domingo, 12 de fevereiro de 2012

Uma Canção na Noite

Texto Bíblico:
Atos 16

16.16   Aconteceu que, indo nós para o lugar de oração, nos saiu ao encontro uma jovem possessa de espírito adivinhador, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.

16.17   Seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens são servos do Deus Altíssimo e vos anunciam o caminho da salvação.

16.18   Isto se repetia por muitos dias. Então, Paulo, já indignado, voltando-se, disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, eu te mando: retira-te dela. E ele, na mesma hora, saiu.

16.19   Vendo os seus senhores que se lhes desfizera a esperança do lucro, agarrando em Paulo e Silas, os arrastaram para a praça, à presença das autoridades;

16.20   e, levando-os aos pretores, disseram: Estes homens, sendo judeus, perturbam a nossa cidade,

16.21   propagando costumes que não podemos receber, nem praticar, porque somos romanos.

16.22   Levantou-se a multidão, unida contra eles, e os pretores, rasgando-lhes as vestes, mandaram açoitá-los com varas.

16.23   E, depois de lhes darem muitos açoites, os lançaram no cárcere, ordenando ao carcereiro que os guardasse com toda a segurança.

16.24   Este, recebendo tal ordem, levou-os para o cárcere interior e lhes prendeu os pés no tronco.

16.25   Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam.

16.26   De repente, sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; abriram-se todas as portas, e soltaram-se as cadeias de todos.

16.27   O carcereiro despertou do sono e, vendo abertas as portas do cárcere, puxando da espada, ia suicidar-se, supondo que os presos tivessem fugido.

16.28   Mas Paulo bradou em alta voz: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos!

16.29   Então, o carcereiro, tendo pedido uma luz, entrou precipitadamente e, trêmulo, prostrou-se diante de Paulo e Silas.

16.30   Depois, trazendo-os para fora, disse: Senhores, que devo fazer para que seja salvo?

16.31   Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa.

16.32   E lhe pregaram a palavra de Deus e a todos os de sua casa.

16.33   Naquela mesma hora da noite, cuidando deles, lavou-lhes os vergões dos açoites. A seguir, foi ele batizado, e todos os seus.

16.34   Então, levando-os para a sua própria casa, lhes pôs a mesa; e, com todos os seus, manifestava grande alegria, por terem crido em Deus.


Uma Canção na Noite

Por causa de seu testemunho cristão, John havia sido sentenciado a cumprir treze anos em uma prisão comunista. Cerca de dez anos depois, ele cometeu um leve delito e foi enviado para o pavilhão de isolamento. Ali, a solidão reinava absoluta e o completo silêncio era deprimente.
O espírito de John foi ficando tão deprimido que, um dia, ele clamou ao Senhor que o levasse. Para que viver? Dez anos de sofrimento no pavilhão com os outros presos e agora isso! Ele achava – e quem pode recriminá-lo – que estar ali era mais do que poderia suportar. Depois de algum tempo, ele se recompôs. Sentindo-se envergonhado de sua falta de fé, começou a cantar bem baixinho o hino “Conta as bençãos”:

         Se da vida as vagas procelosas são,
         Se com desalento julgas tudo vão,
         Conta as muitas bênçãos, dize-as de uma vez,
         Hás de ver, surpreso, quanto Deus já fez.

Cantando baixinho, ele podia ouvir o companheiro na cela ao lado andando para lá e pára cá. De repente, John não mais pode conter-se e começou a cantar em alta voz, sabendo que certamente os guardas viriam espancá-lo. Quem sabe, ao ser espancado até a morte, fosse a forma de Deus responder a sua oração! Ao mesmo tempo em que tais pensamentos passavam por sua mente, ele percebeu que os passos do prisioneiro na cela ao lado haviam cessado. Continuou:  

                   Tens, acaso, mágoas, triste é teu lidar,
                   É a cruz pesada que tens de levar?
                   Conta as muitas bênçãos, não duvidarás
                   E em canção alegre os dias passarás.

         John cantou todas as estrofes do hino. Cada vez que repetia o coro, fazia-o mais forte e mais confiantemente, atento a um iminente barulho do molho de chaves e dos passos pesados e irados do carcereiro. Ele aguardava a porta se abrir a qualquer momento, e começar a apanhar impiedosamente.

                   Seja teu conflito fraco ou forte cá
                   Não te desanimes, Deus por cima está;
                   Seu divino auxílio minorando o mal
                   Te dará consolo e paz celestil.

         Nada, porém, aconteceu! Nenhum guarda apareceu! Estava tudo silencioso, exceto pelo som de algo pesado caindo na cela ao lado. “O pobre coitado deve ter caído”, pensou John. “Ele pode, até mesmo, ter morrido”.
         Semanas se passaram. Tendo cumprido o tempo estipulado em confinamento solitário, John voltou para seu pavilhão. Ao menos ali ele tinha companhia, e o cardápio era um pouco melhor que o pão dormido e água dos quais ele se alimentara nos três últimos meses.
         Assentado uma noite, depois de um pesado dia de trabalho, ele começou a pensar quão agradecido estava por Deus haver preservado sua vida. Então, começou a cantarolar para si mesmo: “Conta quantas bençãos”. Não havia, ainda, cantado muito quando sentiu uma mão pesada sobre seu ombro. Ao virar-se, viu outro prisioneiro de pé ao seu lado.
         “Escuta aqui”, o homem disse: “Você estava na cela 11 no pavilhão de isolamento em tais dias?”.
         “Sim, eu estava”, respondeu John.
         “Ouvi você cantando”, disse o homem visivelmente emocionado. “Escutei seu cantar! Você estava cantando exatamente a música que está cantarolando agora! E eu também consegui entender a letra da música. Eu estava a ponto de suicidar-me. Tinha feito uma corda com minha camiseta... e a prendi ao teto. Um pouco antes de você começar a cantar, eu parei de andar, subi na cadeira e pus o laço em volta do pescoço. Então, você começou a cantar cada vez mais intensamente. Fiquei esperando os guardas virem fazê-lo calar de uma vez por todas. Foi aí, então, que decidi que se havia alguém nessa prisão que podia cantar tão destemidamente a respeito de um Deus que se importava – então a vida valeria a pena ser vivida – Tirei minha cabeça de dentro da corda e cai no chão. Quero, agora, que me conte acerca desse Deus e da fé que você tem, pois a desejo também”.
         John ficou tão empolgado! Falou ao homem sobre ao mor de Deus e sobre a salvação oferecida por meio de Jesus Cristo. Ali mesmo, ele conduziu aquele homem a crer pessoalmente no Senhor Jesus como seu Salvador. Esses homens estão livres hoje, e servem juntos em uma igreja da Cortina de Ferro.

         Pai, sou lembrado de Paulo e Silas cantando louvores no meio da noite... Apesar de terem sido falsamente acusados de arruaceiros, Tu transformaste aquilo para salvar o carcereiro e toda sua casa. Para cada noite de adversidade, há uma manhã de alegria. Tocaste o carcereiro que

(...) levando-os para sua própria casa, lhes pôs a mesa; e, com todos os seus, manifestava grande alegria (...) At 16:34  



Desenvolvimento

Poucos são como Paulo e Silas que conseguem extrair alegria ainda que estejam com OS PÉS NO TRONCO.
Mas o e Espírito Santo nos ajudará a sermos firmados em Cristo quando soubermos que temos poder recebido do Pai para vivermos neste mundo se observarmos o que a Bíblia nos ensina:

1)- a não termos medo
16.19   Vendo os seus senhores que se lhes desfizera a esperança do lucro, agarrando em Paulo e Silas, os arrastaram para a praça, à presença das autoridades;

16.20   e, levando-os aos pretores, disseram: Estes homens, sendo judeus, perturbam a nossa cidade,

16.21   propagando costumes que não podemos receber, nem praticar, porque somos romanos.


Paulo e Silas não tinham medo de fazer o que era certo.
Eles tinham uma missão. Eles sabiam em quem criam. Não duvidavam. Eram motivados pelas palavras de Jesus nas suas vidas. Portanto não tinham medo. As açoitadas faziam parte no crescimento da sua fé. Quem tem fé passa convicto e feliz pelas tribulações da vida.

 Você tem uma Missão?
Voce sabe realmente em quem crê e pisa firme sabendo que tudo concorrerá para o teu bem? O fracasso na vida de muita gente é a falta de engajamento na fé. A fé é o motor de uma vida que sabe o que quer e para onde vai.
Quem tem convicção se abate mas não fica destruído quando a vida lhes coloca os pés no tronco.


a Bíblia nos ensina:
2)- que o Louvor Liberta
16.25   Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam.

16.26   De repente, sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; abriram-se todas as portas, e soltaram-se as cadeias de todos.


O deserto foi sempre um lugar de privações e provações. Um lugar de dúvidas e decepções, mas também um lugar da providência divina.Falaram contra Deus, dizendo: Pode, acaso, Deus preparar-nos mesa no deserto? Salmo 78:19Aqueles que duvidam invertem a metáfora e insistem em que precisam de fé tão grande quanto uma montanha para mover uma semente de mostarda. É preciso um deserto para perceber o Deus Todo-Poderoso agindo na falência de nosso entendimento. Zombar de Deus é a coisa mais im-possível da vida. Mas os erros da fé são melhores do que os melhores pensamentos da incredulidadeNada obstante, ordenou às alturas e abriu as portas dos céus; fez chover maná sobre eles, para alimentá-los, e lhes deu cereal do céu. Salmo 78:23-24Não há burrice mais brutal do que esquecer de Deus. Não há deserto que possa anular a fidelidade da Palavra de Deus. Mesmo quando estamos atravessando os momentos mais difíceis, jamais podemos esquecer as suas promessas. Tu és meu servo, eu te escolhi e não te rejeitei, não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus, eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel. Isaías 41:9b-10Acredite em suas crenças e duvide de suas dúvidas; não cometa o erro de duvidar de suas crenças e de acreditar em suas dúvidas. A fidelidade de Deus será sempre a nossa proteção nas tribulações do deserto, e como o salmista temos que reconhecer: Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão. Salmo 37:25.
Nenhum deserto é inútil na vida do filho de Deus. Tempos de aflição são geralmente tempos de vitória para o povo de Deus. O coador apertado de hoje, amiudadamente se constitui no vestibular à Universidade da Vida Abundante. Pois tu, ó Deus, nos provaste; acrisolaste-nos como se acrisola a prata. Tu nos deixaste cair na armadilha; oprimiste as nossas costas; fizeste que os homens cavalgassem sobre a nossa cabeça; passamos pelo fogo e pela água; porém, afinal, nos trouxeste para um lugar espaçoso. Salmo 66:10-12Cada crise pode representar a hora em que Deus dá início a novas dimensões em nossas vidas. Quanto mais árido é o deserto, mais exuberante será o jardim em que ele se tornará. O deserto e a terra se alegrarão; o ermo exultará e florescerá como o narciso. Isaías 35:1. Se hoje a sua vida está passando por um deserto, glorifique a Deus pela bênção de ser escolhido a peregrinar na terra da libertação, pois quando tiver passado para Canaã, os velhos modelos do Egito já terão perdido o seu valor. O verdadeiro problema não está na razão por que algumas pessoas piedosas, humildes e crentes sofrem, mas por que algumas não sofrem.


a Bíblia nos ensina:
2)- Que Cristo Transforma

Não existe na Bíblia versículos tão espetaculares como estes.
O incrível desejo dos que precisam ser salvos.
16.30   Depois, trazendo-os para fora, disse: Senhores, que devo fazer para que seja salvo?


O carcereiro vivia encarcerado pelas sua vida de pecado.
Encarcerado pela sua falta de fé;
Encarcerado pela sua falta de confiança;
Encarcerado pelo egoísmo;
Encarcerado pelas exigências das autoriadades;
Encarcerado pela cobrança da sua família;


A Grande alegria de terem crido em Deus.
16.34   Então, levando-os para a sua própria casa, lhes pôs a mesa; e, com todos os seus, manifestava grande alegria, por terem crido em Deus.

Alcançaram libertação do poder do pecado nas suas vidas.
Crer em Deus é a maior conquista que uma pessoa pode ter.
Tenho lido ultimamente Eclesiastes sobre as reflexões a respeito da vida e o sábio afirma com muita propriedade depois de 12 capítulos:

12.13   De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem.

Quem tem Deus tem tudo!


Conclusão
Tem muita gente liberta de correntes mas presas pelos aguilhões de uma vida sem Deus, no pecado;
Por outro lado tem muita gente presa pelas privações da vida mas livres em Cristo, vivendo uma vida que aprendeu a cantar livremente por ter encontrado a verdadeira vida.
Como tem sido a tua vida? Cristo te convida a uma vida liberta.


Pr. Fábio Alcântara

Nenhum comentário: