quinta-feira, 26 de março de 2009

Contentamento. Você é Satisfeito?


Estou compartilhando com a Igreja sobre a Restauração financeira segundo a Bíblia.

Consideramos que:
Antes de Deus tornar alguem próspero, ele primeira o torna contente!


Conta-se a historia de um pai e seus dois filhos gêmeos. No dia de aniversario de 18 anos, o pai deu um mesmo presente aos dois: uma caixa com estrume de cavalo. Quando o primeiro recebeu o presente, ficou muito nervoso com o pai e lhe disse: como pode alguém dar um presente como esse? O segundo filho, ao receber, ficou um pouco quieto e disse logo depois, alegremente: legal pai! Onde está o cavalo?


O apóstolo Paulo queria que os discípulos de Jesus vivessem contentes em todas as situações, assim como ele havia aprendido. Mas esse contentamento não significava acomodação. A obra da graça de Deus não propõe a estagnação das pessoas nem o conformismo da iniciativa. O contentamento do coração nada tem a ver com uma resignação apática.


O satisfeito pela graça de Deus não quer dizer que tenha um espírito indiferente ao crescimento de uma vida sadia. Toda pessoa alcançada pelo evangelho de Cristo torna-se diligente em sua missão nesse mundo. Paulo era um homem contente, mas não um homem conformado com a fatalidade. Ele era dirigido pela soberania graciosa de Deus e não pela estupidez desvairada de um destino inevitável. Sua visão dos acontecimentos era configurada pela suprema vontade Deus e nunca pelos meros privilégios do momento de riqueza ou pelo acaso das agruras da vida. Por isso mesmo, ele se alegrava tanto nos aplausos do êxito, como no luto da calamidade que o cometia também.


Vejamos o que a Palavra do Senhor nos orienta no caminho da liberdade financeira:


5 Contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais.6 Mas é grande ganho a piedade com contentamento.7 Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele.8 Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. 1 Timóteo 6.5-8


Vivendo assim consideramos que:


1)- Fé e contentamento é um grande ganho (v. 6)

A vida de fé é acrescida de poder quando vive contente. Encontre uma pessoa de fé e verá ali serenidade e tranqüilidade. As lutas ou dificuldades não são suficientes para tirar a paz de um cristão confiante e que espera por uma pátria no céu.Crente que não é contente não representa o seu Mestre Jesus. É uma contradição. Viver contente em todas as situações é uma bênção da escola celestial. Deus é muito prático e aqueles que aprendem a viver contentes são treinados na experiência diária. Deus nunca ensina um conteúdo espiritual aos seus filhos de maneira teórica. A educação dos santos é exercida na realidade cotidiana. Uma pessoa nunca será próspera se não aprender a viver contente, simplesmente porque nunca estará contente com nada!


2)- Nada levaremos deste mundo (v.7)

Na conversão somos libertos da tirania da posse justamente porque pela fé fomos instruídos que Deus já nos deu todas as coisas. Conheci uma pessoa cristã que morreu cobrando uma dívida da sua denominação, que um dia emprestara. Cremos firmemente na promessa de Deus que afirma:


Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? (Romanos 8 : 32)


3)- Que devemos estar contentes com o que temos (v.8)

Aquele que se satisfaz com menos, tem um patrimônio muito grande para garantir a sua felicidade duradoura. Alguém disse que o contentamento consiste não em acrescentar mais combustível, mas em diminuir o fogo; não em multiplicar a riqueza, mas em diminuir os desejos. Aquele que se encontra satisfeito com menos coisas, é bem mais feliz do que aquele que vive ambicionando ansiosamente cada vez mais, buscando avultar o muito que já possui. A verdadeira riqueza não consiste em ter muitos bens, mas em viver bem com menos riqueza. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. 1 Timóteo 6:8.


Lembre-se: não falamos de conformismo ou derrotismo, mas de um espírito verdadeiramente forte capaz de suportar os revezes com alegria. Ninguém será prospero financeiramente se não obtiver primeiramente essa vitória no espírito.


Somos desafiados à grandeza, chamados a viver como herdeiros, pois temos uma vida ditada por um evangelho poderoso. Encerro com uma frase do Pr. Glênio Paranaguá: Todos aqueles em que a cruz de Cristo deixou suas impressões no caráter, sempre vão transbordar seu contentamento, aprendido através das marcas dos cravos esculpidas pela fé. Ninguém pode viver mais contente do que os co-crucificados e regenerados na ressurreição pela graça em Cristo. Aqueles que estão satisfeitos com a suficiência de Cristo, embora tenham tribulações, tropeços e transtornos não deixam de expressar o seu contentamento por terem sido aceitos cabalmente pela graça do evangelho. Um cristão que não aprende a contentar-se em todas as ocasiões, acaba injuriando o seu Salvador e difamando a sua salvação.


Por isso contentai-vos... Regozijai-vos sempre. 1 Tessalonicenses 5:16.

Nenhum comentário: