segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

De Murmuradores a Adoradores


A murmuração é a linguagem mais escancarada do descontentamento humano. Quando alguém está insatisfeito normalmente faz uma choradeira se queixando daquilo que o contraria. A alma malcontente tem uma boca mal-falante que aprecia gemer para expressar o seu desgosto.


O primeiro pecado do povo de Israel quando saiu do Egito foi a murmuração. A gentalha, isto é, o cruzamento dos israelitas com os egípcios, formou um coral dos contrariados que corrompeu a massa. Esse populacho sem linhagem nobre sentia fome do cardápio velho, lamentando a sua sorte, e deste modo, insuflando o canto fúnebre no meio do povo de Deus.


O pecado coletivo que deu início às divisões na igreja primitiva foi a murmuração. A ração diária causou uma reação diabólica de desagrado que gerou o vírus letal do resmungo ameaçador. A unidade do grupo foi atacada pela lastimável lamentação de alguns murmurantes.
Matthew Henry dizia que "as pessoas que mais se queixam são as que mais são motivo de queixa". O aborrecimento da alma é um sintoma de desconforto com os desígnios divinos. Ora, se Deus é soberano e se ele está dirigindo a nossa história, então os acontecimentos de nossa vida correm por conta do seu eterno propósito e sua bondosa providência.


Alguém sugeriu que a murmuração é uma afronta direta ao caráter divino. Jesus foi enfático com os seus discípulos: Não murmureis entre vós. João 6:43. Ainda que a nossa existência neste mundo esteja cheia de acontecimentos desagradáveis, a vida dos verdadeiros discípulos de Cristo não pode ser costurada com as linhas grosseiras do queixume e da lamúria.


A pessoa descrente e desgostosa fica sem opção na vida, ao deixar escorrer pelo canto da boca a baba peçonhenta da sua reclamação. Mas os filhos de Deus sabem que o canto de gratidão é a única partitura que compõe o seu culto. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. 1 Tessalonicenses 5:18. Assim é impossível ser ingrato. Os adoradores de Agnus Dei são membros do único madrigal que entoa com alegria essa singular canção, que é a única aceita diante do trono celestial. Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor. Apocalipses 5:12. Em lugar da murmuração, louvor e glória ao Deus de toda graça.


Pr Glenio Paranaguá.

Nenhum comentário: