sábado, 11 de dezembro de 2010

A Desconstrução da Religião 2

Aqui está a continuação da mensagem anterior.

  • Caim significa conquista. Abel é um sopro, uma dádiva. São pequenos detalhes que a Bíblia revela sobre Religião e Evangelho.
  • A obra do Evangelho, você é alcançado, não alcança. Você recebe, e não aceita. Aceitar requer uma decisão positiva; receber requer uma atitude passiva. Você não aceita esmola, mas recebe. Você não recebe uma propina, você aceita a propina. O evangelho é para o fracassado, para quem fez tudo e não conseguiu vitória. A religião é para quem tenta conquistar com seu esforço.
  • Toda vez que você fica nervoso e irritado por causa daquilo que não conseguiu conquistar isso é um procedimento religioso. Quando você fica alegre com suas derrotas, porque você não conseguiu, mas porque o Senhor permitiu o fracasso, mas mesmo assim somos aceitos e amados pelo nosso Pai, então você está no descanso do Evangelho.
  • Paulo foi debilitado por Deus para aprender a dependência. A dependência de Deus é a motivação do Evangelho; a independência de Deus é a motivação da RELIGIÃO. “Vamos fazer por conta própria, depois Deus nos abençoa”. Fazemos o comitê religioso, fazemos uma oração pró forme, depois faz o programa e depois dizemos, “Deus carimba”. Depois fracassamos, e nos irritamos. Mas Deus está ali, para nos destruir. Ele nos convence, “vence com”.
  • Ele nos Vence, se vencendo; Ele se derrota, para nos derrotar; Ele se humilha, para nos humilhar; Ele se esvazia, para nos esvaziar; Ele morre, para nos matar; Ele ressuscita, para nos fazer vivos; Com a vitória dEle! É substituição de vida!!
  • O numero que Pedro usou para o perdão é o numero da defesa de Deus para Caim. Mas Jesus não aceitou esse numero, e foi buscar o numero de Lameque: 70 x 7. Quantas vezes devemos perdoar? 490 vezes no mesmo dia. Esse foi o numero que Jesus foi buscar e faz parte da contabilidade de Caim. OS rabinos do tempo de Jesus diziam que perdoar mais do que 3 vezes, o perdoador tinha sangue de barata e não tinha valor nenhum. Jesus queria dizer que se não perdoamos, apodrecemos. Deus nunca abandonou Caim. Não é o homem que busca a Deus, é o contrário. O homem pecou e fugiu, mas Deus veio atrás. É o orgulho da caça que nos separa de Deus, e não a humildade do caçador. O pecado separa o homem de Deus, mas Ele busca o pecador. O médico não gosta da doença, mas quer salvar o doente.
  • Todo religioso quando não sente que foi recompensado, se torna uma fera ferida e essa fera fere o outro. Ao invés de Caim oferecer a ovelha, ele mata o irmão. O irmão foi aceito pelo sacrifício e não podia aceitar isso.
  • Ismael e Isaque. Ismael persegue isaque, porque um é a carne e o outro é o espírito. Você não conhece um evangélico que persiga o religioso, mas o contrário acontece. Todo perseguidor não é evangélico, é religioso. Isaque não persegue Ismael, mas Ismael persegue Isaque.
  • Deus chamou Abraão para a Caldéia. Ele tinha uma ordem: sai da terra, da parentela para uma que te mostrarei. Sai, Deixa, Vai, e vou te mostrar. Abraão saiu; Deixa, ele não deixou. Ele levou o pai e o sobrinho. Sempre queremos fazer do nosso modo. “Deixar meu pai, meu irmão, sobrinho”. Saiu mas levou a parentela. Deus fez uma quarentena, que são tratamento de Deus. Deus esperou o pai morrer. Senão não poderia andar com Deus. Abraão não queria se desligar da família. Depois de Terá, Deus precisou tratar com o sobrinho Ló.
  • Deus não dá um GPS nem mapa para que a pessoa acerte o caminho. Deus quer comunhão. Queria fazer de Abraão um filho para aprender a ser pai. Mas era apenas um homem forte. Deus trabalha com Abraão, e chega a Siquém para começar a ser desconstruído. A primeira crise: fome. Vai sempre haver uma crise. Nelas, em quem vamos depender? No Egito tem o Nilo, que tem uma vazante. Ali há bastante alimento. O Nilo é uma riqueza do Egito. Mas o povo de Deus passa fome. Abraão errou em ir ao Egito. Teria que buscar a face do Pai. Teve muitos problemas e trouxe de lá uma escrava. Toda vez que vamos para lá trazemos coisas daquele lugar, e vai trazer escravos do Egito na bagagem. Tinha 75 anos quando Deus disse que seria pai. Deus trabalha no kairós. O tempo do kairós é cansativo, mas amadurece. Abraão sempre procurou esconder-se de Deus e fazer as coisas por conta própria.
  • Então chega à terra de novo e tem problema com o sobrinho que deveria ter deixado. Aquele sobrinho iria trazer problemas para Abraão até os dias de hoje. Os moabitas e os amonitas estão vivos hoje. Fazem parte da Transjordânia, os povos que se misturaram e até hoje causam problemas para Israel.
  • A segunda crise foram os pastores de Abraão e os pastores de Ló. Mas procura um aspecto preferencial: escolha para onde quer ir e irei para o outro lado. Ló viu as riquezas das campinas do Jordão. Abraão foi para as montanhas, a direção de Deus. Ló precisava ser esvaziado. Seu caminho era do orgulho, da vantagem. Deus precisava tratar com ele. Chega um momento que Sara diz a Abraão: Deus está demorando! Sempre tem alguém achando que a agenda de Deus está demorando! “Faz 10 anos que Deus te disse! Temos Agar”! Aquela que Abraão trouxe do Egito! Somos sempre assim com todas as crises: buscamos nossa solução! Quando temos dividas, viramos rabo! Quando emprestamos somos cabeça. Israel foi rabo por muitos anos e queria ser cabeça. Por isso criou o bezerro de ouro.
  • Temos 7 cidades do mundo onde tem o Bezerro de ouro, que são os bancos. São 4 casas que governam o dinheiro do mundo: Warburgo, Rochield, Rockefeller e Morgan. Todos os bancos do mundo estão ligados a estes. Todo banco azul é Warburgo. Todo banco azul é Warburgo, todo banco vermelho é Rochield, todo banco verde é Rockefeller, todo banco amarelo é Morgan. Em 7 cidades do mundo: NY, Londres, Frankfurt, Viena, Paris e Nápoles, há uma estátua do bezerro de ouro. A famosa é o touro do Rockefeller Center. NA frente da casa da moeda americana tem um touro. Projeto de uma unidade de uma só Bolsa. Em Provérbios, no Capitulo 1 vai encontra uma só casa e uma só bolsa, controlada por um só homem. Quando a bolsa da China cai, dá um travamento no mundo. Um sistema do Egito que governa a cabeça do povo de Deus.
  • Abraão teve um caso com a Egípcia, por causa da demora de Deus. Teve Ismael, filho da carne, da potencia. No momento que nasceu Ismael, Deus se cala. Houve 13 anos de silêncio. O ultimo versículo do capitulo 16 de Gênesis para o primeiro do capitulo 17. Quando Abraão completou 99 anos, Deus chama a atenção de Abraão, dizendo-se El Shaddai”o caráter daquele que amamenta”. Dupla personalidade El, poderoso, Shaddai, que amamenta.
  • Ele diz a Abraão: você está velho, sua genitália morreu. Está impotente. Mas agora era a hora de ser pai. “Quando eu podia, não tive; agora que não posso, Deus quer dar!” Sara ri e diz: "como vou ter prazer outra vez”?
  • Aba – o nome que Jesus veio revelar. Aba se importa com seus filhos, é o Deus da ressurreição e não da morte: você vai ser pai e mãe na impotência, na incapacidade. Quando você chegar à incapacidade, começa o poder de Deus. Nossa fraqueza é o inicio da manifestação de Deus. Deus financiou o fracasso de Abraão. Ele precisava ver a morte do Pai, chegar à fome sem saber o que fazer, chegar ao Egito e passar vergonha, perder a condição de ter o controle das coisas. Deus estava por trás o tempo todo esperando o momento exato. Quando Abraão chega ao fim de si, Deus chega para operar. Teve um Filho: Isaque, que significa “riso”, “piada”. Dois velhos sendo pais! Só uma piada do céu! Deus espera que cheguemos ao fim de nós mesmos, para que comece a fazer coisas interessantes.
  • Isaque fez 2 anos e precisava ser desmamado. Ismael debochou de Isaque. Por isso foi colocado para fora e não contado como filho. Isaque foi chamado de unigênito. Paulo explica tudo em Gálatas. O filho Ismael da escrava: representa o monte Sinai, na Arábia que gera filhos para escravidão; o da livre é a Jerusalém celestial. Quem é a noiva do cordeiro? Não é a Igreja! Temos que ler a Bíblia com cuidado: não é a Igreja é a Nova Jerusalém! A igreja faz parte do grupo que compõe a Nova Jerusalém, a cidade celestial?
  • A igreja é 1/5 da Nova Jerusalém. Uma das partes dela. Faz parte do tempo da plenitude da graça. Todos os que foram salvos, de Cristo até o arrebatamento, fazem parte da igreja de Deus. Paulo não disse que a igreja é a Noiva. Disse: “como o marido ama sua esposa, assim Cristo ama a sua Igreja”. Não disse que a igreja era a Noiva, mas faz parte do sistema da grande Cidade. Ele disse: a nossa pátria não é aqui! A igreja é parte da grande concentração. Em Hebreus tem o monte fumegante e os abalos da terra, mas vai haver a grande concentração do povo de Deus, a verdadeira assembléia do povo de Deus. Toda pessoa que responde ao convite da graça.
  • Apocalipse 21.9ss -– começa falando das 7 maldições e começa a falar das 12 bênçãos. A nova Jerusalém não sobe, mas desce. A religião cria uma escada que tenta subir. Toda vez que estiver fazendo esforço, está no terreno da religião; toda vez que estiver esperando e confiando, está no terreno do descanso, de cima para baixo.
  • 22.1 – 6 – somos parte, não o todo. A Noiva é maior do que a igreja e envolve todos os santos de todos os tempos e nações. Deus tem um povo muito maior que a Igreja e Israel.
  • Qual a primeira coisa que Caim fez? Foi para terra de Node e construiu uma cidade. O que estava fazendo? De alguma maneira Caim viu o projeto de Deus na eternidade. O que Deus quer em ultima analise? Uma cidade: uma reunião de cidadãos. Deus busca a grande assembléia: a grande cidade composta de todos os santos, de todas as eras: de Adão até o dilúvio, do dilúvio até Jesus, de Jesus até o arrebatamento; do arrebatamento até o milênio; e do inicio do milênio até o julgamento. Quantos são? 5, o numero da graça. Todos os que foram alcançados pela graça de todos os tempos, fazem parte da Nova Jerusalém, a noiva do Cordeiro. Capítulos 21 e 22 de Apocalipse, Deus disse que quer ver a noiva e vê descendo do céu. A igreja é parte da Nova Jerusalém. Todos os santos, começando com Abel. O primeiro da lista de Hebreus 11. Até o ultimo que for salvo no tempo do milênio.
  • Em Apocalipse tem 2 números básicos: 7 e 12. Até o capitulo 17 o número básico é o 7, que fala da terra; quando passa para o céu, passa ao numero 12, o numero completo da glória de Deus no céu. A Nova Jerusalém o numero base é o 12, envolvendo a trindade com toda sua criação. Temos aí uma grande noiva.
  • Quem é Sara? A nova Jerusalém, que almejamos. Somos peregrinos aqui. Sara é a Nova Jerusalém; os filhos de Sara são livres, sem cabresto, sem Lei. A Lei deles é Cristo, o cumprimento da Lei, que é o amor. O cumprimento da Lei é o próprio Deus. Não pesa. “Vinde a mim todos os cansados que os aliviarei”. Religião é pesada. O religioso tem um livro de anotações para contabilizar defeitos e virtudes. Tem uma balança: pesado foi na balança e foi achado falta”“! É a medida do religioso. A medida do Evangelho é Cristo: tira o cabresto da queixada, se inclina para dar o alimento. Oséias entendeu: do Egito chamei meus filhos, com laços do amor.

Nenhum comentário: