quinta-feira, 26 de setembro de 2013

pequenas anotações...


Ezequiel 13.

13.20   Portanto, assim diz o SENHOR Deus: Eis aí vou eu contra vossos invólucros feiticeiros, com que vós caçais as almas como aves, e as arrancarei de vossas mãos; soltarei livres como aves as almas que prendestes.


13.21   Também rasgarei os vossos véus e livrarei o meu povo das vossas mãos, e nunca mais estará ao vosso alcance para ser caçado; e sabereis que eu sou o SENHOR.

O quê é feitiçaria?
Gálatas

5.19   Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia,



5.20   idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções,

Feitiçaria não é obra do diabo. Idolatria e feitiçaria são irmãs gêmeas.
Subir monte com saco de oração são idolatria e feitiçaria. Invólucros mentirosos.
Sal na igreja, benção dos 318 varões, andar ao redor de Jericó, e coisas semelhantes, são feitiçaria.
Tudo aqilo que suprime a suficiência de Jesus Cristo, retira a total operação da graça em Cristo Jesus, é maldito.

Ezequiel 13.20   Portanto, assim diz o SENHOR Deus: Eis aí vou eu contra vossos invólucros feiticeiros, com que vós caçais as almas como aves, e as arrancarei de vossas mãos; soltarei livres como aves as almas que prendestes.

Cristo nos libertou para a liberdade e não para ficarmos presos por esses vendilhões malditos de artigos religiosos.
Gálatas
5.1   Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.

Naquele tempo também os religiosos estavam escravizando novamente os novos cristãos com aparatos religiosos de circuncisão e ritos judaicos.
Uma liberdade em santidade:

Gálatas 5.13   Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor.

Quem não tem experiência na liberdade gosta de andar de cabresto. Quem foi livre não entra mais em alçapão. Quem foi livre não entra em arapuca.
Não queremos ser cristãos movidos pelas 5 palavras: Dever, Interesse, Medo, Culpa e Vergonha.
Andamos somente pelo amor irrrestrito  a Deus e sua graça.
 
Se quiser ouvir completo:

 

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Spurgeon ainda fala...


É um perigo ser próspero. Para o cristão, a provação da adversidade é uma  experiência menos severa do que o cadinho da prosperidade. A capacidade humana é insuficiente para carregar com a mão firme o cálice transbordante de gozo mortal; mas Paulo havia aprendido essa habilidade, pois declara: "Em todas as coisas estou  

É um perigo ser próspero. Para o cristão, a provação da adversidade é uma experiência menos severa do que o cadinho da prosperidade. A capacidade humana é insuficiente para carregar com a mão firme o cálice transbordante de gozo mortal. Paulo havia aprendido essa habilidade, pois declara: "Em todas as coisas estou instruído, tanto a ter abundância como a padecer necessidade".

 O que acontece muitas vezes é que, quando estamos muito supridos das dádivas providenciais de Deus, temos pouco da sua graça; contentes com a terra, ficamos satisfeitos sem o Céu. Com certeza, é mais difícil saber estar farto do que saber ter fome; porque a natureza humana tem uma inclinação desesperadora para o orgulho e o esquecimento de Deus. Cuide de orar a Deus, pedindo que Ele lhe ensine a "ter abundância".
Shalom.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Anda inquieto ?


Mais um Capítulo do Livro TARA NA BALANÇA... reflexões


O Caminho do Senhor

O Senhorio de Jesus Cristo

Vemos no texto de Atos 18.25 que Apolo era instruído no caminho do Senhor. Esse é um ponto positivo, mesmo sendo impreciso no caminho de Deus. Mas será que ele conhecia mesmo o senhorio de Jesus Cristo?

O domínio absoluto do Senhor é uma questão de difícil aceitação. Os discípulos de Jesus tiveram problemas com o seu consentimento do seu senhorio em várias ocasiões, como a travessia do mar da galiléia (Lucas 8.24-35).

Ele havia dado uma ordem e sabia que era irrevogável. Nada neste universo, criado pelo poder da sua palavra, teria condições de impedir o cumprimento desse comando. Aquele barco não tinha opção: ou passava para a outra margem ou não havia margem para naufragar. Por isso, a ensaboada nos discípulos. Como podiam ser incrédulos diante das palavras do Senhor do mundo?

O novo testamento faz referencias a Jesus Cristo como Salvador aproximadamente vinte vezes; como Mestre, cerca de sessenta e quatro vezes; mas ele é considerado como Senhor em mais de seiscentas e cinquenta ocasiões. Com certeza, Jesus Cristo é o único Salvador desse mundo e o Mestre dos mestres por excelência.

 

Jesus Cristo era servo por excelência

Ele é o senhor da criação que se encarnou como servo sofredor, sem, contudo, perder a sua natureza de dono universal do cosmos. Ele serviu com elegância sem murmurar ou se condoer. A mentalidade de um escravo se percebe pelo gemido. As lamentações e exigências são marcas de um estilo lamuriento de vassalagem, corrompido pela inveja da excelência, e que sempre acaba com a celebração da festa. Escravo não festeja, escravo murmura, reclama e critica. Por outro lado, o louvor faz parte da linguagem dos servos que não deixam se dominar pelos sentimentos de grandeza.

O serviço no cristianismo não é uma preferência pessoal, mas um atributo decorrente do seu Senhor. Se a atitude do Senhor está inclinada para servir, nenhum dos seus servos pode se omitir nesse mister. Ser um servo legitimo do Senhor Jesus Cristo é ser um obediente amo do serviço em favor daqueles que ele tanto ama. ( João 13.13-15)

Aquele que se encontra sob o senhorio de Cristo tem grande alegria em servir as pessoas a quem o Senhor lhe tem designado. Não há vida cristã sem serviço e não existe serviço cristão sem a alegria de servir sob a autoridade de Cristo. Já que Ele é o único senhor, todo o serviço dos seus servos deve ser executado pelo deleite de obedecer as determinações daquele que tem a preferência em suas vidas.

Quem nãos erve ao seu Senhor por amor, não serve por inteiro. Um serviço feito por constrangimento é uma labuta azucrinante que não vale a pena. Muitos obreiros na igreja fazem o seu serviço apenas por dever, por isso vivem insatisfeitos a resmungar de suas tarefas.

 

Os verdadeiros nascidos de novo obedecem

Há muitos que até chamam Jesus de Senhor, mas não lhe obedecem. Jesus Cristo não será realmente o Senhor na vida da Igreja se os seus discípulos não corresponderem, na prática, àquilo que eles dizem nas suas confissões.  (Mateus 7.21)

Se o Senhor Jesus Cristo não é o dono e governante da sua vida, você de fato não é um cristão. Richard Baxter dizia que uma pessoa cheia de si jamais poderá pregar verdadeiramente o Cristo que se esvaziou de si mesmo.  Precisamos urgentemente de um quebrantamento promovido pelo Espírito Santo no seio da Igreja contemporânea, a fim de estabelecer a postura legitima da verdadeira submissão ao senhorio de Cristo na vida de cada membro do rebanho do Senhor. Sem essa mudança de mentalidade, fica impossível a comunhão saudável dos membros da igreja e muito complicada a sua unidade.

Por isso mesmo é necessário um batismo na morte de Cristo, para que a vida de Cristo se manifeste soberana no convívio da igreja. Somente aqueles que, pela graça de Deus, foram batizados no sacrifício do Senhor Jesus Cristo podem manifestar a vida de Cristo diariamente no seu modo de viver.

Por isso ninguém pode exercer um serviço fidedigno em seu ministério, com a manifestação dos verdadeiros dons espirituais, sem primeiro experimentar o governo de Cristo em sua vida como seu único Senhor.

 

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Antes de amarrar Satanás...

1 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre os seus pés. 
São eles que o levam para o conselho dos ímpios, para o caminho dos pecadores e para a roda dos escarnecedores (Sl 1.1). Retire o seu pé do mal, da casa da mulher adúltera, do caminho largo, do altar de ídolos, da multidão dos que não servem a Deus (Pv 4.26-27).

2 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre os seus joelhos, 
para eles não se dobrarem diante do tentador (Lc 4.7), diante de Baal (1 Rs 19.18) e diante das riquezas (Mt 6.24).

3 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre as suas mãos.
Se elas o fazem tropeçar, corte-as. Pois “é melhor entrar na vida eterna sem mão ou sem pé do que ficar com eles e ser jogado no fogo eterno” (Mt 18.8, BLH). As mãos precisam ser santas (1 Tm 2.8) e precisam estar agarradas ao arado, “pois quem põe a mão no arado e olha para trás não é apto para o reino de Deus” (Lc 9.62).

4 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre o seu coração. 
Ele não pode amar outro cônjuge além do seu, outro deus além de Deus. Ele não pode amar o mundo nem o que há no mundo (1 Jo 2.15).

5 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre a sua língua. 
Ela é um mal incontrolável, cheio de veneno mortífero. Ela contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de uma vida (Tg 3.1-12).

6 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre os seus ouvidos. 
Ele não podem ouvir blasfêmias, irreverências, mentiras nem pornochanchadas.

7 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre os seus olhos. 
Se os seus olhos forem maus, o seu corpo todo ficará na escuridão. Olhos altivos, olhos de cobiça, olhos cheios de adultério, olhos que nunca olham para cima – precisam ser amarrados dia após dia.

8 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre a sua mente. 
Ela precisa ficar cativa a Cristo. Você não tem o direito de pensar a seu gosto. Você só pode pensar naquilo que é verdadeiro, nobre, correto, puro, amável e de boa fama.

9 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre seu gênio. 
Se você não suporta um revés, uma ofensa, uma crítica, uma dor – você é incapaz de viver neste mundo. Você não pode pedir fogo do céu para consumir os que não batem palmas para você.

10 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre a sua vaidade pessoal. 
A soberba é um pecado latente que precisa ser dominado. É um pecado perigoso. A desgraça está um passo depois do orgulho e logo depois da vaidade vem a queda. O problema é grave demais.

11 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre a sua incredulidade. 
Ela é um entrave enorme e uma ofensa contra Deus, pois sem fé é impossível agradá-lo. Você não pode raciocinar corretamente se não incluir os recursos da fé na revelação e nas promessas de Deus.

12 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre a sua preguiça. 
A preguiça faz cair em profundo sono e inventa mil desculpas para você não se mover. Cuidado com a preguiça mental que não o deixa ler e estudar a Palavra de Deus. Cuidado com a fé sem obras.

13 - Antes de amarrar Satanás,
amarre a sua timidez. 
O exército de Deus não recruta soldados tímidos. Eles não estão aptos para a guerra e ainda contaminam os outros guerreiros. Ouça a pergunta de Jesus: “Por que você está com tanto medo, homem de pequena fé?”.

14 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre o seu “eu“. 
Você não governa mais a sua vida. Você foi crucificado com Cristo. Assim já não é você quem vive, mas Cristo vive em você. Você não tem direitos. Convém que Jesus cresça e que você diminua.

15 - Antes de amarrar Satanás, 
amarre o pecado que habita em você. 
Deixe à míngua o apetite da pecaminosidade latente. Castigue o seu corpo e faça dele o seu escravo. Ofereça-o em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.

16 - Depois de tudo amarrado, sinta-se à vontade para amarrar Satanás, no sentido de resistir às suas artimanhas e às suas investidas periódicas.

Faça isso com a autoridade de quem já se amarrou primeiro. 
Sempre em nome de Jesus!

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O Caminho de Deus



 A Segurança daquele que anda no caminho de Deus fica evidente pela certeza de sua fé na suficiência graciosa da obra consumada por Jesus Cristo.

 

É imperioso crer que Deus se tornou homem para assumir o nosso pecado. Porém é igualmente imperativo anunciar que o homem crucificado se levantou dentre os mortos, pelo poder de Deus, a fim de se tornar o cabeça de uma nova raça. Se houve um Deus que se encarnou num homem da história, há um homem exaltado no trono de Deus. O Cristo humanado aqui na terra é o homem divino lá no céu. Cristo Jesus é Deus em pele de homem. Jesus Cristo é homem no porte de Deus.  Quando Jesus desceu à Terra não deixou de ser Deus; quando voltou ao céu não deixou de ser homem.

 

O caminho de Deus através de Cristo Jesus vai alem de sua morte em beneficio do pecador. O réu culpado pelo pecado também precisa morrer juntamente com Cristo a fim de cumprir a exigência justa exigência da lei. O profeta Ezequiel afirma: a alma que pecar, esta morrerá.

 

Todos os seres humanos são pecadores por natureza e todos estão sentenciados à pena capital. Só a morte do réu seria capaz de cumprir a rigor a lei. Por isso o maior milagre que Jesus Cristo realizou aqui na Terra foi a atração do pecador em seu corpo sobre o madeiro a fim de crucificar esse pecador juntamente com ele, dando-lhe nova vida na ressurreição. Todos os milagres acabaram aqui na terra, menos a regeneração do pecador. Jesus Cristo não é apenas um substituto para os sintomas – é a cura para a causa.

 

A justificação em beneficio do pecador é tão necessária como sua união, pela fé, naquele mesmo sacrifício. Se é uma verdade histórica que Cristo morreu em nosso lugar na cruz, é verdade teológica que nós morremos e ressuscitamos juntamente com ele. Assim como você reconhece a obra substitutiva para a sua justificação, você deve reconhecer a obra inclusiva para a sua regeneração e santificação.

 

O caminho de Deus é Cristo, e a via dolorosa de Cristo é a cruz. Ninguém poderá se tornar filho de Deus sem o novo nascimento, e ninguém nasce de novo sem primeiro morrer juntamente com Jesus Cristo. 1 Coríntios 15.36 - Seu tolo! Quando você semeia uma semente na terra, ela só brota se morrer.

Não existe nascimento sem a morte da semente. Não existe novo nascimento sem a morte do pecador por meio da morte de Cristo.

Cristo é o caminho para Deus. Ninguém poderá ir a Deus fora de Cristo crucificado. Não há atalho nem via paralela. Se omitirmos a cruz de Cristo, omitimos o caminho da redenção. Você e eu só poderemos participar do Reino de Deus se passarmos pela via dolorosa de nossa co-crucificação com Cristo.

 

Que a Presença esteja contigo.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Deus quer revelar-se

Deus Pai anela comunicar a nós a grandeza do Seu amor, comunicar Sua bondade e Sua graça. Não podemos pensar na salvação como um escape do inferno e nem tão pouco pela beleza do céu. Precisamos da revelação da parte de Deus de que, o nosso chamado vai além de nos livrar do inferno e nos levar para o céu. O supremo chamado de Deus é para que o conheçamos na revelação de Seu Filho.

shalom.

Vamos ficar quietos!

 “A pessoa que deseja viver uma vida significativa precisa deixar a “multidão” e passar mais tempo com Jesus. Porque em tempo de quietude tiramos o “mundo” dos ombros e suspendemos a necessidade de dominar e controlar todos e tudo.” Alguém disse para Richard Foster, com grande alivio: “De agora em diante, demito-me de ser o executivo do universo.”
Quando lemos os Evangelhos, com freqüência vemos Jesus se retirando da multidão para um lugar ermo para ficar a sós com Seu Pai. E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava Ele, só. Mateus 14:23. Antes mesmo de escolher os 12 discípulos, o nosso Senhor orou: Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. Lucas 6:12.
 
shalom.