tomar sobre si os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, a fim de receber o aguilhão da morte em si mesmo, e para destruir o que tinha o poder da morte.
Quando Jesus tomou todo o nosso pecado, tomou também todas as conseqüências decorrentes deste pecado. Se o salário do pecado é a morte, a morte teria que assumir o seu papel tirano. No momento que Jesus torna-se pecado por nós, a morte o atingiu em cheio.Contudo, quando a morte atingiu a pessoa de Jesus Cristo e tirou-lhe a vida, ela foi atingida em sua essência. A morte alcançou Jesus na cruz, mas Jesus derrotou mortalmente a morte na ressurreição. A Morte morreu! Se a morte baniu a existência de Jesus no Calvário, Ele tirou a essência do poder da morte quando levantou-se do túmulo.
Foi deste modo que o diabo, que tinha o poder da morte foi vencido por Aquele que tem a morte em seu poder. Quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último, e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo pelos séculos dos séculos; e tenho as chaves da morte e do inferno. Ap 1.17-18. O medo da morte foi eliminado pelo poder da vida. Aquele que vive para sempre nos garante segurança eterna por sua graça eterna. O resultado do pecado é morte, mas a morte do vil pecado destruída por aquele que morreu para o pecado.
Quando Adão pecou, a morte passou a governar o mundo. Mas, quando Cristo destronou o pecado, a morte perdeu o seu domínio. Porque, se pela ofensa de um só a morte veio reinar por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo. Rm 5.17. Todo aquele que já foi alcançado pelo poder da vida eterna não teme a menor ameaça da morte. Ninguém pode ter medo de um inimigo morto. Quando Jesus morreu, aquele que tinha o poder da morte achou que tinha triunfado. Mas, foi bem diferente. Foi Jesus quem matou a morte. Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.55-57.
Para os santos de Deus a morte já não apavora mais. Ela perdeu a sua força. Adão ao pecar tornou-se um morto para Deus e um mortal fisicamente. A morte espiritual foi transmitida ao seres humanos como a mortalidade física. Mas, Jesus ao vencer a morte o fez em duas etapas. A primeira, dando-nos vida eterna na ressurreição. A segunda, dando-nos um corpo imortal quando do seu retorno. Pela fé em sua Palavra recebemos os efeitos do primeiro benefício, passando a gozar de uma vida eterna em nossos corações. Pela esperança em sua Pessoa receberemos um corpo glorificado que não mais sofrerá os resultados da morte. Pois é necessário que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora, o último inimigo a ser destruído é a morte. I Co 15.25-26.
Jesus é o autor da vida e o Senhor da morte. Hoje, a morte está a serviço de Deus. A morte não tem mais o seu aspecto horripilante, mas ainda tem certo poder de separação em relação ao corpo físico. Porém, quando ele retornar em sua glória, todos aqueles que foram regenerados pela sua graça, receberão os corpos glorificados, onde a morte não poderá mais destruir. A morte física, para o cristão, significa apenas uma anestesia, enquanto troca de corpo. Deus nos lança de um corpo desgastado para um corpo imortal, por isso o cristão não precisa temer a morte. Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos. Ao som da última trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós vivos seremos transformados. I Co 15.51-52. A morte perdeu o seu reinado aqui.
Quem tem uma alma imortal conquistada pela vida eterna, confiando no poder de um Deus que venceu a morte, não pode ficar travado pelos temores de um inimigo vencido. Se a morte teve poder pelo pecado, ela perdeu seu domínio quando Jesus venceu o pecado. Para o cristão a morte é uma baixa honrosa nas batalhas da vida. A morte física não é a extinção da luz; é o apagar da lâmpada com a chegada da aurora. A morte física é o prenúncio da vida. Nós morremos para que não venhamos mais morrer. Porque é necessário que isto que é corruptível se revistada incorruptibilidade e isto que mortal se revista da imortalidade. I Co 15.53.
O Diabo gerou o pecado, e o pecado trouxe consigo a morte. Jesus morreu para o pecado e com isto venceu aquele que tinha o poder da morte. Todo aquele que crê somente na graça plena de nosso Senhor Jesus Cristo não precisa mais ficar sufocado com o medo da morte e sob a custódia do Diabo. Para o cristão a morte eterna já foi vencida e a morte física já foi transformada em um sono, até a volta de Jesus Cristo. Aquele cuja cabeça está no céu não precisa ter medo de colocar os pés no túmulo. Foi por isso que Thomas Goodwin exclamou: Ah! Isto é morrer? E eu temi como inimigo este amigo que me sorri?
Muita gente na igreja de Cristo demonstra viver com medo doido da morte. Entretanto, alguém já disse com propriedade: Enquanto você não se sentir livre para morrer, não estará livre para viver. Se a morte exercer grande pressão no seu modo de vida, o medo da morte lhe tirará todo o sabor de viver contente. Mas aquele que encara o perdão com fé pode encarar a morte com alegria. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo. Sl 23.4. Ora, se Cristo que venceu a morte me garante uma vida eterna, porque temerei morrer? Assim, os santos que morrem podem ser merecidamente invejados enquanto os pecadores que vivem podem ser igualmente lamentados.

Artigo do Pr Glenio.