terça-feira, 23 de janeiro de 2007

Testemunho Fiel


O mais novo lançamento da Editora Ultimato, O Escândalo do Comportamento Evangélico, aborda com profundidade o tema dos escândalos no meio cristão. Nas palavras do autor Ronald Sider "o comportamento escandaloso tem destruído rapidamente o cristianismo"; e mais, "os cristãos afirmam com os lábios que Jesus é Senhor, mas com os atos demonstram lealdade ao dinheiro, ao sexo e a seus interesses pessoais".

Elben César diz em seu artigo sobre o escândalo de Ted Haggard (Ultimato, edição janeiro-fevereiro 2007) que "embora o que chama mais atenção do público e da mídia sejam os escândalos sexuais, o orgulho é o pecado mais grave e é ele que abre as portas para qualquer outro escândalo". E continua: "Precisamos rever essa questão de megaigrejas e megaministérios. Tanto um como outro constroem catedrais enormes, ajuntam multidões enormes e controlam uma quantidade enorme de obreiros, o que é muito perigoso. Com raras exceções, não há mortal que, em circunstâncias assim, não acabe cedendo à tentação do poder".

E, quanto à perseguição da imprensa, não se trata de uma questão de os cristãos acharem que estão por cima do mundo, acima de qualquer suspeita e que não podem ser questionados ou investigados. Ricardo Gondim afirma que "a Igreja, como toda instituição social, precisa ser fiscalizada, cobrada e investigada. Lamentavelmente os evangélicos convivem com um espírito corporativista imenso."Gostamos de falar dos dólares na cueca do governo, mas não gostamos de falar nos dólares em capa de Bíblia. É necessário "entender a profundidade da crise, descobrir suas causas e desenvolver ações corretivas fiéis e obedientes". Que Deus nos ajude a renovar a resolução evangélica de vivermos aquilo que pregamos!

quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

Torre Forte!

No salmo de hoje encontramos conforto e motivos para agradecer ao Senhor por tudo.

Salmo 18.6
Na angústia invoquei ao SENHOR, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face. Na angústia invoquei ao SENHOR, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face.

Também em provérbios 18.10
Torre forte é o nome do SENHOR; a ela correrá o justo, e estará em alto refúgio.

Tenha o hábito de sempre ler o salmo e o provérbio do dia para adquirir Sabedoria!

Shalom!

sábado, 13 de janeiro de 2007

Confiança irrestrita!


Estava lendo ontem, dia 12, o Salmo 12 e Provérbios 12, na linguagem de hoje, e percebi a beleza de se confiar no Senhor!
Lembrei-me desta imagem, que diz tudo.
Confiar no Senhor é o segredo da tranquilidade!
Shalom!

O NOSSO LUGAR DE HABITAÇÃO

Génesis 12:1-8

Pela fé, Abraão, . . . obedeceu . . . e saiu,
sem saber para onde ia. - Hebreus 11:8


Quando Abraão tinha 75 anos, Deus chamou-o para deixar a terra do seu pai. E assim, avançado em idade, partiu para a terra de Canaã. Ele ficou desarreigado, sem lar, "sem saber para onde ia" (Hb. 11:8). Essa foi a história da vida de Abraão.A velhice traz mudança e incerteza. Significa transição de um passado familiar para um futuro incerto. Pode significar mudança de uma casa familiar para um lugar mais pequeno, para a casa de uma filha, para uma casa de repouso, para um lar - o "repouso final."
Como Abraão, alguns de nós fazemos o nossa caminhada de um local para outro, viajando sempre e não sabendo para onde vamos.Ainda assim podemos estar em casa em qualquer local de habitação, pois a nossa segurança não jaz no lugar onde vivemos, mas no próprio Deus. Nós podemos morar "no esconderijo do Altíssimo" e "ficar à sombra do Omnipotente" (Salmo. 91:1). Ali, na Sua presença, debaixo das Suas asas, achamos refúgio (v.4).
O Deus eterno torna-se no nosso lugar de habitação (v.9).Embora o nosso lugar de habitação aqui na terra possa ser incerto, Deus será o nosso companheiro e amigo até ao término dos nossos dias de jornada em que alcançaremos o verdadeiro lar - o céu. Até àquele dia, derramemos a luz da ternura de Deus sobre outros viajantes.

PARA O CRISTÃO, O CÉU SOLETRA-SE L-A-R.

sexta-feira, 5 de janeiro de 2007

PACTO DIÁRIO DA FÉ TRIUNFANTE

Neste ano, para continuar com o alvo de ser um cristão vitorioso, vou confessar pelo menos 1 vez por semana:

Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. Lucas 9:23.

A vida cristã não é uma imposição. Ninguém é obrigado seguir a Cristo, mas se alguém quiser seguí-lo, precisa renunciar a si mesmo e tomar a sua cruz diariamente. Jesus não acua as pessoas nem força quem quer que seja para participar de seu reino. Ele salva livremente os pecadores que recebem a sua graça e os convida a seguí-lo voluntariamente sob estas condições. Sendo assim, a nova criatura deve rever a cada dia seu plano de viagem, para ser mais preciso, a cada momento. Levando sempre no corpo o morrer de Jesus para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo. 2Coríntios 4:10. O pacto da fé triunfante passa pela confissão e renúncia diárias do crente.

1 - Confesso Jesus Cristo como único Senhor e Salvador de minha vida e não confio em mim mesmo nem nos outros para a salvação, pois toda a minha confiança repousa na suficiência de Deus, que me aceitou em Cristo.

2 - Confesso a verdade bíblica de que estou morto com Cristo para o pecado, e vivo para a glória de Deus. Professo o meu novo nascimento mediante a minha morte e ressurreição juntamente com Cristo.

3 - Confesso, com grande alegria, que sou filho de Deus, aceito e amado incondicionalmente, e recuso as propostas que afirmam: você tem que desempenhar a fim de ser aceito por Ele.

4 - Confesso, na base da Palavra de Deus, que o pecado não terá domínio sobre mim, uma vez que não estou debaixo da lei, mas debaixo da graça, e que não há mais culpa ou condenação do pecado para mim, desde que Cristo já satisfez toda a justiça de Deus na cruz.

5 - Confesso que todas as bênçãos espirituais me são dadas graciosamente e que sendo abençoado em plenitude, me faço participante do projeto divino de ser bênção para os outros, renunciando qualquer iniciativa de malícia ou maledicência.

6 - Confesso e creio na verdade total da Palavra de Deus e me proponho a andar nela, sem considerar os meus sentimentos, uma vez que a fé não se apóia em qualquer evidência, senão na revelação da Palavra.

7 - Renuncio todo pensamento que não se conforma com a verdade de Deus, todas as mentiras do inferno, e, pela fé, decido ocupar minha mente com aquilo que é verdadeiro, bom, respeitável, justo, puro e amável.

8 - Renuncio os sentimentos de vitimismo que nos abatem, e diante das tribulações deste mundo, manifesto meu gozo de ser participante dos sofrimentos que ainda restam na caminhada da vida cristã.

9 - Renuncio a qualquer uso incorreto do meu corpo, bem como a me conformar com a mentalidade deste mundo. Ofereço o meu corpo em sacrifício vivo e através da renovação de minha mente, dedico-o à proclamação das virtudes daquele que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz.

10 - Decido deliberadamente submeter-me a Deus e resistir ao diabo, negando-me a mim mesmo, tomando a minha cruz cada dia. Decido humilhar-me perante a poderosa mão de Deus, para que Ele, em tudo, seja glorificado, e no seu tempo, todos nós sejamos exaltados com a glória do seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.
Amém

segunda-feira, 1 de janeiro de 2007

Nosso Hino de Ano Novo

À meia noite, cantamos a velha música com letra convertida!

“Adeus ano velho!
Feliz ano novo!
Que tudo se realize,
No ano que vai nascer!

Com Jesus na sua família,
E alegria do novo viver!!”



Crente não precisa de dinheiro. Precisa de fé!