domingo, 8 de fevereiro de 2015

Servir novamente com alegria e liberdade

3- Sucesso é orar

Alguns anos atrás, um jovem abordou o capataz de uma madeireira e pediu emprego.
- Isso depende – respondeu o capataz – vejamos como você derruba essa árvore.
O jovem deu um passo à frente e derrubou uma grande arvore com habilidade. Impressionado, o capataz exclamou:
- Você pode começar segunda feira.
Segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, se passaram e na tarde de quinta-feira, o capataz abordou o jovem e disse:
- Quando sair hoje, você pode pegar seu pagamento.
Assustado, ele respondeu:
- pensei que você pagasse na sexta-feira.
- Normalmente fazemos isso – respondeu o capataz – mas estamos dispensando você hoje por seu atraso na produção. Nossos relatórios diários mostram que voe caiu do primeiro lugar em arvores derrubadas na segunda-feira para o ultimo na quarta.
- Mas eu trabalho duro – replicou o jovem – chego primeiro, saio por último e até trabalhei durante os intervalos do café!
O capataz, percebendo a integridade do rapaz, pensou durante um minuto e perguntou:
- Você tem afiado o seu machado?
O jovem respondeu:
- tenho trabalhado tanto que não tenho tido tempo para isso.

Que engano óbvio. Como alguém poderia cometer um erro impensado assim? Contudo, o fato é que muitos servos de Deus falham nas tarefas que lhes são designadas porque não dedicam tempo a afiar suas vidas em oração.

Por quê precisamos orar?
Realmente, nós os pastores passamos muito tempo ansiosos com os afazeres. São responsabilidades administrativas, pastorais e familiares que preenchem nossos dias de tal maneira que as 24 horas ficam muito curtas.
Hoje a vida moderna preenche nossa alma de desejos. São tantas opções que não conseguimos definir o que é prioridade nas nossas vidas. Parece que fazer isto nos deixa para trás, fora da tendência moderna e obsoletos. Quero lembrar que os maiores homens e mulheres que o evangelho já produziu fora “obsoletos” para o mundo. Ficaram tão “desaparecidos” que só poderiam ser encontrados estudando as escrituras e orando, deixando de lado os hábitos mundanos. Depois de décadas, ressurgiram em suas meditações e herança acerca das profundezas de Deus. A maioria nunca foram mencionados em vida.
Os pastores modernos querem ser atuais e falar sobre tudo. É uma praga moderna todos falarem sobre tudo e não ser especialistas em nada. Tenho pavor de ver na TV e na Internet Pastores dando pitaco sobre psicologia, sociologia ou qualquer outra área. Essas igrejas modernas têm programas de TV e chamam para o debate “pastores”. Sai cada coisa ridícula com conhecimentos de terceira categoria e simplórios que dá medo. É um horror.
Quero mencionar algo que chocará você: somos imprestáveis para o mundo. Não adianta competir com o s membros das nossas igrejas que são engenheiros, médicos psiquiatras, pedreiros ou outra coisa qualquer. Nada adianta querer estar à sua altura. Nessa ânsia, muitos se envergonham daquilo para a qual foram chamados: falar de Deus. Ficam perdendo tempo com a situação do país, da política, do futebol e outras bobagens.
Temos que nos conscientizar de que as pessoas nos querem falando de Deus, da Bíblia e nisso precisamos nos esmerar. É seguir o conselho dos Apóstolos:
Atos 6.4 -  e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra.

Por isso trabalhamos demais, oramos de menos e não conseguimos perceber o agir de Deus em todas as circunstâncias. Precisamos orar mais. Ser mais contemplativos para atender a ânsia do mundo por mais de Deus.

Precisamos orar em função do que a oração faz por nós.
Por que precisamos orar se Deus nos ama e sabe tudo de que necessitamos? Porque a comunhão com Deus é a única necessidade da alma que ultrapassa todas as outras. Temos necessidade interminável de Deus e a oração a supre.
O nosso maior pecado é não orar. Todos os fracassos que nos sobrevêm são por não orarmos. A falta de almas salvas por meio do nosso ministério e devido à ausência de oração. A escassez de alegria no me coração é fruto de não orar. Indecisão, falta de sabedoria e de direção são causados por não orar. Quantas vezes tenho errado, tenho faltado com os meus deveres, e tem me faltado poder e alegria, tudo isso por causa do pecado de não orar.

Precisamos orar em função do que a oração realiza na igreja.
A oração traz poder à igreja e ao ministério. É por isto que Paulo suplicou: com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos, e também por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho, (Efésios 6.18-19).
Ele sabia que o poder vem só por meio da oração.
Deus promete ouvir o seu povo quando buscado com humildade. Muitos avivamentos na igreja depois de uma temporada de oração. Oração é trazer Deus pra perto do coração sedento. Se queremos ver as igrejas cheias do Espirito Santo, precisamos nos dedicar à comunhão com Deus e incentivar o povo a orar.

Precisamos orar porque Jesus Cristo orava.
O Evangelho de Marcos nos conta que ao se desenvolver o ministério de Jesus Cristo na Galiléia, ele sofreu uma imensa pressão vinda das multidões que eram cada vez maiores. O quadro apresentado por Marcos mostra como as ondas sucessivas de pessoas necessitadas vinham de Jesus, tão grande era a pressão pelas pessoas que Cristo chegou a correr risco de morte.
Marcos 3.9 -  Então, recomendou a seus discípulos que sempre lhe tivessem pronto um barquinho, por causa da multidão, a fim de não o comprimirem.

A palavra para “comprimir” no original é literalmente esmagar. Embora fosse Deus, Jesus Cristo era também homem e realmente sentia essa pressão. Ela era imensa, onipresente, inescapável, desgastante e de uma intensidade que nós provavelmente nunca conheceremos.
O que fazer? Como o nosso Senhor lidava com as pressões da vida e do ministério? Ele simplesmente fazia duas coisas: ele se retirava, para ficar a sós e, segundo, ele orava. Acerca do afastamento de Cristo, Marcos diz: “Jesus subiu ao monte” (Mc 3.13) embora ele sendo homem e Deus, ele ainda tinha necessidade de ficar a sós.
Precisamos dizer que o que funciona para Jesus Cristo funciona para nós? Todos nós necessitamos de um pouco de solidão na vida. Muitos entre nós nunca experimenta silencio durante as horas em quem estão acordos.
Um livro que li a algum tempo atrás, de Andrew Murray, dizia para jamais pedirmos conselhos a um obreiro muito agitado. Ele não teria nada a te dizer porque certamente não passa nenhum tempo com Deus, sem ter nada a nos dizer que valha a pena.
Jesus Cristo se afastava – esse era o primeiro passo, mas ao fazê-lo, isso sempre levava ao passo maior: ele orava. A passagem paralela de Lucas diz: Naqueles dias, retirou-se para o monte, a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. (6.12)
Ali Jesus expôs sua alma à presença do Pai, que o iluminava como os raios do sol. Ali ele reafirmou e reforçou seu compromisso de fazer a vontade do Pai.

Precisamos orar porque a falta de oração abre a porta a todos os demais pecados.
Vemos isso claramente no mandamento de Jesus Cristo em Marcos 14.38
Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.
Devemos orar e vigiar como o único preventivo contra a tentação. É exatamente isso que está contido no mandamento em Lucas 22.40: orem para que vocês não caiam em tentação.  Se até os discípulos que acompanharam Jesus ao Jardim do Getsêmani precisavam dessa advertência, quanto mais nós.
A oração é o remédio contra a tentação. Ela é o caminho para derrotar o mal. Nesse sentido somos ordenados a tomar a armadura de Deus, para que possamos ficar firmes contra as ciladas do diabo e para que possamos resistir no dia de dificuldades. Tomar a armadura de Deus inclui a oração constante.
Com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos. (Efésios 6.18)
O querido John Bunyan autor de O Peregrino, escreveu: a oração fará com que um homem deixe de pecar. Por outro lado, o pecado seduzirá o homem que deixe de orar. Sem dúvida, então, todos os nossos pecados são resultado de uma vida sem oração. Não duvido que a oração sincera, feita de todo o coração, seja o remédio para os nossos pecados, bem como a vitoria sobre eles.

Sucesso é orar. Não fique desanimado se as coisas não estiverem saindo conforme a fôrma do mundo. Se você está sendo fiel ao Senhor, andando com Ele, estará experimentando o verdadeiro sucesso.


PROXIMA REFLEXÃO: SUCESSO É AMAR.

Nenhum comentário: