sábado, 22 de dezembro de 2007

Batismo - Um Mundo Sob a Água


“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”. Marcos 16.15-16

Jesus determinou a ordem: fé, em seguida o batismo e então a salvação.

A palavra “salvo”, diz respeito a muito mais que pecado e inferno, ou santidade e céu. A salvação está relacionada com o kosmos, o mundo. A carne age contra o Espírito;satanás age contra Jesus Cristo; e o mundo opõe-se ao Pai, como Criador.

Hoje, então, somos confrontados por dois mundos, duas esferas de autoridade, sendo as duas totalmente diferentes e com caráter oposto. Para mim, agora, não se trata de um futuro céu e inferno; a questão está nestes dois mundos hoje, e se eu pertenço a uma ordem de coisas em que Cristo é o Senhor soberano ou a uma ordem oposta de coisas que tem Satanás como seu líder e servo.

Portanto a salvação não é tanto uma questão pessoal de pecados perdoados ou de inferno evitado. É melhor que seja visto em termos de um sistema do qual nós saímos. Quando sou salvo, faço meu êxodo de um mundo todo e procedo à minha entrada em outro. Estou salvo agora, fora daquele reino organizado que Satanás construiu em rebeldia ao próprio Deus.

Se isso é o mundo, que, então, é a salvação? A salvação significa que eu escapo dele. Eu saio, faço uma saída do kosmos que a tudo abarca. Não mais pertenço às coisas segundo padrão de Satanás. Coloco meu coração naquilo em que está o coração de Deus. Tomo, como meu objetivo, Seu eterno propósito em Cristo e caminho para aquele mundo, liberto deste.

“Aquele que for batizado será salvo”. Jesus disse exatamente o que queria. Eu dou aquele passo de fé: creio e sou batizado, e saio como uma pessoa salva. Isso é salvação. Portanto nunca tenhamos o batismo num conceito inferior. Há tremendas implicações nele. A questão trata de dois mundos violentamente opostos entre si e de nossa transição de um para o outro.

Em 1 Pedro Capitulo 3, o apóstolo fala sobre Noé e sua fuga deste mundo através da arca. Noé foi separado do sistema mundano construído pelo pecado. Assim Deus ordenou a Noé que construísse uma arca, que levasse sua família e animais para dentro, então aconteceu o dilúvio. Eles foram os únicos a sair de um sistema corrompido de coisas, daquele mundo sob a água. A vida pessoal é a inevitável conseqüência de sair; a perdição pessoal é permanecer, mas a salvação é a própria saída. A salvação é, essencialmente, a presente saída de um sistema condenado que pertence a Satanás. Eles saíram pelas águas.

Por isso, quando os crentes são batizados, eles passam, simbolicamente, pela água, assim como Noé passou com a arca pelas águas do dilúvio. E essa passagem significa deixar o mundo, deste sistema de coisas que está sob domínio do seu príncipe, sob a condenação divina. Deixe-me dizer isto, especialmente aqueles que estão sendo batizados hoje: Lembre-se que você não é o único que está na água. À medida que caminha para dentro dela, um mundo inteiro desce com você. Quando se levanta, levanta-se em Cristo, na Arca que cruza as ondas, mas seu mundo fica para trás. Para você, aquele mundo está submerso, afundado, como o de Noé, colocado para morrer na morte de Cristo e nunca mais será revivido. É pelo batismo que você declara: “Senhor, deixo meu mundo para trás. Tua cruz separa-me dele para sempre!”.

Minha história em Adão tem seu fim na minha morte com Cristo. Uma vez que Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, ao sair da água posso andar em novidade de vida. (Romanos 6.3).

Este duplo efeito da cruz está bem implícito nas palavras de Romanos 6.3: “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na Sua morte?”. Nesta sentença tão simples, os dois aspectos do batismo estão novamente sugeridos. É batismo em duas coisas. Primeiro, nós os que cremos, fomos batizados na morte de Cristo. Isto é um fato tremendo, mas é tudo? De maneira nenhuma, pois em segundo lugar, o mesmo versículo diz que fomos batizados em Jesus Cristo. O batismo na morte de Cristo Poe fim à minha relação com este mundo, mas o batismo em Cristo Jesus, como uma pessoa viva, Cabeça de uma nova raça, abre para mim um mundo totalmente novo. Entrando na água estou simplesmente encenando todo o processo, afirmando publicamente que o julgamento deste mundo tornou-se real para mim, desde o dia em que o “levantado” Filho do homem atraiu-me para Si mesmo.


Por Watchman Nee


╬Shalom.

Nenhum comentário: