sábado, 27 de dezembro de 2008

O DILEMA DA PROATIVIDADE

A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda. Em vindo a soberba, sobrevém a desonra, mas com os humildes está a sabedoria. Provérbios 16:18 e 11:2.
O Criador é a causa não causada que tudo causa sem ter nenhuma causa que lhe tenha causado. A criatura é uma causa causada que nunca poderá ser a causa que tudo causa. O Criador pode descer até o nível da criatura sem perder a sua essência, mas a criatura nunca poderá alcançar o patamar do Criador. Javé pode tomar a dimensão do homem, porém o ser humano encontra-se impossibilitado de se tornar Deus.

Deus é o Criador. Ele criou os anjos entes imateriais e em seguida a realidade física. O homem é um ser espiritual psicossomático dirigindo-se pela via psicossocial. Na criação há um fato incorpóreo que transcende à mecânica. Mesmo a física quântica que tenta explicar a energia atômica não consegue elucidar a realidade desta vida espiritual. Lúcifer é anjo e seu pecado é ingênito, isto é, incitado e gerado por ele mesmo ao se confrontar com o Criador. Como criatura, ele não poderia ser o Criador, mas sendo uma criatura dotada de cobiça poderia desejar ser Aquele que ele nunca poderá ser. Ao se confrontar com o Criador a criatura Lúcifer desejou tornar-se Criador, originando assim uma concorrência que acabou produzindo um conflito complicado. A conspiração espiritual luciferiana teve ainda influência no mundo atômico e os seres humanos acabaram sendo atingidos pelos efeitos da rebeldia dos poderes metafísicos.

Deus é luz, e não há nele treva nenhuma. 1João 1:5b. Lúcifer é um anjo de luz que se tornou o príncipe do império das trevas. Elohim o criou cheio de luz, mas como uma criatura finita. Quando ele caiu, em razão de seu inconformismo, tornou-se a causa causada, causadora do império das trevas que obscurece a compreensão humana.
No Jardim do Éden, o primeiro casal foi confrontado com a possibilidade impossível de ser como Deus, sendo tentado nos seus desejos teomaníacos. Como ensina a filosofia da cabala, o homem é o que deseja, por isso, em vez da criatura ser apenas um reativo receptor da luz, ela passa a ser um proativo desejando ser a luz. Ora se o Criador é luz, a criatura, do mesmo modo, pode desejar ser a luz. Em termos práticos, o objetivo da tentação é transformar a criatura de uma entidade reativa em uma entidade proativa. Aquele que é o efeito pode desejar ser a causa não causada. O ser criado quer ser o Criador. Aquele que é controlado pretende se tornar controlador e o que recebe, anseia ser aquele que compartilha. Este é o objetivo final da vida proativa do receptor humano, invadido pela inveja do pecado.

A realidade da conspiração tem como propósito eliminar o Pão da Vergonha. Esta é uma expressão cabalística que demonstra todas as emoções negativas ocorridas por um sucesso imerecido. Todo aquele que, abandonado pela sorte, se vê obrigado a aceitar a caridade, está comendo o Pão da Vergonha. Mas, o que se percebe nesse jogo é a arrogância da criatura contra o repouso da graça. É o grito de independência ou sorte!

O apóstolo Paulo teve o discernimento do Espírito quando mostrou com clareza o quadro tenebroso da estratégia maligna: Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. 2 Coríntios 4:3-4.
O ofuscamento espiritual é produto do deslumbramento do ego. A venda do Príncipe das Trevas impede que o sujeito enxergue além do seu umbigo. E assim, a miopia narcisista acaba afogando o dito-cujo num poço de lama na beira da estrada. A proatividade em fazer por merecer e de ser a causa da sua própria satisfação é a semente inchada do orgulho, que surge pela comparação e se manifesta numa inveja explosiva e contrária ao Criador. Essa inveja desencadeia uma competição de onipotência aguda, gerada no íntimo da criatura inquieta ao buscar a sua independência de Deus.

Frederico Nietzsche dizia em um dos diálogos do personagem apelidado de o Homem Feiíssimo, o seguinte: - como poderei admitir a existência de Deus, se eu mesmo não for Deus também? Aqui reside o dilema da resistência proativa. O pecado é o produto da inveja que não suporta ser menos do que Aquele que é mais, maior e melhor.
A proatividade, neste caso, representa a insuportabilidade das diferenças e desigualdades, enquanto a proposta de igualdade do iluminismo testemunha de uma padronização invejosa. "Espelho, espelho meu! Quem é mais bonito do que eu?"
Se eu não sou aquele que gostaria de ser, a minha admiração se transforma numa crítica ridícula com o intuito de depreciar o outro, a fim de, quem sabe, promover-me à pose invejada. A pretensa igualdade dos desiguais é o lamento dos destroçados. Quem advoga a demolição do pináculo é sempre o fundo do vale.

A lixeira se queixa por não viver no luxo e aposta em desbancar quem ali vive. Ninguém aspira a ser a vala do esgoto, já que o partilhar igualitário é o tema de quem só ambiciona ser o cume da montanha. Destarte, a equidade torna-se - mutirão tapa buraco.
A pauta na agenda da alma rebelde é o jogo com o mais elevado. O ego foi pervertido pelo desejo de competir. O que se define como o estímulo do pecado é a energia usada para rivalizar-se com alguém em virtude das suas diferenças. Os desafios são mais intensos do que a vitória, os riscos mais empolgantes do que a certeza da conquista, pois a proatividade dá o sabor de que o sujeito em ação é o ator principal da história. O pecado propõe tornar a criatura em protagonista do drama existencial. Como atleta olímpica ela é treinada com o objetivo de merecer a conquista e erradicar, deste modo, o Pão da Vergonha. A graça é o maior insulto ao mérito. Jesus Cristo foi rejeitado como o Pão Vil de um cardápio indigesto. É triste ver a humanidade erguendo escadas para se projetar no cenário do alpinismo social.

Para os israelitas que saíram do Egito, o Maná foi considerado como um pão bolorento e desprezível. Seria a graça barata? E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito, para que morramos neste deserto, onde não há pão nem água? E a nossa alma tem fastio deste pão vil. Números 21:5.
A graça ofende a auto-estima. Ganhar sem labutar reduz a aquisição a alguma coisa detestável e dispensável. A esmola é um sinal de desdouro pessoal. Viver da caridade é um ultraje inconcebível para os nobres e esnobes deste planeta infestado de orgulho. O Maná tornou-se um prato enjoativo para os que se dizem donos do mundo.

O pão nosso de cada dia nos dá hoje é uma afronta ao merecimento. Temos que nos empenhar sempre para fazer jus às conquistas que marcham pela frente. Dizem: a herança recebida desestimula o espírito empreendedor. Ganhar de graça é algo sem graça para o soberbo que exige o reconhecimento dos seus esforços. Nada pode ser mais sem valor do que um prêmio que não veio molhado de suor e envolto em dedicação.
Quarenta anos de Maná no deserto foi um tempo longo demais para o fastio de uma geração que requeria um menu sofisticado e oneroso. Ser mendigo e receber a esmola da graça é um insulto insuportável para toda essa gente metida que prefere pagar caro pelo seu ingresso no espetáculo da plenitude da vida.

Faço parênteses: o trabalho suarento é parte da penalidade do pecado. Por causa da rebeldia adâmica todos têm que transpirar para conseguir o pão diário. Todavia, o Maná aponta para Cristo, o alimento que sacia a fome íntima de significado, dando-nos a identidade eterna de filhos de Aba. Este Pão é absolutamente gratuito. Neste mundo os afazeres são sempre afanosos, mas a carta de alforria dos escravos do pecado é de graça. Embora o progresso da vida cristã demande diligência, o título da salvação é dádiva divina. A evolução exige ânimo, se bem que apoiado pela graça. Muitos não entendem que o evangelho é uma doação de cunho familiar. Jesus veio revelar que Deus é o Pai que tem prazer em presentear graciosamente a todos os seus filhos enlameados. Veja essa pegadinha bem humorada no livro de Ester: E, entrando Hamã, o rei lhe disse: Que se fará ao homem de cuja honra o rei se agrada? Então, Hamã disse no seu coração: De quem se agradará o rei para lhe fazer honra mais do que a mim? Ester 6:6. Quanta presunção!

Hamã, que tipologicamente revela a carne, achava que ninguém deveria ser mais importante no reinado de Assuero do que ele mesmo. Assim, descreveu uma cerimônia pomposa e cheia de detalhes para a sua condecoração. Mas veja o desfecho: Então, disse o rei a Hamã: Apressa-te, toma as vestes e o cavalo, como disseste, e faze assim para com o judeu Mordecai, que está assentado à porta do rei; e não omitas coisa nenhuma de tudo quanto disseste. Ester 6:10.
Hamã caiu do cavalo. Eu também. O meu pecado me coloca numa posição de destaque. Eu sou sempre proativo em meu favor. Gosto de me estimar diante dos outros, ainda que esta atitude passe despercebida pela maioria, nunca passará desatenta a Aba. Mas esta palavra em aramaico é a denominação de Pai, revelada no evangelho da graça. Aba não é um empresário assalariando empregados suados. Do mesmo modo não é um técnico exigindo desempenho dos seus atletas para conquistar o torneio principal da temporada, a qualquer custo. Aliás, ninguém monta no cavalo porque merece.

Tudo o que acontece na vida cristã é pela graça, até mesmo o esforço. O galardão também é obra da graça. A proatividade dos filhos é patrocinada e promovida pelo Pai. A graça é que nos faz agir de acordo com os protocolos do Reino de Deus.
Na casa de Aba não há nenhum carrasco ou sargentão mantendo todos sob a pressão do medo, nem gerente insistindo pela coação do resultado. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai. Romanos 8:15.
A fé cristã é uma celebração em família e não a festa glamorosa do Oscar premiando a gente ilustre do cinema. O evangelho não é uma recompensa pelas conquistas, mas o usufruto exultante do amor incondicional do Pai. Ser uma pessoa proativa no Reino de Deus não significa ser um executivo intransigente exigindo desempenho. Crescer na graça é crescer graciosamente em Cristo à maneira Dele, por meio Dele e para Ele. Glória, pois a Ele, eternamente. Amém.
PR Glenio Paranaguá

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

A Nova Inteligencia da Burrice


Sempre ouço as pessoas desdenharem do Presidente Lula. "Não estudou? Vira Presidente!"


Independentemente da minha opinião sobre o Presidente, vejo que a marcadologia do conhecimento está produzindo uma nova tropa de pessoas emburrecidas. Considero que:


- Faculdade nao torna ninguém inteligente, nem ético;


- Conheço muitos doutores incapazes de ter um bom relacionamento;


- Conheço professores de faculdades de determinadas áreas que se alimentam de livros e internet para lecionarem;


- Se todos os doutorados e MBA's que existem hoje produzissem 10 por cento de "Lulas", o Brasil estaria bem melhor.


- Nada substitui o conhecimento e a experiencia. Muito menos a escolaridade.


Burros são os que criticam o Presidente e vão morrer na sua insignificância.


"Aquele que possui conhecimento refreia as suas palavras; e a pessoa de entendimento é de espírito sereno". Pv 17.27


Shalom!

sábado, 13 de dezembro de 2008

A Nação Divorciada

Li esta semana na Gazeta do Povo um editorial muito curioso, que nao falava de politica, economia ou violência, mas de... CASAMENTO. Leia a seguir:

Os números sobre o divórcio no Brasil – recém-divulgados pelo IBGE – bem poderiam se somar à lista de tragédias nacionais crônicas. Não é exagero. À violência nas raias de filme de terror, ao trânsito que mata mais que a Guerra do Vietnã e ao grotesco abandono da juventude – para citar apenas três mazelas que bradam os céus – bem poderia ser acrescentado o fenômeno dos casamentos desfeitos na mesma facilidade com que bananeiras dão cachos. De 1983 a 2007, período em que os índices estão computados, a taxa de separações judiciais cresceu 200%. Apenas em 2007, saltou em 44%. Foram 916 mil rompimentos de contrato nupcial em um mísero ano, fazendo soar o alerta, já que quase 50% de fracasso de qualquer coisa é um bom motivo para se dizer “pare o mundo que eu quero descer”. Não é o que acontece.

Para surpresa geral da nação, apesar dos índices, o divórcio figura entre aqueles assuntos estranhos à pauta das discussões nacionais, encontrando mais guarida nos salões de beleza e nas fofocas de repartição do que no plano das políticas públicas. Interessam os índices subsaarianos na educação, os mecanismos de corrupção dignos de uma seqüência do 007, mas não o desmantelamento da família, como se os laços afetivos não tivessem a ver com o atual estado das coisas. A “Marcha Nupcial” fica reduzida a uma trilha sonora romântica, a um sonho de menina.
Além de que, questionar o divórcio soa como caretice, um rótulo que ninguém quer carregar. Dos divorciados, que se ocupem os religiosos e os próprios interessados, até porque reza o ditado – “em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher.” E vire-se a página.

Ao limitar o casamento a uma questão de foro íntimo, contudo, subestima-se o peso que essa instituição tem sobre o tecido social. Qualquer pessoa que já tenha acompanhado um desenlace, ainda que pela fresta da porta, sabe o que significa – particularmente para os filhos. Por essas e outras, não há nada de reacionário em desejar uma sociedade organizada em torno da redução dos divórcios – e principalmente na compreensão desse fenômeno, para além da frieza das estatísticas do IBGE.
Seria um sinal de maturidade, sim, que outras organizações, além das igrejas, se ocupassem de entender por que o Brasil está se tornando uma sociedade divorciada, enfraquecida na base e fatalmente mais solitária. Os descasados estão na nossa nau dos desacertos – e passa da hora de resgatá-los.

O senso comum já o comprova – o divórcio não é, como se diz a boca-pequena, um sinal de que as amarras da moral conservadora e da tradição católica foram desfeitas, instalando a Era de Aquarius e oba. Se fosse assim, o mundo estaria melhor, merecendo um novo mandamento divino na voz de Charlton Heston: “Divorciai-vos e encontrareis a felicidade.” Não é o que vê um professor, por exemplo, ao se deparar com uma sala de aula em que 50% dos alunos são filhos de lares desfeitos.
Os traumas da separação costumam ser tão grandes ou maiores do que os causados pela convivência arisca entre os cônjuges. Não raro, a família em crise abre caminho para outros desacertos da vida. O ideal é que a rede de proteção tenha estrutura para se ocupar disso também, tanto quanto faz com a situações de drogadição, abandono ou abuso contra crianças e adolescentes.

Bom, pode-se argumentar que não faltam instrumentos para amenizar os efeitos da separação irremediável, posto que toda separação é assim pintada: antes ela do que tiros trocados sob o mesmo teto. Casais cientes dos deveres para com os filhos costumam refazer o pacto de convivência, garantindo uma transição menos traumática para o novo consórcio. Modelo que não raro se transforma na divertida fórmula “os meus, os teus e os nossos” – marca das famílias formadas por segundos e terceiros casamentos.

Qualquer arranjo civilizado é, sim, para festejar. O que não implica em ignorar os maus lençóis em que o casamento está metido desde que se instalou a crise das instituições, desencadeada com o pós-Guerra, a revolução sexual, a contracultura. Esses momentos contribuíram para a reavaliação dos costumes, mas o fizeram demonizando a família, sem dó nem piedade. Tornou-se moeda corrente identificar a casa, o pai e a mãe, e o que eles ensinam, com um cenário mofado, um retrato em sépia – o que é no mínimo injusto.

A vida não é um filme da nouvelle vague. Passados 40 anos dos ventos dos anos 60, não é difícil deduzir que os atentados à família foram o preço altíssimo pago para que se instalasse uma sociedade secularista, gerando uma contradição da qual somos hoje reféns. Ao mirar sua metralhadora nos lares, as bandeiras libertárias afogaram, ainda no berço, a fonte do fazer coletivo, dos valores, reforçando justamente o que estava combatendo – o individualismo.

Como diz o filósofo francês Gilles Lipovetsky, à desinstitucionalização da família seguiu-se a febre do consumo, as religiões à la carte, a corrida pela beleza a qualquer preço. Certos enquadramentos sociais foram aniquilados – o que teve ganhos inegáveis. Mas se abriu demais a porteira ao consumo e ao relativismo, instalando uma espécie de “revolução individualista”. O divórcio é fruto da dor da separação, é claro. Não se pode julgar os separados. Mas em larga escala, tal como se vê, só pode ser filho da intolerância e do hedonismo. Para ambos há remédio – remédio caseiro.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Um Mundo sob a água

Por ocasiao do Batismo, uma mensagem importante:
“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”. Marcos 16.15-16

Jesus determinou a ordem: fé, em seguida o batismo e então a salvação.

A palavra “salvo”, diz respeito a muito mais que pecado e inferno, ou santidade e céu. A salvação está relacionada com o kosmos, o mundo. A carne age contra o Espírito;satanás age contra Jesus Cristo; e o mundo opõe-se ao Pai, como Criador.

Hoje, então, somos confrontados por dois mundos, duas esferas de autoridade, sendo as duas totalmente diferentes e com caráter oposto. Para mim, agora, não se trata de um futuro céu e inferno; a questão está nestes dois mundos hoje, e se eu pertenço a uma ordem de coisas em que Cristo é o Senhor soberano ou a uma ordem oposta de coisas que tem Satanás como seu líder e servo.

Portanto a salvação não é tanto uma questão pessoal de pecados perdoados ou de inferno evitado. É melhor que seja visto em termos de um sistema do qual nós saímos. Quando sou salvo, faço meu êxodo de um mundo todo e procedo à minha entrada em outro. Estou salvo agora, fora daquele reino organizado que Satanás construiu em rebeldia ao próprio Deus.

Se isso é o mundo, que, então, é a salvação? A salvação significa que eu escapo dele. Eu saio, faço uma saída do kosmos que a tudo abarca. Não mais pertenço às coisas segundo padrão de Satanás. Coloco meu coração naquilo em que está o coração de Deus. Tomo, como meu objetivo, Seu eterno propósito em Cristo e caminho para aquele mundo, liberto deste.

“Aquele que for batizado será salvo”. Jesus disse exatamente o que queria. Eu dou aquele passo de fé: creio e sou batizado, e saio como um homem salvo. Isso é salvação. Portanto nunca tenhamos o batismo num conceito inferior. Há tremendas implicações nele. A questão trata de dois mundos violentamente opostos entre si e de nossa transição de um para o outro.

Em 1 Pedro Capitulo 3, o apóstolo fala sobre Noé e sua fuga deste mundo através da arca. Noé foi separado do sistema mundano construído pelo pecado. Assim Deus ordenou a Noé que construísse uma arca, que levasse sua família e animais para dentro, então aconteceu o dilúvio. Eles foram os únicos a sair de um sistema corrompido de coisas, daquele mundo sob a água. A vida pessoa é a inevitável conseqüência de sair; a perdição pessoal é permanecer, mas a salvação é a própria saída. A salvação é, essencialmente, a presente saída de um sistema condenado que pertence a Satanás. Eles saíram pelas águas.

Por isso, quando os crentes são batizados, eles passam, simbolicamente, pela água, assim como Noé passou com a arca pelas águas do dilúvio. E essa passagem significa deixar o mundo, deste sistema de coisas que está sob domínio do seu príncipe, sob a condenação divina. Deixe-me dizer isto, especialmente aqueles que estão sendo batizados hoje. Lembre-se que você não é o único que está na água. À medida que caminha para dentro dela, um mundo inteiro desce com você. Quando se levanta, levanta-se em Cristo, na Arca que cruza as ondas, mas seu mundo fica para trás. Para você, aquele mundo está submerso, afundado, como o de Noé, colocado para morrer na morte de Cristo e nunca mais será revivido. É pelo batismo que você declara: “Senhor, deixo meu mundo para trás. Tua cruz separa-me dele para sempre!”.

Minha história em Adão tem seu fim na minha morte com Cristo. Uma vez que Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, ao sair da água posso andar em novidade de vida. (Romanos 6.3).

Este duplo efeito da cruz está bem implícito nas palavras de Romanos 6.3: “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na Sua morte?”. Nesta sentença tão simples, os dois aspectos do batismo estão novamente sugeridos. É batismo em duas coisas. Primeiro, nós os que cremos, fomos batizados na morte de Cristo. Isto é um fato tremendo, mas é tudo? De maneira nenhuma, pois em segundo lugar, o mesmo versículo diz que fomos batizados em Jesus Cristo. O batismo na morte de Cristo Poe fim à minha relação com este mundo, mas o batismo em Cristo Jesus, como uma pessoa viva, Cabeça de uma nova raça, abre para mim um mundo totalmente novo. Entrando na água estou simplesmente encenando todo o processo, afirmando publicamente que o julgamento deste mundo tornou-se real para mim, desde o dia em que o “levantado” Filho do homem atraiu-me para Si mesmo.
Por Watchman Nee

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Está no deserto? Então pare de murmurar

Murmurar→ dicionário Aurélio.

1) Emitir (som leve, frouxo).
2) Dizer em voz baixa; segredar.
3) Censurar ou repreender disfarçadamente e em voz baixa
4) Dizer mal; maldizer; conceber mau juízo.
5) Falar (contra alguém ou algo); criticar.
6) Conversar, difamando ou desacreditando.
7) Produzir murmúrio ou sussurro; sussurrar.
8) Soltar queixumes; lastimar-se em voz baixa; resmungar, resmonear.


Hoje nós vamos falar sobre murmurar.
Muitas vezes quando as coisas não saem do jeito que queremos e não entendemos o propósito de Deus, começamos a reclamar, é aí que erramos, pois reclamar não vai resolver o problema, não é assim que recebemos a vitória. Lembra do povo que passou quarenta anos no deserto por causa disso? Tem gente que murmura por costume, já esta acostumado e reclamar de tudo, e de todos, nada está bom pra aquela pessoa.
Vamos entender o que acontece quando murmuramos;

*Quando murmuramos, deixamos de dar testemunho, como cristãos.
*Quando começamos a murmurar é sinal de que estamos duvidando de Deus.
*Quando murmuramos damos brecha para o inimigo, e é isso que ele quer.
*Quando murmuramos é porque a nossa fé esta fraca.
*Quando murmuramos saímos da presença de Deus, pois sua palavra nos diz claramente á respeito disso, isso não agrada a Deus.

E o que nos leva a murmurar?

*A ansiedade
*A falte de fé
*Falta de sabedoria
*Falta de esperança (esperar com paciência)
*Falta de conhecimento da Palavra de Deus.

Geralmente quando murmuramos nos esquecemos que o Deus que servimos é capaz de fazer muito mais do que pedimos, ou pensamos. Ele sabe das nossas necessidades e o que é melhor para nós, não adianta reclamar, acredite, não é a solução. Deus tem o melhor e se alguma coisa não deu certo é porque Deus não quis assim, pois tudo o que acontece é permissão de Deus, nada acontece sem a permissão de Deus.

Você se lembra da história de Jô? Perdeu tudo o que tinha ele poderia ter blasfemado como disse sua mulher, quando gritou; ?amaldiçoa este Deus e morre?. Porém Jô, não fez assim. Ele permaneceu fiel, mais do que isso, foi difícil para ele mais ele adorou ao senhor, ele adorou, é aí que está o segredo. E Deus deixou que o inimigo roubasse seus bens, Deus deixou que o inimigo o ferisse com chagas, e matasse os seus filhos. Mais ele não abriu mão de louvar ao senhor, Jô permaneceu fiel ao senhor.

Paulo e Silas na prisão, o que eles fizeram? Eles louvaram ao senhor apesar de estarem presos, acorrentados, ele não abriram mão do louvor, os outros prisioneiros os escutavam e certamente não entendiam como podiam estar cantando e por volta da meia noite, houve um terremoto tão grande que eles foram libertos, as correntes caíram, e eles saíram, foi assim que Deus os libertou, foi através do louvor.

A lição que podemos tirar disso é que devemos permanecer firmes, haja o que houver devemos louvar ao senhor, nos momentos de lutas e de vitórias, pois nosso Deus é fiel, ele cumpre o que diz e depois Jô recebeu do senhor a prosperidade.

Hoje é dia de louvar ao senhor, pois creio que grandes coisas o senhor fará por nós, mesmo que pareça difícil, mesmo que haja barreiras, lutas, adversidades, O que realmente importa é que Deus esta conosco, ele esta a nossa frente, pronto para nos guiar, pronto para nos proteger, ele é nosso pai, e assim como um pai ama seu filho e quer protege-lo ele também quer, ele também quer nos proteger, nos ajudar, o nosso Deus nos ama, ele provou isso quando deu seu único filho, para que hoje pudéssemos ser livres sem nenhuma condenação. Eu sei que é difícil não reclamar, ainda mais quando tudo parece difícil, quando parece que nada esta acontecendo, muitas vezes aos nossos olhos não vemos nada, mais nos não precisamos ver e sim crer, Deus esta no controle de tudo, deixa ele cuidar da tua vida, deixa ele fazer o melhor para você e comece também a fazer o melhor para ele, isto é, louvando, adorando engrandecendo o seu nome, em vez de murmurar vamos louvar ao nosso Deus.

Quando tudo parece difícil e sem saída , quando não há o que fazer, é aí que devemos levantar as nossas mãos para o céu e louvar ao senhor.

Entregue a tua vida aos cuidados do senhor, nós sabemos que muitas são as nossas aflições, mais o senhor nosso Deus tem poder para nos livrar, para salvar e libertar. E é difícil também não ficarmos ansiosos, é muito difícil, mais devemos descansar em Deus e confiar, basta confiar, nesse Deus que tudo pode.

Como cristãos muitas vezes somos também perseguidos mais Cristo também foi, ele foi perseguido e humilhado, mesmo assim não reclamou ele também foi fiel até o fim, e a morte não o venceu, pois ele vive e reina e esta pronto para ouvir as nossas orações, nos perdoar, nos salvar. Por isso vamos glorificar ao nosso Deus, não deixe as adversidades acabar com a sua alegria, matar a sua fé, os seus sonhos vamos adora-lo, pois é nas lutas que ficamos mais perto de Deus, é nesses momentos que podemos nos achegar, ter mais comunhão com o nosso pai, conversar com ele, sentir o espírito santo nos consolar, temos total liberdade de falar com Deus. Descansar em Deus, estar no centro de sua vontade. Mesmo se não entendermos o propósito de Deus, mesmo se não compreendermos o porque do silêncio, vamos permanecer fiéis, confiar, esperar, vamos louvar ao nosso Deus e no tempo certo nossa vitória vai chegar. Lembre-se que Deus sabe os desejos do teu coração, comece hoje a conversar com ele, e entregar o teu futuro a ele, pois nosso futuro a Deus pertence, somente a ele. E tenha uma vida de comunhão com ele. Comece a dedicar a sua vida a Deus, e quando você menos esperar você vai ver a glória do senhor.

Mesmo sem entender o propósito de Deus devemos ser fiéis a ele, pois ele sabe o que é melhor para nós, entregue a Deus tua vida, tua casa, tua família, entregue tudo nas mãos de Deus, tente não murmurar mais, mesmo que seja difícil, mais sua vida vai mudar, você vai ver.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Semeando para colher

Estas reflexões de Mike Murdock ajudam a completar o estudo postado anteriormente.
Vamos praticar.

Muitas pessoas acham errado esperar algo de Deus.
Tirar a esperança da colheita da sua Semente é roubar o maior prazer de Deus, que é ser acreditado.

Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam – Hebreus 11.6

Deus usa a colheita como uma motivação para semear. Ele e espera que você seja motivado a dar pela promessa de provisão.

Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo. Lucas 6.38

Esta é a Lei da Colheita.
Deus oferece transbordar como uma razão para você semear.

Honra ao SENHOR com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos; E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares. Provérbios 3.9-10

Note que o Senhor pinta um quadro de celeiros transbordantes para nos motivar a dar. Ele nos dá uma razão para honra-lo.

Pedro precisou de um encorajamento assim para dar a vida por Jesus.

E Pedro começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos, e te seguimos. E Jesus, respondendo, disse: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, Que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no século futuro a vida eterna. Marcos 10.28-30

O prazer de Deus advém dos atos de fé!
O seu Pai divino oferece um retorno pelas sementes plantadas, perdão para os que confessam a Cristo e ordem para o caos.

Alguém contou 470 sementes em um único mamão.se cada semente de mamão produzir um mamão, e cada um tiver 470 sementes, então um mamoeiro com dez mamões existirão 4.700 sementes.
Agora suponha que você plante aquelas 4.700 sementes para obter mais 4.700 mamoeiros. Você sabe quantas sementes cinco mil mamoeiros produziriam? Vinte e cinco milhões de sementes na segunda colheita!

Eu acredito que uma das razoes mais importantes por que as pessoas não experimentam uma Colheita sobrenatural, abundante em suas finanças seja porque elas realmente não esperam que Jesus faça o que Ele disse que faria.

07 fatos que você deve saber sobre semeadura

1- A expectativa é o que faz a semente trabalhar para você.
Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam – Hebreus 11.6


2- Espere proteção como Deus prometeu.
E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. MAlaquias 3.11

3- Espere favor de um Boaz perto de você!
Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo. Lucas 6.38

4- Espere idéias quanto a finanças e sabedoria.
Antes te lembrarás do SENHOR teu Deus, que ele é o que te dá força para adquirires riqueza; para confirmar a sua aliança, que jurou a teus pais, como se vê neste dia. Deuteronômio 8.18

5- Espere que Deus o abençoe por cada ato de obediência!
E SERÁ que, se ouvires a voz do SENHOR teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno, o SENHOR teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra. E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do SENHOR teu Deus; Deuteronômio 28.1-2

6- A semeadura afeta Deus.
Quando você semear com expectativa, sua semente ficará na frente de Deus como um testemunho da sua fé e de sua confiança nele.
Semeie esperando que Deus responda favoravelmente a todo ato seu de confiança nele. Semeie esperançosa, generosa e fielmente..

7- Quando você começar a olhar e a esperar que Deus cumpra Sua promessa, a colheita que você mais precisa há tanto tempo virá mais depressa e mais generosamente do que você já imaginou.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

ORGANIZANDO SUAS FINANÇAS




Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? Lucas 14:28.

Neste texto nosso Senhor Jesus nos alerta sobre a importância de fazermos as contas sobre as responsabilidades de segui-lo e como analogia usa a construção de uma torre ressaltando que devemos nos assentar, sugerindo uma postura de descanso e assim podermos analisar a situação antes de qualquer iniciativa para que alcancemos com sabedoria os objetivos de uma forma satisfatória. Levantaremos algumas questões sobre porque nossas finanças estão fora do prumo. O primeiro passo para ter o equilíbrio financeiro é admitir que precisa de mudança na forma que trata com o dinheiro. O mundo possui um sistema que visa o descontentamento e o total endividamento das pessoas, notemos esta frase de Blaise Pascal: "Verdadeiramente é um erro estar cheio de falhas, mas é um erro ainda maior estar cheio delas e não desejar reconhecê-las". Trataremos agora sobre 05 razões porque suas finanças são desorganizadas:


1ª - Você gasta buscando satisfazer suas necessidades interiores.
"Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura". Isaias 55:2 . Temos a comprovação pelas estatísticas que dificilmente as finanças pessoas são desequilibradas por gastos básicos, normalmente ocorrem devidos a compras supérfluas. Gastar naquilo que não é pão significa gastar em coisas que julgamos ser essenciais e na verdade são desejos e não necessidades. Há um alerta sobre trabalhar, suar para receber o salário e comprar coisas que não satisfazem, pois depois de pouco tempo aquela satisfação é obumbrada por novo desejo. Parece que a satisfação estará sempre na próxima compra. É preciso saber ouvir a palavra de Deus e se alimentar da sua verdade e se deleitar em Deus.
"Donde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura, não vêm disto,a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais e nada tendes; sois invejosos e cobiçosos e não podeis alcançar; combateis e guerreais e nada tendes, porque não pedis. Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites". Tiago 4:1 a 3.
O contexto destes versículos se refere aos pastores que manipulam os membros com sua ganância, mas creio que pode servir para pensarmos em nossos desejos de possuir coisas de maneira egoísta:
Paulo questiona o motivo das guerras entre nós e responde sugerindo serem ocasionadas pelos prazeres que tomam conta de nossa carne, nos impulsionando para possuir cada vez mais. Brota assim um sentimento de inferioridade quando almejamos e não alcançamos. Somos movidos pela cobiça e há uma impressão de estar sempre faltando algo para nos completar. A inveja toma conta da mente e nunca chegamos à suficiência. O combate é acirrado temos a nossa justiça própria bradando "eu mereço, eu preciso, eu quero". E a satisfação parece sempre distante de nós. Nossas posses adquiridas não são contabilizadas, pois sempre parece que nada temos.
Pedimos, imploramos e não recebemos, pois os pedidos são egoístas, encharcados de desejo puramente centralizado em mim mesmo. Que quadro terrível e subserviente. É a escravidão não verbalizada, é o cachorro diante da máquina que faz girar os frangos assados, a sua baba escorre pelo canto da boca sedenta de desejo, e mesmo que ganhe o que quer, no outro dia estará lá novamente como se nunca tivesse sido sustentado. Misericórdia Senhor. Provérbios 13:25 diz:" O justo come até que sua alma fique satisfeita, mas o ventre dos ímpios terá necessidades".


2ª - Você não administra seu salário.
Deus nos abençoou com inteligência para trabalhar e vivermos contentes com o nosso ganho. Vamos verificar estes textos da parábola dos dez talentos:
Antes de viajar, chamou dez dos seus empregados, deu a cada um uma moeda de ouro e disse: "Vejam o que vocês conseguem ganhar com este dinheiro, até a minha volta". Lucas 19:13
"Muito bem, empregado bom e fiel", disse o patrão. "Você foi fiel negociando com pouco dinheiro, e por isso vou pôr você para negociar com muito. Venha festejar comigo!". "Empregado mal e preguiçoso!", disse o patrão. Você sabia que colho onde não plantei e junto onde não semeei. Por isso você devia ter depositado o meu dinheiro no banco, e, quando eu voltasse, o receberia com juros". Mateus 25: 21, 26 e 27.
Deus nos capacita a trabalhar para ter nosso sustento e nos incentiva a utilizar bem do valor que recebemos de forma a dar graças. Qual tem sido nosso contentamento por aquilo que recebemos de Deus? Temos sido diligentes e hábeis no trato com nosso salário, ou o dinheiro acaba e o mês continua? O servo mal foi chamado de preguiçoso, pois não teve capacidade para fazer render o valor com que foi agraciado. Além de não conseguir poupar, muitos ainda estão tendo dificuldade para pagar suas dívidas e a esperança de um equilíbrio parece muito distante. O sonho de ganhar é acalentado como saída para a normalização, no entanto mais dinheiro ocasionará mais gastos desmedidos. O que precisamos é pedir ao Senhor que sejamos ensinados a saber administrar de maneira que gastemos de acordo com nosso ganho.


3ª - Em seu trabalho, você é negligente e é preguiçoso.
Somos aqui exortados a trabalhar sem preguiça e de maneira a honrar aquele que nos salvou.
"Eu andei pelos campos e plantações de uva de um homem tolo e preguiçoso. Tudo estava cheio de espinhos e coberto de mato, e o muro de pedras havia caído. Olhei para aquilo, pensei bem e aprendi a seguinte lição: Durma um pouco mais, cruze os braços e descanse mais um pouco; mas, enquanto você estiver dormindo, a pobreza o atacará como um ladrão armado". Provérbios 24: 30-34. Qual o futuro de alguém que gasta o que ganha para comprar o que não satisfaz, não administra o salário e ainda é preguiçoso? O texto fala de tolice e preguiça, narra o desleixo do indolente. Sua paixão é usufruir o melhor com o menor esforço, quer levar vantagem em tudo que faz. Julga-se muito esperto. Em Provérbios 26:16 descobrimos isto: "Mais sábio é o preguiçoso a seus olhos do que sete homens que bem respondem". Porém, não sabe que enquanto trabalha com mão remissa, virá sobre ele a pobreza, isso é se já não chegou, levando em conta que não consegue pagar suas contas e vive reclamando de sua condição e colocando a culpa no governo, na mulher e no patrão. Temos em nossa comunidade alguns empresários que decidiram não empregar "crente", alegam que são preguiçosos e cheios somente de direitos e dos deveres sempre esquivam-se.
Como ser prósperos sem ser diligentes. Temos ainda em Provérbios 26:13- "Como a porta se revolve nos seus gonzos, assim é o preguiçoso, na sua cama". O empregado preguiçoso é sempre murmurento , descontente e criador de divisão no ambiente de trabalho.


4ª - Você acumula-se de contas e dívidas.
Não bastasse os itens tratados acima é movido pelo gasto desenfreado sem lastro, e usa os expedientes das compras á crédito para ser estimado.
"Ai daquele que multiplica o que não é seu (até quando!) e daquele que se carrega a si mesmo de dívidas! Não se levantarão de repente os que hão de morder? E não despertarão os que te hão de abalar? E não lhes servirás tu de despojo? Ai daquele que ajunta em sua casa bens mal adquiridos, para pôr o seu ninho no alto, a fim de se livrar da mão do mal!". Habacuque 2:6,7 e 9. Ajuntar em casa bens mal adquiridos, pode sugerir que compramos bens que nunca foram da vontade de Deus e que são só para alimentar nosso desejo de amealhar como forma de acalmar a ansiedade do consumismo.


5ª - Você não dizima e nem oferta para o Reino de Deus.
Com todo este diagnóstico desfavorável com certeza na hora de contribuir com o Reino de Deus a mão está vazia.
Eu pergunto: "Será que alguém pode roubar a Deus?". Mas vocês têm roubado e ainda me perguntam: "Como é que estamos Te roubando?" Vocês Me roubam nos dízimos e nas ofertas. Malaquias 3:8. Como ser dizimista fiel se incorremos em vários erros na estratégia financeira. Como ser liberal como diz o Salmo 112 :9 se não conseguimos saldar nossos compromissos terrenos. Por isso é mais fácil crer que o dízimo é ordenança do Velho Testamento. Leia o que escreveu Antonio Carlos Barro: "Nas igrejas evangélicas uma média de 35% dos membros são fiéis a Deus nos dízimos. Ou seja: de cada três membros escritos no rol, apenas um é dizimista".
Ao consagrar o seu dízimo, o fruto das primícias no altar, o cristão está demonstrando com este ato o quanto ele tem um coração agradecido a Deus por tantas bênçãos recebidas. Ele que tudo sabe o que recebeu do seu Senhor veio como um ato de bondade para a sua vida. Assim demonstra sua gratidão trazendo os primeiros frutos ao Senhor. Notemos que são os primeiros frutos e não os últimos. Observemos ainda este precioso texto sobre a importância de contribuir com alegria:


Gustavo Cerbasi declarou: "Se sua crença determina o pagamento do dízimo, você deve assumir o mesmo compromisso consigo mesmo". Ou seja, dê 10% economize 10% e viva com 80%. Este mesmo principio ouvi do Pr. Antonio Abuchaim.Para finalizar deixamos este alerta amoroso da palavra do Pai: "Quem tenta esconder os seus pecados não terá sucesso na vida, mas Deus tem misericórdia de quem confessa os seus pecados e os abandona". Provérbios 28:13. Deus não leva em conta os tempos da ignorância, porém, quando temos a revelação da verdade , precisamos por em prática aquilo que ouvimos, com certeza o que foi tratado aqui é para que cheguemos diante de Deus e confessemos nossas culpas por viver longe da vontade Dele em nossas finanças e deixemos o senhorio de Cristo nos levar a ter uma vida de obediência a verdade e contentes pela libertação plena do amor ao dinheiro.

Por: Valdir Flora Batista

domingo, 16 de novembro de 2008

Um artigo legal da Célia Leão


Chique é ser simples!


Você já reparou como é chato aquele tipo de gente que conhece um determinado assunto e, basta uma mínima chance, lá está ele, tecendo uma verdadeira tese acadêmica, sem que ninguém tenha perguntado? É duro. E, depois de um tempo, a pessoa acaba ficando com fama de espalha-roda, que chega às rodinhas e cada um vai para um lado.


Nesse mesmo time, temos os viajantes exibidos, é só pintar uma brechinha e lá está a pessoa falando sobre o trânsito das cidades italianas, a cor do mar da Grécia, os belos parques londrinos ou o fascinante estilo nova-iorquino de viver e de se vestir. Se ele pensa que isso contará pontos em sua carreira ou fará com que as pessoas o enxerguem como uma enciclopédia ambulante, está enganado.


Cultura e erudição são, sem dúvida, instrumentos que podem fazer você crescer aos olhos do grupo do qual faz parte. Mas só se todo esse conhecimento mostrar seus resultados práticos em seu comportamento. Você é culto e viajado? Muito legal, mas guarde para siAcho louvável que o conhecimento e a cultura sejam compartilhados — quando solicitados. Não de forma gratuita e chata, como vemos. É muito indelicado subestimar a capacidade e a sensibilidade de quem convive conosco.


Sinto no ar quando a intenção é a de ajudar e quando a pessoa quer mesmo é se exibir. Da mesma forma, os quilômetros rodados ao redor do mundo e o número de passaportes que alguém tem ampliam a maneira de ver a vida. O problema é quando se faz das viagens um instrumento de busca de status. Seja sensível: nem todos têm as mesmas possibilidades. Empresas estão, sim, à procura de profissionais com perfil internacional, de pessoas cultas e com conteúdo.


Mas, para qualquer que seja o cargo, é sempre mais adequado alguém que prime pela discrição, por uma postura sensível e um estilo simples e descomplicado de ser e de interagir. Assim, siga investindo em cultura, viaje mesmo todas as vezes em que as chances baterem à sua porta. E fique na sua, porque estrelas são bonitas, mas ficam melhor quando estão no céu.

Jesus se Importa

Você já teve o sentimento de que Jesus não se importava com os seus problemas?

Texto: Mateus 8: 23-26

Muitas vezes, ao longo da vida, somos pegos de surpresa por situações inesperadas; a surpresa, muitas vezes, nos deixa sem saber o que fazer, isso gera ansiedade; ficamos ansiosos a procura de uma solução para o problema. Como estamos ansiosos podemos achar que os outros não se importam com o nosso problema, não dão a devida atenção a ele.
Muitos têm esses sentimentos em relação a Deus. Acham que Ele não se importa com os seus problemas, ou que não dá a devida importância a eles. A Bíblia nos mostra que isso não é verdade. Tanto Deus, como seu filho Jesus Cristo, se importam conosco.
Jesus se importa conosco.
Os discípulos estavam com medo de morrer, pois foram pegos de surpresa por uma grande tempestade no mar. Quando a tempestade chegou Jesus estava dormindo, acordaram a Jesus e pediram que os salvasse. Jesus rapidamente acalmou a tempestade.
Quando procuramos a Jesus, Ele sempre se move para nos ajudar. Ele sempre responde. Jesus nunca deixa ninguém que vá a Ele sem resposta. Ele se importa conosco.


Precisamos confiar em Jesus.
Muitas vezes Jesus não vai resolver nosso problema da maneira que imaginamos. Imaginamos que Ele vai fazer de uma maneira e a solução é outra. Os discípulos imaginaram várias coisas naquele dia da tempestade, menos que Jesus acalmaria a tempestade falando com o vento e com o mar.
Se preocupe em buscar a Jesus, em chamar a atenção Dele; entregue seu problema a Ele e confie. Não se preocupe em como Ele vai resolver, somente confie.

Se certifique de estar no barco certo.
Mateus 8:23 diz que os discípulos seguiram a Jesus para o barco. Eles foram salvos da tempestade porque estavam no barco de Jesus. Muitos dos nossos problemas são conseqüência de estarmos em “barcos errados”. Para resolver esses problemas o que você precisa fazer é mudar de barco. Muitos querem que Deus resolva os problemas que são conseqüência de uma vida de pecado sem deixarem o pecado; impossível. Largue o pecado, siga a Jesus e aí então você verá as suas tempestades sendo acalmadas por Jesus.
Mude de “barco”, siga a Jesus Cristo.

As tempestades da vida tem pego o seu “barco”? Gostaria de contar com Jesus para acalmar essas tempestades? Quer confiar em Jesus Cristo, entregar sua vida e seus problemas a Ele? Quer seguir a Jesus Cristo?

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Quando o Desânimo Chega

O que você faz quando algo não acontece como espera?

Texto: I Reis 19:4-10
Isaías 40.18-31


Experimentamos ao longo da vida várias situações, algumas nos trazem alegria, outras tristeza; algumas nos trazem descanso, outras desgaste; mas existem algumas situações que tiram completamente o ânimo de continuar.
É o que acontece com Elias, chega a um cansaço tão grande que desanima e resolve desistir da vida. Você já chegou a esse ponto? Já passou por isso?
Como enfrentar tal situação? Como em tudo temos a opção de resolver a nossa maneira ou a maneira de Deus, o texto de I Reis 19 nos mostra como enfrentar essa situação à maneira de Deus.


1) Descanse ( I Rs.19:5)
Descanso não é só físico, podemos descansar fisicamente e continuar abatidos, desanimados. Elias só descansa quando desiste, se rende.
Se quisermos descansar verdadeiramente precisamos nos render a Deus. Confiar e desistir de tentar a nossa maneira para fazer a maneira Dele.
Quer descansar? Renda-se a Deus.


2) Alimente-se ( I Rs.19:6)
O que nos sustenta fisicamente é a comida; mas o alimento para a alma e o Espírito é a Palavra de Deus (Jr.15:10 e I Pe.2:2). É o conhecer e obedecer a Bíblia que nos fortalece para enfrentar as situações de desgaste (João 4:34)


3) Volte a agir ( I Rs.19:7-8)
Mas faça as coisas à maneira de Deus e não a sua. Aprenda com Deus pe ponha em prática o que aprendeu. Mude a sua vida de acordo com os ensinamentos da Bíblia.


Não há como evitar o desgaste, mas podemos evitar o desânimo planejando a renovação. Como? Rendendo-nos a Deus, conhecendo Sua Palavra e a obedecendo. Fazendo as coisas a maneira de Deus e não a nossa.
Shalom!

sábado, 25 de outubro de 2008

Situações Inesperadas


" O Tamanho do seu inimigo determina o tamanho das suas recompensas"

" Lutas sempre cercam o nascimento de um milagre"
Mike Murdock

Se você se sentiria se soubesse que estaria sendo perseguido por alguém? Hoje temos tido muitos golpes pelo telefone.

Texto: Salmo 112 - II Reis 19:10-19

Introdução:
Muitas vezes na vida recebemos notícias inesperadas. Algumas delas nos abalam, nos deixam paralisados, chocados, saber como reagir. Existe até um ditado popular para esse sentimento: se correr o bicho pega se ficar o bicho come.
No texto que nós lemos Ezequias, rei de Israel, também recebe notícias inesperadas e desagradáveis. O rei da Assíria escreve uma carta ao rei Ezequias dizendo que ia chegar e destruir tudo; escreve que os deuses das outras nações não puderam com o exército assírio, por isso de nada adiantaria se refugiar no Deus de Israel.
Ezequias lê a carta, se intera das notícias, pega a carta e leva ao templo do Senhor, e ora.
O que precisamos saber.

1) O inimigo sempre vai tentar te amedrontar.
De repente uma situação inesperada surge, um problema enorme, e você não sabe o que fazer e teme. O diabo lança pensamentos de desânimo e questionamento para desafiar a tua fé. Sempre alguém vai te dizer, você já fez isso e aquilo, não adianta ir à célula que Deus não vai te ouvir; tanta gente boa e você acha que Deus vai ouvir você. O rei Senaqueribe tentou fazer isso com o rei Ezequias (versículos de 10 a 13)

2) Reconheça que precisa de ajuda.
Ezequias reconheceu que ia ser derrotado e precisava de ajuda.
Nós temos dificuldade de reconhecer que precisamos de ajuda, nosso orgulho precisa acabar; até hoje você governou sua vida, e olhe como ela está? Podia estar melhor?

3) Busque ajuda no lugar certo. Busque ajuda com a pessoa certa.
Ezequias pegou a carta e foi ao templo, e apresentou diante de Deus.
Você veio aqui na célula, o lugar certo, agora você precisa ir a pessoa certa, Jesus.
Pegue tudo que o inimigo tem usado para tentar te amedrontar, te fazer desistir e coloque diante de Jesus. Imagine uma carta que o diabo escreveu para você dizendo: vou acabar com você, já derrotei outros melhores que você, você acha que alguém como você conseguirá ter vitória? Quando você vai a Jesus você obtêm vitória.

Conclusão: Vá a Jesus. Creia Nele.

Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. (João 6 : 37)

Leve a Ele suas necessidades e seus temores. Receba-o hoje como seu Senhor e Salvador. Não seja vencido pelo inimigo. Você quer ter vitória contra o inimigo? Ele tem procurado te amedrontar? Siga Jesus.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Benefícios do Respeito a Deus

Quebra-gelo: Para você a palavra temor ou temer significa o quê?
Texto: Salmo 25:12-15

Na língua portuguesa existem significados diferentes para a palavra temor. Ela pode significar medo; pode significar pontualidade ou zelo; e também pode significar respeito ou sentimento de reverência.

Quando a Bíblia fala que devemos temer, ter temor, a Deus, ela está dizendo que devemos respeitá-lo. A Bíblia ensina que precisamos aprender a respeitar a Deus.
Demonstramos respeito a Deus quando damos atenção ao que Ele diz; quando fazemos o que o agrada e quando deixamos de fazer o que o desagrada (deixamos o pecado). Precisamos aprender a respeitar a Deus e demonstrar isso na prática.

A Bíblia fala que aos que respeitam a Deus (o temem):

1)Ele dará a direção que devem seguir (Salmo 25:12).
Deus mostrará o caminho a seguir. Eles não ficarão sem saber a vontade de Deus, sem saber que decisão tomar. Tem te faltado direção em alguns momentos? Aprenda a respeitar a Deus.

2)A alma repousará na prosperidade (Salmo 25:13).
Sua alma e sua vida serão prósperas se você aprender a respeitar a Deus. Muitos, mesmo conhecendo a Deus, continuam aprisionados por sentimentos negativos (raiva, ira, depressão, tristeza, sentimento de rejeição, preocupações, cansaço, etc.). Sua vida e sua alma não são prósperas? Aprenda a respeitar a Deus.

3)Eles serão próximos de Deus (Salmo 25:14).
Aquele que respeita a Deus conhecerá mais sobre Deus e Sua vontade do que outros. Essa pessoa será conhecida como amiga de Deus. Quer ser próximo de Deus? Aprenda a respeitá-lo.

4)Ele os protegerá e livrará (Salmo 25:15).
Quer ter a Deus como protetor? Aprenda a respeitá-lo, pois quem respeita a Deus terá.

Conclusão: Você tem tido dificuldades para respeitar a Deus? Tem tido dificuldades para dar ouvidos ao que Deus diz? Tem tido dificuldades para deixar de fazer as coisas do seu jeito, obedecer a Deus e fazer Sua vontade? Tem tido dificuldades para deixar o pecado? Quer aprender a respeitar a Deus de verdade?

Shalom!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Cuide do seu dinheiro.

As armadilhas do cheque especialTaxa média de juros bancários desse tipo de crédito pré-aprovado subiu para mais de 9% ao mês


São Paulo- A taxa média de juros bancários para o cheque especial, crédito pré-aprovado que os bancos colocam à disposição dos clientes, subiu para 9,02% ao mês em setembro. A alta foi de 0,05 ponto porcentual em comparação com agosto, quando era de 8,97% ao mês. De acordo com a pesquisa mensal de taxa de juros para pessoa física da Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP), esse comportamento de alta vem sendo registrado desde janeiro e, até setembro, o aumento corresponde a 0,81 ponto porcentual.
Segundo o levantamento, a menor taxa de cheque especial é oferecida pela Caixa Econômica Federal (7,98% ao mês), enquanto a mais alta é a do Safra (12,30% ao mês). As altas na taxa em setembro, na comparação com o mês anterior, foram verificadas na Nossa Caixa, Banco do Brasil e HSBC. Os outros sete bancos pesquisados mantiveram suas taxas para a modalidade. Já no caso do empréstimo para pessoa física, a taxa média dos bancos ficou em 5,76%, o que corresponde a um aumento de 0,07 ponto porcentual em relação ao mês anterior (5,69%). A trajetória de elevação, que teve início em abril, totaliza uma alta de 0,40 ponto porcentual até setembro. As altas apuradas na comparação com agosto foram decididas pelo Banco do Brasil e Nossa Caixa. As outras oito instituições financeiras mantiveram inalteradas suas taxas de empréstimo.
A menor é a aplicada pela Caixa Econômica Federal (4,49%) e a mais alta é a praticada pelo Itaú (6,64%). A pesquisa de juros para pessoa física do Procon-SP considerou as taxas do Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco no dia 2 de setembro. Para o levantamento, foi estipulado o período contratual de 12 meses. Os dados coletados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não preferenciais. Para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias. Na reunião de quarta do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, a taxa Selic subiu 0,75 ponto percentual e atingiu 13,75% anuais.
O Procon recomenda que o consumidor faça um planejamento criterioso do orçamento antes de adquirir um bem móvel ou imóvel e de contratar um financiamento

Calote sobe 6,6% neste ano, diz SerasaPara os próximos quatro meses, comportamento da inadimplência dependerá do impacto dos juros, da inflação e do grau de endividamento do consumidor

São Paulo - A inadimplência dos consumidores cresceu 6,6% de janeiro a agosto de 2008, na comparação com o mesmo período de 2007, segundo pesquisa da Serasa. Na comparação de agosto deste ano com igual período do ano passado, a expansão foi de 4,8%. O índice registrou queda, no entanto, em relação a julho deste ano, de 5,2%.
De acordo com os técnicos da Serasa, a inadimplência do consumidor no acumulado de janeiro a agosto de 2008 em relação ao mesmo período de 2007 atingiu 6,6%, bem acima do verificado entre o acumulado de janeiro a agosto de 2007 ante 2006, quando foi registrada uma queda de 1,1%. Para o restante do segundo semestre, o comportamento da inadimplência dependerá do impacto dos juros sobre o crédito, da inflação e do grau de endividamento do consumidor. A concessão de crédito, por parte do varejo menos organizado, também precisa melhorar. As dívidas com os bancos mantiveram a liderança do ranking de representatividade da inadimplência dos consumidores, com 43,2% de participação no indicador entre janeiro e agosto de 2008. No acumulado de janeiro a agosto de 2007, esta representação foi de 38,7%.
Cartões de crédito e financeiras representam o segundo maior peso nas dívidas dos consumidores, com índice de 32,5% nos oito primeiros meses deste ano, a participação dessas dívidas na inadimplência dos consumidores foi de 32,5%. No mesmo acumulado de 2007, a representatividade foi de 30,7%. Em seguida, com peso de 22% na inadimplência das pessoas físicas até agosto de 2008, estão os cheques devolvidos. No acumulado do ano, os cheques sem fundos representaram 27,9% da inadimplência dos consumidores. Fechando o ranking estão os títulos protestados, com participação de 2,3% no indicador de janeiro a agosto de 2008, percentual menor que os 2,6% obtidos no mesmo período de 2007.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Uma ferramenta importante



Depois de anos orientando centenas de famílias sobre o bom uso do dinheiro, cheguei a uma conclusão: a renda mensal da maioria dos brasileiros é sufi ciente para manter seu padrão de vida. Mesmo assim, a grande parte das pessoas das classes B, C e D está endividada.Curiosamente, o dinheiro que falta na conta não foi verdadeiramente consumido.


Em geral, costuma estar parado em algum tipo de estoque do endividado. Se você está entre os que de vez em quando entram no vermelho, faça uma experiência. Estime quantos reais existem parados em produtos na dispensa de sua cozinha. Some esse valor aos reais que estão parados no tanque de combustível de seu carro. Vá até seu guarda-roupa: quantas peças de roupas você nunca usou? Quanto elas custaram? E o que dizer de livros não lidos, DVDs não assistidos, eletrodomésticos nunca utilizados?



"Se você quer gastar menos, compre para usar, não para ter."


Temos no Brasil o hábito de comprar para ter, e não para usar. Aprendemos a estocar nos tempos de infl ação, mas a atual inflação não justifica esse comportamento! Se tivéssemos o costume de comprar com mais freqüência e em quantidades menores, estaríamos fazendo um favor para nosso bolso, evitando entrar no vermelho, e para o comércio, diminuindo a sazonalidade das vendas.



Outro importante hábito a ser conquistado é dar mais qualidade a nosso consumo. Pensar duas, três, quatro vezes antes de adquirir aquele item dos sonhos. Que tal entrar em um leilão virtual e vender aquela batedeira que você só usou uma vez? Em minha estatística pessoal, os aparatos campeões de ócio costumam ser cafeteiras, enciclopédias, kits para churrasco e as maravilhosas peças de decoração que ganhamos no casamento e que não cabem na cristaleira da sala. Que tal se desfazer dos estoques e dar um fôlego no orçamento, ou então usar o recurso da venda para se presentear com uma viagem?


A regra básica para enriquecer é gastar menos do que se ganha e investir com qualidade a diferença. Perceba que a regra começa com o verbo gastar. Gaste, portanto, com mais qualidade, para gastar menos.

Mãos à obra!!


Por Gustavo Cerbasi

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

O Ministro Fora do Comum

Mike Murdock

1
Conheça bem a sua Bíblia

A Palavra de Deus é a sua Vida.
O ministro fora do comum deve cultivar uma obsessão por compreender a mente de Deus, revelada em Sua Palavra.
A opinião de Deus sobre tudo está revelada na Bíblia.

4 chaves que nos ajudam a conhecer a Bíblia:

1- A Bíblia é o seu livro de sabedoria, não seu livro de sermão
2- Leia a Palavra de Deus diariamente. O Hábito o levará mais longe que o desejo. Grandes líderes espirituais tinha obsessão pela Bíblia.
3- Personalize sua Bíblia marcando os textos que impressionam você. Escreva nela!
4-Estabeleça um sistema diário para leitura da Bíblia.

Conheça sua Bíblia.


2-
Encoraje seu rebanho a encontrar e a cumprir seus propósitos.

Lembre-se diariamente que seu dever como um ministro de Deus é o de pôr seu povo em contato com seus deveres aqui na terra.


3-
Não negligencie os mais chegados a você.

Seu verdadeiro ministério começa com aqueles mais próximos a você. Foi por isso que Jesus levou Seus discípulos para longe da multidão. “voltaram os apóstolos à presença de Jesus e lhe relataram tudo quanto haviam feito e ensinado. E ele lhes disse: vinde repousar um pouco, à parte, num lugar deserto; porque eles não tinham tempo nem para comer, visto serem numerosos os que iam e vinham”. (Marcos 6.30-31).


4-
Sempre revise e atualize as metas do seu ministério.

Invista uma hora para escrever claramente as coisas que realmente são importantes para você neste momento.

Vou colocando os demais...Shalom!

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Uma carona na mensagem do Bispo

Domingo compartilhamos sobre a importancia de Deus tratar nosso caráter na área da generosidade.
Dar não é apenas uma resposta à necessidade de uma pessoa, de uma família ou da igreja. É uma resposta de gratidão.

Dar: Doação; Amor e Resposta!

Rock Hudson estrelou num antigo filme chamado “The End”. Naquele filme ele está navegando no oceano num pequeno navio, no meio de uma tempestade. O navio afunda e Hudson tem que nadar em direção à praia. Mas o trajeto é longo. Quando começa a nadar ele fala com Deus e diz: “Senhor, se o senhor me tirar dessa, eu dou metade dos meus bens aos pobres”. O tempo passa. Ele vai nadando, ainda se sente com forças e já começa a ver as luzes da praia. Então ele ora novamente: “Se o senhor me ajudar a sair dessa eu dou 30% dos meus bens aos pobres”. Continua nadando, sente que ainda tem forças e ora: “Senhor, se me ajudares, dou 10% dos meus bens”. Finalmente, mesmo cansado, ele sente que vai conseguir chegar á praia. Então ele ora: “Bem, Senhor, vamos esquecer o nosso trato. Acho que eu consigo sair dessa sozinho mesmo”. Essa atitude é parecida com a de muitas pessoas nos nossos dias. Dar para Deus, viver para Deus ou dar para os que têm mais necessidade, parece ser confundido com “pagar uma conta” ou “cumprir uma obrigação”. Nada mais que isso. Qual deveria ser nossa atitude com relação ao ato de dar? Qual deveria ser a atitude apropriada para o povo de Deus com relação a dar?

1. Precisamos entender que DAR é um ato de adoração. É um ato de culto: Dar é uma expressão de gratidão a um Deus fiel por toda a sua bondade para conosco. Dar não é apenas uma resposta à necessidade de uma pessoa, de uma família ou da igreja. É uma resposta de gratidão. Lembra da mulher que derramou o perfume nos pés de Jesus? (João 14.6-8). Ato de culto!

2. Precisamos entender que DAR me ajuda a perceber onde meu coração está: Dar me ajuda a perceber qual é o meu verdadeiro tesouro. Lembra-se do jovem rico? Jesus lhe perguntou se já seguia os mandamentos. Ele respondeu que sim. Então Jesus lhe disse: “Vá vende tudo o que tem, dê aos pobres, e terá um tesouro no céu. Então, vem e segue-me” (Mateus 19).
Quando o jovem ouviu isso, saiu triste, porque possuía muitos bens. O que Jesus está tentando ensinar a esse jovem é que se a riqueza o possuía, então ele não poderia herdar o reino. Na verdade o Reino precisa nos possuir. Deus não é dono de apenas 10% da minha vida. Ele é dono de tudo. Jesus disse: “De graça recebeste, de graça daí” (Mateus 10.8). A questão não é se eu tenho que literalmente dar tudo o que eu tenho. A questão é se eu reconheço que Deus é o dono incondicional do que eu possuo Muita gente queria seguir a Jesus. Alguns foram descartados por ele. Jesus sabia que seus corações estavam em outro lugar. A raposa tem seus covis e os pássaros seus ninhos, mas o filho do homem não tem onde reclinar sua cabeça”. Alguns que ouviram isso, desistiram de segui-lo.
Pedro um dia disse: “Deixamos tudo e te seguimos”. Jesus respondeu: “ninguém que tenha deixado casa, esposa, irmãos ou pais ou filhos por minha causa e pelo reino, deixará de receber 100 vezes mais nesse século, com perseguições e, no futuro, a vida eterna”.
Compromisso sem reservas resulta em bênçãos sem reservas. Se nos abrimos totalmente para Deus, ele se abre totalmente para nós. Lembra da história do homem que falou consigo mesmo: “Que farei? Construirei celeiros maiores”. Deus disse: “Louco, essa noite te pedirão a tua alma...” (Lucas 12.19-21).
Também não podemos nos esquecer de que: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto, do pai das luzes” (Tiago 1.17). DAR nos liberta da escravidão do egoísmo e do materialismo!


3. Precisamos entender que DAR é um indicador do quanto confiamos em Deus:
“Sem fé é impossível agradar a Deus, por que todo o que vem a ele deve crer que ele existe e que é o galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11.6).
Como cristãos recebemos a certeza de que Deus sabe das nossas necessidades e delas cuida. Jesus disse: “Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?” (Mateus 6.30).
Quase tudo que a Bíblia fala sobre dinheiro é negativo. Mas quando fala sobre DAR o dinheiro, é sempre positivo: “Mais bem aventurado é dar do que receber” (Atos 20.35). “Cada um deve decidir em seu coração dar, não relutantemente nem por constrangimento, porque Deus ama ao que dá com alegria” (II Coríntios 9.7). João Wesley desafiou os primeiros metodistas da seguinte forma: “Ganhe o máximo que puder, economize o máximo que puder, dê o máximo que puder”.
Jesus disse: “Não amontoem para si tesouros na terra onde a traça e a ferrugem corroem e onde os ladrões escavam e roubam. Mas amontoem tesouros no céu...”. Esses desafios continuam valendo para nós cristãos e metodistas do século XXI.
Shalom!

domingo, 17 de agosto de 2008

Um ótimo artigo


Eugenio Musak, um colunista da revista Você S/A, escreveu este ótimo artigo que me lembrou muito o versículo:

Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. (João 6 : 68)


O melhor lugar do mundo

É aquele em que você usa seu talento para ser ainda melhor


Quando eu era pequeno costumava perguntar aos adultos qual era o melhor lugar do mundo. Ao conhecer uma pessoa que tinha viajado para longe, grudava nela até saber como era aquele local distante e diferente. Ficava imaginando se seria melhor morar lá do que aqui. Até que tive a oportunidade de realizar esse forte desejo. Visitei países, estudei na Argentina, nos Estados Unidos, na França, na Inglaterra e em Israel. Isso sem falar que morei um tempo no Rio de Janeiro e em Florianópolis. Nada mau para um curitibano que há uma década está radicado em São Paulo. A muitos desses lugares eu voltaria, pois ainda sinto aquela curiosidade inquieta da infância, que me leva a continuar perguntando: “Afi nal, qual é o melhor lugar do mundo?”. Quando me percebo pensando nisso, lembro-me de um professor que foi, para mim, um mentor. Ele lecionava geografia e um dia, percebendo meu interesse, convidou- me a conhecer sua coleção de cartões-postais. Abriu um baú e deixou sair milhares de cartões que recebia de todas as partes do mundo. E foi nesse dia que ele me disse: “O melhor lugar do mundo é aquele que você pode ajudar a fi car ainda melhor”. O professor não sabia, mas estava me dando a chance de pensar, muito tempo depois, que a missão de cada pessoa é deixar este mundo melhor e, com isso, transformar-se em uma pessoa melhor. Encontrar o melhor lugar para viver, ganhar a vida, criar fi lhos, evoluir, ser feliz, tem a ver com essa missão. Se você diz que vai morar em tal cidade, em busca de uma oportunidade de carreira, na verdade está falando da oportunidade de colaborar com esse lugar. O melhor lugar do mundo é onde você pode usar seu talento, ter seu esforço reconhecido. Eu conheço pessoas felizes e realizadas em todos os lugares, que, aliás, são os mesmos locais em que eu também encontrei pessoas amarguradas. Isso me faz pensar que, antes de encontrar o melhor lugar do mundo, você deve encontrar-se a si mesmo. Ou sempre estará no lugar errado.

Shalom!

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Êta Mundão!


É de rolar de Rir nessa sociedade moderna!!


O jornal divulgava que ninguem entende as bulas dos remedios e as pessoas não entendem as palavras ali escritas.


Entao a ANVISA vai mudar o padrão das bulas e pede sugestões ao povo.


Daí o apresentador passa o email para sugestões: gmefh@anvisa.gov.br!!!
Não poderia ser: facilidade@anvisa.gov.br?!!!!!!!


shalom!

O Perigo dos créditos


Sempre tive dificuldades com dividas. Quando criança e adolescente, nunca me instruiram sobre essa importante área da vida, o que nao pretendo cometer o mesmo erro com minhas filhas.

Um amigo da igreja que trabalha para um banco me disse que pessoas que ganham 1.000,00 fazem financiamento de carro em 48 X de 400,00 e o banco libera. Imagine você quantas prestaçoes a pessoa poderá pagar? Precisamos voltar para a Bíblia e ver o que ela diz sobre dividas. Quem as têm é um escravo!

Leia e acesso o site abaixo.


Quase uma vez a cada década surge algum tipo de crise no mundo financeiro. Na década de 80, durante a quebradeira dos empréstimos agrícolas, andei de banco em banco examinando empréstimos que jamais deveriam ter sido feitos. Nos anos 90 a moda era uma empresa comprar outra muito maior com empréstimos concedidos com base no valor da de maior porte.



As autoridades financeiras usam expressões como “desaceleração da economia”, “estagnação” e “recessão” para descrever as condições econômicas atuais. Um fator primário que contribuiu para essa situação, particularmente nos Estados Unidos, foi a concessão de grandes empréstimos hipotecários para indivíduos e famílias que descobriram ser incapazes de arcar com seu pagamento. Padrões frouxos na concessão de crédito são devastadores para devedores desavisados, na tentativa de comprar algo além de suas possibilidades, seja casa, carro ou outro bem de alto valor.



A primeira responsabilidade de quem empresta é fazer um bom investimento. Entretanto, se agir corretamente, quem empresta tem também o dever de salvaguardar o bem-estar de quem toma emprestado. Ao negar o empréstimo de um valor que o tomador claramente não tem capacidade financeira de cumprir com essa obrigação, o emprestador pode estar evitando muito sofrimento.



Por que razão ocorrem erros periódicos na concessão de empréstimos? Às vezes são apenas erros de julgamento. Mas a maior parte está relacionada à ganância e inveja. Alguém descobre um nicho a ser explorado e, tão logo outros emprestadores ouvem falar de lucros crescentes e de curto prazo dos concorrentes, a inveja se manifesta. Em pouco tempo, a corrida para faturar com a última forma de empréstimo, afeta toda a economia.



Situações assim são, em geral, muito lucrativas por alguns anos, porque leva tempo até que os problemas venham à tona. Mas quando surgem e os credores começam a atrasar os pagamentos, a crise se espalha de tal forma, que os emprestadores tentam se retirar o mais rápido possível, fazendo que as perdas e o impacto sejam ainda mais significativos.



No mundo dos negócios é muito fácil se desenvolver uma "mentalidade de manada": “Se todo mundo está fazendo, deve ser bom para nós também!” Seguir esse tipo de pensamento pode fazer que a empresa se torne apenas mais uma vítima de especulação imprudente e precipitada.
A Bíblia ensina que isso foi o que estava prestes a acontecer com Asafe, mas felizmente ele se conteve. Lemos sobre a sabedoria desse homem no Salmo 73.2-3: “Quanto a mim, os meus pés quase tropeçaram; por pouco não escorreguei. Pois tive inveja dos arrogantes quando vi a prosperidade desses ímpios”.



No veloz e altamente competitivo ambiente de negócios atual, podemos ver nossos rivais se beneficiarem de práticas que jamais usaríamos. E se não estivermos dispostos a permitir que eles obtenham vantagens, como no caso de emprestar grande soma de dinheiro a tomadores com capacidade de pagamento questionável, devemos lutar contra a tentação de comprometer nossos padrões.



Sugestão: se for tentado a ter inveja de seus pares, faça uma pausa para considerar o que é melhor fazer. Não vá atrás da tendência do momento apenas para ganhar mais dinheiro. As tendências passarão e você não vai se arrepender.




quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Crise: risco e oportunidade

Texto: Tiago 5:13,17-18


Diz-se que em chinês a palavra crise é composta por duas outras palavras: risco e oportunidade. Para os que querem seguir a Jesus, viver em um mundo mau, contaminado pelo pecado, é uma crise constante; há sempre o risco de nos conformarmos ao mundo nos afastando de Deus.
O que fazer quando isso acontece? O que fazer quando as coisas não são como esperávamos e nós não reagimos como Deus espera? O que fazer quando as coisas dão errado?

1) Ore. Busque a Deus!
Não piore as coisas afastando-se de Deus.
Também não seja arrogante ficando bravo com Deus, reclamando ou tentando arrumar desculpa para seu erro. Seja humilde, reconheça seu erro, arrependa-se e fale a Deus que precisa Dele.
Está triste, busque a Deus. Está sofrendo, busque a Deus. Busque a Deus em qualquer situação, você precisa Dele.


2) Confie em Deus. Não desista, persevere.
Pedro reconhece em João 6:68 que não há outra pessoa ou outro lugar para buscar uma melhora, só Jesus tem as palavras de vida eterna.
Faça como Elias ore com instância, busque a Deus constante e insistentemente. Não desista, confie.


3) Aproveite a oportunidade.
Como falamos crise é risco e oportunidade, aproveite a oportunidade para buscar a Deus, aproveite a oportunidade para confiar Nele e conhecer Seu poder, aproveite a oportunidade para entregar-se a Deus e deixá-lo conduzir e cuidar da sua vida.
Aproveite a oportunidade.


Conclusão: Tem algumas coisas dando errado, em sua vida ? Você está passando por uma crise? Está sofrendo? Busque a Deus, entregue-se a Ele e siga-o, deixe Ele cuidar da sua vida.
Quer aproveitar a oportunidade? Quer entregar sua vida e suas coisas a Deus?
Shalom!

Um pouco de humor. Gostei desse!

Os Dez Mandamentos do Chimarrão


I- Não peças açúcar no Mate O gaúcho aprende desde piazito que e por que o chimarrão se chama também Mate amargo ou, mais intimamente, amargo apenas. Mas, se tu és dos que vêm de outros pagos, mesmo sabendo, poderás achar que é amargo demais e cometer o maior sacrilégio que alguém pode imaginar neste pedaço de Brasil: pedir açúcar. Pode-se pôr na água, ervas exóticas, cana, frutas, cocaína, feldspato, dólar etc., mas jamais açúcar. O gaúcho pode ter todos os defeitos do mundo mas não merece ouvir um pedido desses. Portanto, tchê, se o chimarrão te parece amargo demais, não hesites; pede uma Coca-Cola com canudinho. Tu vais te sentir bem melhor.

II- Não digas que o chimarrão é anti-higiênico Tu podes achar que é anti-higiênico pôr a boca onde todo mundo põe. Claro que é. Só que tu não tens o direito de proferir tamanha blasfêmia em se tratando do chimarrão. Repito: pede uma Coca-Cola com canudinho. O canudo é puro como água de sanga (pode haver cloliformes fecais e estafilococos dentro da garrafa, não nele).

III- Não digas que o Mate está quente demais Se todos estão chimarreando sem reclamar da temperatura da água, é porque ela é perfeitamente suportável por pessoas normais. Se tu não és uma pessoa normal, assume e não te fresqueies. Se, porém, te julgas perfeitamente igual às demais, faze o seguinte: vai para o Paraguai. Tu vais adorar o chimarrão de lá.

IV- Não deixes um Mate pela metade Apesar da grande semelhança que existe entre o chimarrão e o cachimbo da paz, há diferenças fundamentais. Com o cachimbo da paz cada um dá uma tragada e passa-o adiante. Já o chimarrão, não. Tu deves tomar toda a água servida, até ouvir o "ronco" da cuia vazia. A propósito, leia logo o mandamento seguinte.

V- Não te envergonhes do "ronco" no fim do Mate Se, ao acabar o Mate, sem querer fizeres a bomba "roncar", não te envergonhes. Está tudo bem, ninguém vai te julgar mal-educado. Este negócio de chupar sem fazer barulho vale para Coca-Cola com canudinho, que tu podes até tomar com o dedinho levantado.

VI- Não mexas na bomba A bomba do chimarrão pode muito bem entupir, seja por culpa dela mesmo, da erva-mate ou de quem preparou o Mate. Se isso acontecer, tens todo o direito de reclamar. Mas, por favor, não mexas na bomba. Fale com quem te ofereceu o Mate ou com quem te passou a cuia. Mas não mexas na bomba, não mexas na bomba e, sobretudo, não mexas na bomba.

VII- Não alteres a ordem em que o Mate é servido Roda de chimarrão funciona como cavalo de leiteiro. A cuia passa de mão em mão sempre na mesma ordem. Para entrar na roda, qualquer hora serve, mas depois de entrar, espera sempre a tua vez e não queiras favorecer ninguém, mesmo que seja a mais Prendada Prenda do Estado.

VIII- Não "durmas" com a cuia na mão Tomar Mate solito é um excelente meio de meditar sobre as coisas da vida. Tu Mateias sem pressa, matutando, recordando ... E às vezes, te surpreendes até imaginando que a cuia não é cuia, mas o quente seio moreno daquela chinoca faceira que apareceu no baile do Gaudencio ... Agora, tomar chimarrão numa roda é mui diferente. Aí o fundamental não é meditar e sim integrar-se à roda. Numa roda de chimarrão, tu falas, discutes, ris, xingas, enfim, tu participas de uma comunidade em confraternização. Só que esta tua participação não pode ser levada ao extremo de te fazer esquecer da cuia que está em tua mão. Fala quando quiseres, mas não te esqueças de tomar teu Mate, que a moçada tá esperando.

IX- Não condenes o dono da casa por tomar o 1º Mate Se tu julgas o dono da casa um grosso por preparar o chimarrão e tomar ele próprio o primeiro, saibas que o grosso és tu. O pior Mate é o primeiro e quem o toma está te prestando um favor.X- Não digas que chimarrão dá câncer na garganta Pode até dar. Mas não vais ser tu, que pela primeira vez pegas na cuia, que irás dizer, com ar de entendido, que chimarrão é cancerígeno. Se aceitaste o Mate que te ofereceram, toma e esquece o câncer. Se não der para esquecer, faze o seguinte: pede uma Coca-Cola com canudinho que ela ... etc., etc

X- Não digas que chimarrão dá câncer na garganta Pode até dar. Mas não vais ser tu, que pela primeira vez pegas na cuia, que irás dizer, com ar de entendido, que chimarrão é cancerígeno. Se aceitaste o Mate que te ofereceram, toma e esquece o câncer. Se não der para esquecer, faze o seguinte: pede uma Coca-Cola com canudinho que ela ... etc., etc



rsrs.

Sabedoria Secular de Gracian

Não ficar de Brincadeiras

A prudência é reconhecida na seriedade, que tem mais credibilidade do que a inteligência. O brincalhão não merece confiança. É comparado ao mentiroso, pois não se acredita nele. De um, tememos a mentira, do outro, o excesso de brincadeiras. Nunca se sabe quando se fala com juízo, o que é a mesma coisa do que não tê-lo. Não há maior falta de graça do que a graça permanente. Alguns ganham a fama de engraçados e perdem a de prudentes. A jovialidade tem seu momento, mas o resto do tempo deve ser de seriedade.

Shalom!

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Santificação

O povo crente precisa de santificação. Não só aquela promovida por Jesus Cristo que é de Deus para nós, mas aquela que é de nós para Deus, que toca no nosso caráter.

É certo que ninguém precisa ser alguém espetacular para ser aceito por Deus. Ele chama todos como estão para se assentar à sua mesa, mas uma vez estando ali, é preciso aprender as boas maneiras para ficar em Sua presença.
Todos fomos chamados como somos ou éramos para sermos transformados pelo Espírito Santo de Deus.

Mudança de vida
Deus nos chamou para a santidade.
Precisamos ser crentes educados, pacientes, com gênio sob controle, mansos, humildes.
João Wesley afirmava: “conhece-se a árvore pelos frutos. Assim como ele ama a Deus, guarda os seus mandamentos; não só alguns ou a maioria; mas todos, desde o menor até o maior. Não se contenta em guardar toda a lei e falhar num detalhe, mas em todos os pontos tem uma consciência livre de ofensa para com Deus e o homem (Atos 24.16). o que Deus proibiu, ele evita; o que Deus mandou, ele faz. Segue os mandamentos de Deus, já que ele libertou o seu coração. Proceder assim é a sua glória e a sua alegria; coroa diária de alegria é fazer a vontade de Deus”.
Shalom!

terça-feira, 29 de julho de 2008

Sabedoria Secular

Criar Expectativas

O sucesso inesperado provoca admira~cao. Jogar abertamente não agrada nem é útil. Não se mostrar imediatamente gera curiosidade, sobretudo em relação aos assuntos importantes, que criam expectativas geral. O mistério, por seu próprio segredo, provoca veneração. Mesmo ao se revelar, deve-se fugir da franqueza total. Não exponha seus pensamentos íntimos a todos. É no silencio recatado que a sensatez se refugia. Quando uma decisão se torna publica, nunca é devidamente estimada. Se for objeto de crítica, a má sorte virá em dobro. É melhor imitar o procedimento divino para manter os homens atentos e vigilantes.
Provérbios 29.20: "Tens visto uma pessoa precipitada nas suas plavras? Maior esperança há para o tolo do que para ele!"
shalom.

Mike Murdock nos ajuda a colocar a vida em ordem

Jesus separava tempo para descansar

A fadiga pode custar caro.
Um conhecido presidente dos Estados Unidos sabia disso. Ele se recusava totalmente a tomar decisões importantes depois das quatro da tarde. Sabia que uma mente cansada raramente toma boas decisões.
Uma decisão ruim pode gerar inúmeras tragédias.
O descanso e o lazer não são pecado. O tempo de descanso é tempo de reparo. Não é uma perda de produtividade. É tempo de renovação.É tempo de receber. Ajuda a liberar seu potencial.
Jesus foi um homem de ação, uma pessoa que lidava com gente. Ele produziu, curou, pregou e ensinou, andou entre as pessoas. Mas também sabia da necessidade de descanso e repouso. “Venham comigo para um lugar deserto e descansem um pouco (Marcos 6.31)”.
Pense nisso. Todos os dias Jesus encarava centenas de doentes e oprimidos que clamavam pela sua atenção. Muitos estavam endemoninhados. Mães estendiam as mãos para Jesus.pais pediam para orar pelos seus filhos. As crianças não queriam sai da Sua presença. Mas Jesus separou um tempo para receber. Ele sabia que somente poderia dar o que possuísse.
O tempo de trabalho é de dar. O tempo de descanso é de receber. Você deve dar ambos.
Deus criou a terra em seis dias, mas separou tempo para descansar no sétimo dia. Ele estabeleceu um principio para nós. Jesus fez a mesma coisa.
Jesus compreendia o equilíbrio entre o descanso e o trabalho, esta foi uma das razoes por ele ter sido capaz de realizar tanto em três anos e meio.
A vida demanda muito. As pessoas exigem muito. Saiba que quanto mais sucesso você tiver, mais as pessoas exigirão de você.
Reconstruir-se exigirá a sua atenção.
Trabalhe bastante, mas desfrute com o mesmo entusiasmo. Programe-se. Tire um dia por semana para ficar fora. Descanse totalmente. Focalize alguma coisa completamente diferente do seu emprego. Sua mente pensará com maior clareza. Você tomará decisões melhores. Verá a vida com um olhar diferente. Realizará mais com menos tempo.
Pare com seu desespero frenético pelo sucesso. Reserve tempo para saborear seu presente. As chamas do desejo sempre vão arder dentro de você. Aprenda a dominar esta fúria e a ter foco. Aprenda a descansar. Jesus fez isso.
Shalom!