quarta-feira, 4 de julho de 2007

As quatro confianças de Paulo em meio ao Sofrimento


Leia a Mensagem de Hoje na Igreja:
À medida que você segue Paulo de um país para outro (Romanos 15.19), observa o quanto ele sofreu por amor a Cristo em seu trabalho missionário. Eis uma lista para você meditar com a Bíblia aberta:

Suportou toda espécie de adversidade, deparou-se com todo tipo de perigo extremo (2 Co 11.23-27). Foi agredido pelo populacho, punido pelos magistrados (At 16.19-24; 21.27). Foi açoitado, surrado com varas, apedrejado, dado como morto (At 14.19-20). Esperava, aonde quer que fosse, uma repetição dos mesmos maus tratos e perigos (At 20.23). Se expulso de uma cidade, pregava em outra (At 13.50-51; 14.5-7,19-21). Gastou todo o seu tempo no trabalho missionário, sacrificando para isso seus desejos, seu conforto, sua segurança (At 20.24; Rm 1.14-15; Fp 1.20; 3.8). Persistiu neste sistema de vida até a idade avançada, sem alterações no que se refere à obstinação (At 28.17), ingratidão (Gl 1.6; 4.14-20), discriminação (2 Co 12.15) e deserção (2 Tm 4.10,16). Não foi subjugado pela ansiedade, necessidade, trabalho duro ou perseguição; não se cansou dos longos períodos de aprisionamento; e nem ficou desalentado pela perspectiva da morte (At 21.13; 2 Co 12.10; Fp 2.17; 4.18; 2 Tm 4.17).
Em sua conversão, Paulo fora avisado de que teria de sofrer muitas coisas por amor a Cristo (At 9.16). Quando os sofrimentos chegaram, ele nunca se lamentou ou murmurou, mas sempre glorificou a Deus em meio às tribulações, e tinha mais orgulho de suas cicatrizes adquiridas no campo de batalha do que um soldado de suas medalhas e condecorações (Gl 6.17). Que missionário guerreiro era! O mundo nunca mais viu alguém como o Apóstolo Paulo!



1-
Confiança na Palavra de Deus –
ele era um homem que confiava e conhecia a Palavra de Deus.
A Sua citação em Filipenses 1.19-21 começa com uma citação literal de Jó 13.16. A palavra “sei” vem da grega oida que significa saber com certeza. Paulo está exprimindo a firme confiança no que está para acontecer. Ele tinha certeza de que seria liberto porque sua confiança estava nas promessas de Deus.

Ele fazia afirmações como Romanos 8.28.

E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

Paul cria que suas provações e adversidades eram temporárias, assim como Jó. Paulo cria no princípio da justiça de Deus conforme o Antigo Testamento (Salmo 34.17,19; 37.39-40; 91.3; 97.10).

Nós também podemos ter a mesma confiança na Palavra de Deus para suportar as provações.
Vejamos Isaías 43.1-3
MAS agora, assim diz o SENHOR que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu.
Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.
Porque eu sou o SENHOR teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador; dei o Egito por teu resgate,



2-
Confiança nas orações dos santos –
Paulo sabia que Deus trabalha e realiza seus próprios planos em associação com as orações dos crentes. Pedia que a Igreja orasse por ele.
Vejamos Romanos 15.30 e Efésios 6.19.

Quando sabia que mais pessoas oravam por ele, mais confiança ganhava, porque conhecia a verdade de Tiago 5.16.

Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.


3-
Confiança na provisão do Espírito Santo –
Paulo estava certo de que o Espírito Santo lhe concederia o que precisasse para sustenta-lo em qualquer situação. A Palavra “socorro” em Filipenses 1.19 significa “abundante suprimento”, ou “recursos inesgotáveis”.

Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo,


Paulo compreendia que poderia contar com os suprimentos completos do Espírito Santo com base no que Jesus prometeu (Lucas 11.13; João 14-16; Atos 1.8).

Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?
Lucas 11.13

Esta verdade é um manancial de confiança não apenas para Paulo, mas para nós também. Todo cristão genuíno possui o Espírito Santo e, portanto, tem total acesso às Suas riquezas.
Romanos 8.26 diz:

E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.


É desta maneira que as coisas contribuem para o nosso bem.


4-
Confiança nas Promessas de Jesus –

E por último Paulo se apoiava nas promessas que Jesus lhe fizera pó ocasião da sua conversão em Atos 26.16. Ele tinha certeza absoluta que Deus lhes chamara para um ministério especifico, e enquanto ele se mantivesse fiel nunca seria envergonhado (Mc 8.38).

Paulo também mostrou possuir autentica fé nas palavras de Jesus, o Bom Pastor em João 10.27-28.

As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem;
E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão.


Além disso, ele bem que poderia conhecer as palavras de Moisés em Deuteronômio 31.6:

Esforçai-vos, e animai-vos; não temais, nem vos espanteis diante deles; porque o SENHOR teu Deus é o que vai contigo; não te deixará nem te desamparará.


Shalom.

Nenhum comentário: